sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Glee - Don't Stop Believin'

Nada melhor para terminar o ano do que esta música. A todos os que passam por aqui, os votos que 2011 vos traga a realização dos vossos sonhos, por isso mesmo: Don't stop Believin'!!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Ignorância

Andava eu a pesquisar e dei com isto: Is Pablo Neruda a real person?  Mas será que existe alguém assim tão ignorante? O senhor poeta não é assim tão desconhecido, quero acreditar que é brincadeira.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

ao ler isto só consigo pensar duas coisas: uma é que eles é que se estão a prejudicar e a outra é que se as empresas fizessem isso cada vez que alguém diz mal de alguma delas numa rede social não faziam outra vida senão enviar solicitações para apagar posts.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

She walks in beauty

adoro este poema do Byron, tão simples e ao mesmo tempo tão belo. Byron, o homem a descobrir melhor em 2011.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Ou tudo ou nada

e depois chega Janeiro e o cinema enche-se de filmes que vale a pena ver. Se houvesse uma boa programação havia bom cinema o ano todo, bastaria que não demorassem eternidades, em alguns casos anos, a chegarem cá.
Então preparem-se, amiguinhos para em Janeiro, no dia 20 ver o último do Woody Allen. Desta vez o título era mais fácil de traduzir e não foi preciso roubar a tradução brasileira como no anterior.
Dia 3 de Feveiro vão à tarde ver o Cisne Negro e à noite o Blue Valentine, conforme prefiram sonhar com a Michelle Williams ou Natalie Portman. :)
E homens que me lêem na semana seguinte sejam amigos das vossas namoradas e vão com elas ver o Colin Firth no Discurso do Rei.
Em Março, estou dividida entre o Nunca me Deixes, que estreia logo no primeiro fim de semana do mês.  A Tempestade que vem no dia 17 e não posso esquecer da oportunidade de ver Haddon Hall no grande ecrã, oferecida pelo filme Jane Eyre, quero eu lá saber de um filme que me parece uma cópia mal feita da melhor adaptação já feita deste meu querido livro. Agora ver Haddon Hall isso sim é de valor. Já vi em vários filmes esta casa do tempo dos Tudors, é quase a minha segunda casa. :)

( Atenção estas datas podem ser alteradas. Além disso podem existir filmes que queiram ver que não estejam aqui, este são os meus filmes a ver de uma longa lista de estreias)

domingo, 26 de dezembro de 2010

Nem sei bem porquê mas sempre que tenho que aceder à minha conta de e-mail do sapo, entro no Jornal de Noticias. Foi um hábito que adquiri por ver sempre a edição online deste jornal de manhã e posteriormente este e-mail. Abri eu a dita página e deparo-me com isto. Eu não percebo nada de desporto, mas se há coisa que me irrita é usarem a imagem das pessoas, principalmente mulheres para apregoarem que ganharam alguma coisa. Se virem as imagens apenas uma é dela em campo. Eu sei que os homens ao verem isto agradecem e a rapariga é bonita, boa, etc. Mas ao ver as fotos a sensação que eu tenho é que ela apenas ganhou APENAS por ser bonita e não por mérito profissional. Já era altura de começarem a perceber que as mulheres chegam lá não porque são bonitas mas sim porque o merecem e com certeza trabalham para isso. E já agora parabéns à Luciana Aymar.  

P.S: isto vem um bocado fora de tempo mas já tinha os posts de Natal agendados e não quis desfazer-me deles. :)

sábado, 25 de dezembro de 2010

Presentes de Natal

Quando andava na escola primária, após as férias de Natal, a professora perguntava a cada um de nós o que tínhamos recebido no Natal.
Era aqui que os miúdos que tinham menos prendas se sentiam tristes porque os outros tinham tidos muitas mais ou até aquilo que eles tinham pedido e não tinham tido.
Se fosse hoje isto seria considerado anti-pedagógico, julgo eu, e ainda bem porque as crianças têm o direito a se sentirem integradas e não discriminadas ou olhadas de lado. Não quero com isto dizer que acho que se devam proteger as crianças e dar-lhes tudo, mas no meu entender esta situação era desnecessária e acredito que difícil para alguns dos meus colegas.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

