quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

O problema do trailer

Há uns anos numa conversa com uma pessoa que conhecia disse-lhe que pelo trailer eu sabia se ia ou não gostar do filme. Ela não ficou muito convencida e disse que o trailer não era o filme. Mas a realidade é que nessa altura era mesmo assim. Se gostasse gostava do filme, se ficasse na duvida eram filmes que eu tinha que ver outra vez para tirar a prova dos nove e se não gostasse, bem não gostava.
 
A verdade é que eu ainda sou do tempo que só víamos trailers antes do filme que se ia ver começar ou algumas imagens na Tv. Actualmente aposta-se muito na promoção e vemos os trailers montes de vezes antes de vermos os filmes. O que seria benéfico para o filme ou seja criar vontade de ir ver. Acaba por não ser. Digo isto porque o trailer banalizou-se. Há dois trailers antes do filme sair. E o pior é que muitas vezes esse trailer revela os melhores momentos, as melhores piadas. Nos últimos dois/três anos tenho visto pouco cinema e do que tenho visto pouco me tem convencido.
Ainda há umas semanas vi um filme que foi nomeado para os Oscares, o Carol. Excelentes interpretações da Cate Blanchet e da Rooney Mara, mas uma história sem sal, que se vê a léguas onde vai chegar e nada que faça interessar. Se estes são os filmes que têm para nós então eu prefiro ler livros ou ver séries. Se bem que as séries também me começam a enfadar um bocado, mas sobre isso falaremos num próximo episódio.
 
 

2 comentários:

Eva Maria Valério de Sousa disse...

Eu gosto muito de cinema, mas não concordo com isso dos trailers, há muitos filmes em que gosto do trailer e depois não gosto do filme. Por norma o trailer é sempre melhor que o filme é uma maneira de o vender, e em alguns até dá uma ideia errada do filme...

Madrigal disse...

Eva,

sem dúvida que o trailer serve para vender o filme. Mas disse e afirmo já houve um tempo que eu sabia se gostava ou não pelo trailer.