De há três anos para cá que troco e-mails com uma rapariga que vive noutro país, embora eu diga rapariga ela tem mais 20 anos do que eu. Mas isso não é motivo para problemas, esqueço-me constantemente da idade dela. Conhecemo-nos num fórum dedicado a um actor.
Há umas semanas entre outros tópicos de conversa ela disse-me que havia agora num fórum um membro do sexo masculino, os membros foram sempre mulheres. Dizia ela, que ele devia de ser gay, para se juntar ao um fórum só de mulheres.
Eu fiquei a pensar nisto e sinceramente e conforme lhe disse, não acho que ele seja gay, porque por essa ordem de ideias eu era lésbica já que tenho várias actrizes favoritas. O que acontece é que nunca me juntei a nenhum fórum dedicado a nenhuma delas, simplesmente porque admiro o seu trabalho, mas não sou fã acérrima e mesmo nos homens sou apenas de dois actores, outros há que gosto, vejo os filmes onde participam, mas dificilmente compraria um dvd de um filme só porque esse actor entra nele, tenho de gostar do filme.
Isto tudo fez-me pensar o quanto a sociedade, quer seja ela portuguesa ou estrangeira, ainda é um bocado arcaica em relação a estas coisas, estranhando o facto de alguém querer conversar com outras pessoas que partilham um mesmo gosto. Penso que os homens, de uma maneira geral são menos dados a essas coisas de ser fã, de querer falar e discutir a carreira de um actor, enquanto que nós mulheres somos mais dadas essas coisas. Possivelmente na altura de escolherem alguém do mundo da representação para ter uma crush, escolhem uma mulher, até porque a maioria das pessoas aprecia a beleza e não o talento dos actores/actrizes.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Carta ao Pai Natal

Querido Pai Natal,

Ao contrário da maioria das pessoas, eu apenas quero duas coisas uma é que a minha querida sobrinha nasça bem e cresça feliz e saúdavel, a segunda é um emprego.
Claro que há para aí uns quantos livros e dvd's, numa espécie de never ending whislist, que eu gostava, uma ou outra peça de roupa, uma ou outra viagem e claro um príncipe desencantado. Mas querido Pai Natal, eu já sou uma mulher MUITO feliz se me deres apenas as duas primeiras coisas.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Os estereótipos segundo as sugestões de prendas de Natal

Os estereótipos divertem-me talvez por os considerar rídiculos e na maioria das vezes sem razão de ser. Nesta altura do ano, as livrarias online fartam-se de enviar newsletters cheias de sugestões para prendas de Natal. estas não trazem nada de novo, são quase sempre promovidos os mesmos escritores: aqueles que são consagrados ou aqueles que vendem muito, mas escrevem coisas intragáveis.
Até aqui nada de novo, mas eis que recebo a newsletter da wook e tenho vontade de rebolar a rir. Cheguei a falar disso aqui, mas na altura tinha falta de tempo para fazer um post como deve de ser e depois recebi a dedicada à secção masculina da população e mais uma vez só tive vontade de rir.
Para as mulheres sugerem eles o grande Nicolas Sparks e pronto é agora que metade do mundo me cai em cima porque eu vou dizer com todas as letras que o detesto. Bastou-me ler As palavras que nunca te direi e ver os filmes do Diário da nossa Paixão e do  O Sorriso das Estrelas para ver que o gajo escreve sempre o mesmo, tragédias de faca e alguidar, personagens perfeitas e é muito lamechas. Há quem goste, mas pronto, eu não. Outros títulos pertencem aos escritores que escrevem livros tipo romance da Harlequim. Estão a ver o género? Não? Então, é simples mulher conhece homem, ele é sempre assim um homem que ninguém consegue resistir, ela é mais ou menos inexperiente e há ali faísca e toca a ir ver como é a cama de um deles, não vá ele ou ela dormir num caixão e ser afinal um vampiro. Mas antes têm de passar umas quantas páginas a discutir porque ela acha-o egoísta e ele que ela é mimada, ou algo assim, ou seja ainda demoram a chegarem a vias de facto; é preciso criar no leitor expectativa . São aquilo que a maioria das pessoas chama de romances cor de rosa. Eu até confesso que tenho uma simpatia por estes livros, são o meu guilty pleasure literário, mas não os leio assiduamente, alguns são intragáveis, alguns até são jeitositos. Serve para distrair de leituras mais pesadas.
Mas o must desta newsletter era sem dúvida a agenda doméstica como o Martini Bianco apontou no seu comentário.
Então estando nós no século XXI havendo igualdade dos sexos ainda sugerem oferecer uma agenda deste tipo para uma mulher???? Mas as tarefas domésticas são obrigação SÓ da mulher? Ainda há muitos homens que chegam a casa e sentam-se no sofá, mas isso são os da geração dos nossos pais, avós, gajo com menos de 45 anos tem mais é obrigação de ajudar. Mas parece que não é assim.
Os homens tem direito a receber os livvros do Lobo Antunes, do Paul Auster, de historia, do mais recente Nobel da Literatura, mas não escapam aos estereótipos, homem que é homem tem de saber de vinhos, por isso nada melhor que ler sobre o assunto e claro livros sobre investimentos, porque um gajo com dinheiro é sempre uma mais valia!! E a cereja no topo do bolo é que seja bom de cama, que leve a mulher ao céu pelo menos vinte vezes menos que isso, é ser azelha!! Por isso esse capitulo não foi esquecido.
Resumindo e concluindo: os homens têm direito a livros de jeito, além de sugestões para melhorarem as suas finanças, conhecimentos de vinhos e ainda como serem bons na cama.
As mulheres tem de se contentar em gerir o lar, enquanto lêem mais um livro cor de rosa e suspiram pelo protagonista.
Sociologicamente falando não deixa de ser interessante ver que atribuem ao homem uma maior inteligência e por isso sugerem livros considerados dificieis e às mulheres livros cheios de romance. O mais curioso é que da minha observação empírica acho que as mulheres lêem mais que os homens, por isso os livros aconselhados são desajustados, até porque uma mulher mais facilmente lerá um autor dificil dado que já tem mais calo, embora algumas nunca abandonem os romances tipo Harlequim pelos mesmo bons.
O que fazer? Eles gostam de mandar estas newsletters e eu gosto de me rir!!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Festa de Natal Empresarial

Há dias dei por mim a agradecer o facto de este ano não ter trabalho, é um contra senso, mas eu passo a explicar.
Quando tinha um emprego tinha também a festa de natal, um almoço. Tinha de pagar cerca de oito euros isto quando entrei e dez na última vez que fui, para comer meia dúzia de rissóis outros tantos bolinhos de bacalhau e um copo de sumo.
A empresa onde trabalhava não se podia chegar à frente para pagar uma coisa em condições e então nós pagávamos os ditos oito euros para chegar às três da tarde e ter de comer um bolito para enganar a fome. O problema era que contratavam uma empresa que praticava a economia. Se temos cinco convidados em nossa casa e vamos servir de entradas os ditos rissóis, quantos compramos? Dois para cada um e mais cinco que há sempre quem goste de repetir, mas a dita empresa fazia para aí cinco rissóís para cada quatro pessoas.
Depois e recuperando o espirito de anos anteriores que eu ainda não estava lá, começaram a pedir às pessoas para levar o equivalente do dinheiro em comida e quem quisesse dava o dinheiro.
É certo que ninguém passava fome, mas o espirito natalício frouxo mantinha-se. Supostamente a ideia era conviver com as pessoas de outros departamentos, mas não, as pessoas falavam com quem falavam o resto do ano. Enfim, eu até sou anti-social, mas eu via que os outros também não tagarelavam com ninguém fora das suas relações.
No meu último ano revoltei-me e decide baldar-me à festa, engraçado foi perguntarem-me: então madrigal, não vais à festa de Natal? e eu a dizer que não e até acho que cheguei a dizer se não queriam também baldar-se e irmos todos antes comer a bela da francesinha. Eu digo que é engraçado porque quem me fez essa pergunta foi uma pessoa do meu departamento e quem organizava ( ficava com os nomes das pessoas que iam participar) pertencia a outro, isto diz muito do profissionalismo da pessoa em questão.
No dia da festa fui à Pizza Hut, comi pão de alho que adoro, uma mini-pizza, bebi coca-cola e ainda tive direito a sobremesa e soube-me muito bem.
Estas coisas são para mim uma boa anedota, melhor só mesmo o dia da empresa, mas sobre isso falarei num dos próximos episódios.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Respeito

Não está na lista de blogues aqui ao lado, nos links mas há ou melhor havia um blogue dedicado a um escritor que eu costumava visitar, não todos os dias, mas quase todos os dias. Agora clico no link guardado nos favoritos e o blogue desapareceu, o mesmo aconteceu à página web...
Eu sei que muitas vezes as pessoas começam projectos com entusiasmo e depois o mesmo perde-se, também sei que escrever sobre livros ou escritores não é o mais fácil. Quantas vezes penso que seria mais fácil ter um blogue dito cor de rosa do que um como este, dá um bocado de trabalho, perde-se tempo, etc.
Eu percebo que as pessoas muitas vezes queiram começar outros projectos.
O que eu não percebo é como um blogue mantido por várias pessoas desaparece do ar, sem deixar rasto. Ora se o responsável ( quem cria o blogue originalmente) deixa de poder, há que passar o testemunho a outro e outra pessoa pode fazer a página. Dirão alguns, mas Madrigal e se ninguém quiser assumir essa responsabilidade? Sim, é certo que isso acontece. Pessoalmente tendo em conta que estamos a falar de um escritor consagrado e que ambas as plataformas (blogue e website)  podiam servir para informação dos leitores e de futuros leitores, apagar tudo demonstra falta de respeito para com o escritor, tão simples quanto isso...

sábado, 18 de dezembro de 2010

Felicidade

a felicidade de dar é das melhores do mundo. Hoje sinto-me feliz porque o colar que ofereci para o leilão do blogue Take Us to Bruges foi vendido. Achei que isso não ia acontecer já que teve só uma oferta e foi só esta semana. Dar sem receber nada em troca, só pelo simples prazer de ajudar, é algo que algumas pessoas nunca irão entender...

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Vistas curtas

Quando eu era pequena era completamente apaixonada pela série de desenhos animados " Ana dos Cabelos Ruivos", só mais tarde quando vi a série já bastante crescida ( foi em 2007) é que percebi o porquê de tanta paixão, eu tenho o feitio da Ana, embora a minha vida seja diferente da dela.
Uma vez falava eu disto num fórum, um dedicado ao meu actor preferido, quando alguém diz que não percebia o porquê de tanta gente gostar de uma órfã ruiva e tantos japoneses irem visitar a Ilha do Príncipe Eduardo no Canadá, isto dito por uma pessoa que lá vive.
É claro que a pessoa tinha vistas curtas e não percebia o apelo. Literáriamente falando uma estória, se bem contada, pode apelar a uma pessoa de outro país, se não fosse assim, os escritores não saltavam as fronteiras do seu país. Não querendo dar uma de snob ou achar-me melhor do que os outros, tenho sinceramente pena destas pessoas que não conseguem ver mais além e perceber que quando algo nos fala não interessa se isso é feito por alguém do nosso país ou não.
No caso da Ana dos Cabelos Ruivos, trata-se de uma série de livros, que foram escritos por uma canadiana, os japoneses viram potencial na estória e adaptaram o primeiro livro. A RTP comprou a série dobrou-a e fez-me descobrir algo verdadeiramente sublime.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Os sem guarda-chuva

Cada vez mais noto que os miúdos, leia-se aqueles que ainda não passaram a barreira dos 25 anos, em dias de chuva andam sem guarda-chuva. No meu tempo de adolescente também havia quem o fizesse, mas era ocasionalmente, quando saiam de casa e não chovia, embora o céu prometesse água para mais tarde. E eram mais os rapazes, talvez para mostrar que eram homens ou assim.
Agora, esta tendência tem aumentado e cada vez mais eu vejo em dias de muita chuva, os miúdos sem guarda-chuva muitas vezes com casacos que ficam ensopados porque são de algodão e não de um tecido que não deixa entrar agua, como um kispo ou um casaco de couro.
Eu vejo-os de manhã enquanto espero o autocarro e eles vão para a escola. onde irão estar o dia todo ou toda a manhã com a roupa molhada e isso faz-lhes muito bem à saúde...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Globos de Ouro

Ontem foram anunciados os nomeados para os Globos de Ouro, e eu fiquei parva! Porquê? Os gajos nomearam o Idris Elba pelo Luther e não nomearam a Ruth Wilson pela mesma série?! é que ela é apenas muito melhor que ele, sim o Idris é bom, mas ela excede o bom e rouba-lhe as cenas em que contracena com ele .
Igualmente incompreensivel é terem nomeado Julia Stiles pelo Dexter e não tenha acontecido o mesmo a Jonny Lee Miller.
Parece-me que isto lá em Hollywood funciona por compadrio...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O aniversário de Jane Austen

Para assinalar mais um aniversário de Jane Austen, que se celebra no próximo dia 16, o blogue onde participo tem programado alguns posts especiais para assinalar a data. Se quiserem conhecer melhor esta escritora, visitem o Jane Austen Portugal.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Sugestões de Natal

Se há coisa que eu gosto de receber nesta altura do ano é newsletters com sugestões de prendas. Invariavelmente rio-me com as sugestões para as mulheres, sempre feitas com base nos esteriotipos e nas ideias feitas. Eis a sugestão da wook para este natal, só comprava o Marina, porque as fontes em que confio dizem que Carlos Ruiz Zafon é muito bom.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Filmes a ver

Neste momento espero a estreia de dois filmes, um é o Black Swan e o outro é Blue Valentine.
Black Swan, tem como cenário uma companhia de Ballett, o que é sempre interessante para variar de outros cenários já muito explorados e claro que o facto da protagonista ser Natalie Portman ajuda. De resto pelo trailer parece ser excelente.
Já em Blue Valentine vejo a oportunidade de rever Ryan Gosling cujo o trabalho em Lars and the Real girl, me encantou. Além disso parece ser uma daquelas estórias em que uma relação amorosa não é mostrada pelo angulo cor de rosa como em muitos filmes.
Se quiserem espreitar os trailers aqui ficam os links.

Black Swan


Blue Valentine

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Neste momento estou a frequentar uma formação e há dias encontrei uma colega que desistiu da mesma pouco depois de ter começado.
Falamos disto daquilo e a determinada altura ela disse: tu nunca mandas e-mails, eu às vezes mando e tu nada.
Por uma breve fracção de segundo pensei se teria sido indelicada e não teria respondido a algum e-mail dela, mas depois percebi que ela estava a a falar daqueles e-mails que se enviam a dezenas de contactos, aqueles das lições de vida, que às vezes eu apago porque acho que aquilo soa a conversa da treta, anedotas, vídeos, etc.
Quando percebi acabei por responder que recebia poucos, e que alguns eram dos colegas do curso e que sabia que ela também devia ter recebido, acrescentei que alguns não gostava e apagava.
Ela disse que essa era a forma dela de dizer Olá e que quando não recebia achava que as pessoas andavam ocupadas.
Eu fiquei a pensar nisto, se alguém tem tempo para ver e enviar este tipo de emails, não tem 5 minutos para escrever um e dizer um VERDADEIRO olá?!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Table for Two

Quando fui comprar o bilhete para este espectáculo após uma breve discussão sobre qual seria um bom sítio - isto era um espectáculo largamente visual- pelo que onde se visse melhor era onde eu queria estar, lá houve fumo branco da minha parte e disse, pode então ser para a plateia. O rapaz, simpático, disse: arranjo-lhe dois para aqui, e apontou. Ao que eu atalhei: é só um. O rapaz olhou-me admirado por breves segundos e lá fez o seu trabalho. Já no dia do espectáculo o rapaz que indicava os lugares ao dar-lhe o bilhete disse: está sozinha? e eu respondi que sim, confesso que não sei a expressão da sua cara porque não reparei estava mais interessada em ir sentar-me.
Eu não convidei ninguém para ir comigo porque já sabia que ia ter respostas negativas e detesto andar a pedir para irem, quando posso perfeitamente ir sozinha. Mas o que é certo e a atitude das pessoas demonstra isso mesmo, é que de maneira geral a sociedade não tolera/aceita alguém só, no seu círculo. Reparem, como nos fins de semana muito raramente vemos alguém a jantar ou almoçar fora sozinho. Ou a passear sozinho...
Mas, nem é sobre isso que eu quero falar, é mais sobre o seguinte: o facto de as mulheres que não têm namorado/marido serem muitas vezes rejeitadas pelas que estão comprometidas. Quantas vezes terminam amizades de anos, só porque não querem solteiras perto dos seus homens. É daquelas coisas que nunca entendi, nunca vivi, felizmente, mas ouço falar e não consigo perceber.
Numa sociedade que se quer moderna, evoluída e tudo mais, faz algum sentido torcerem o nariz a quem vai a um espectáculo sozinho ou fecharem a porta de casa a quem não tem namorado? Pessoalmente acho que não, no primeiro caso nem sequer comento, mas no segundo, acho que se calhar quando as amigas têm alguém possivelmente são aquelas que mais depressa se tornam perigosas.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

domingo, 5 de dezembro de 2010

Acorda-se a um domingo, está chuva, está frio e a vontade de ir à sessão de autógrafos do Lobo Antunes na Fundação Cupertino de Miranda, desaparece. Se ainda fosse na baixa que demoro meia hora de autocarro a lá chegar, agora na Avenida da Boavista?! É preciso apanhar um autocarro ou o metro e depois o autocarro, enfim com chuva não dá. Adoro o homem, é verdade mas não tenho necessidade de tomar banho gratuito, já que ainda tenho água em casa.
Então, vejo a programação dos canais de televisão, e não é que vão dar dois filmes que eu gosto?? A Sic dá a "Louca por compras" não é sétima maravilha da sétima arte, mas até é engraçado e o problema de comprar compulsivamente é uma realidade que existe, como disse alguém que conheço: "melhor seria se tivessem abordado o tema de forma séria e não numa comédia" mas pronto já se sabe que nesta vida não se pode ter tudo. 
A TVI dá a "Dupla Sedução" e eu confesso: gosto do filme e tenho um fraquinho pelo Clive Owen.
Dão os filmes quase à mesma hora!! Detesto estes gajos, há dias que não passam nada de jeito e noutros têm duas propostas porreiras.
Decisons, Decisons!!

sábado, 4 de dezembro de 2010

Do talento para escrever

Conheço dois blogues cujas autoras são jornalistas, não sei se existem mais blogues que eu leia que sejam assinados por pessoas com esta profissão. O que sei é que ambos, estão longe de serem favoritos ou blogues que eu gosto MESMO de ler. Escrevem bem, sem erros, com frases acertadas, ideias por vezes interessantes, mas a escrita não me cativa. Nem sei bem explicar porquê... a sensação que tenho é que estou a comer uma comida que me sabe bem, mas no fundo existem paladares melhores e olhem que não tem nada a ver com o que é escrito, é mesmo faltar-lhes algo que realmente faz a diferença.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Desafio

Bem, se há coisa que eu gosto é de desafios e por isso mesmo aceitei fazer este proposto pelo Martini Bianco. Desde já informo que não o vou passar a ninguém porque eu comento muito pouco em blogues, dado que só gosto de o fazer quando sinto que estou a acrescentar algo ao que foi dito, de resto também visito poucos e alguns são temáticos pelo que não é possível fazer essa parte do desafio. Outra coisa tudo aquilo que estiver dentro de parênteses deve ser entendido como um comentário meu.


7 Coisas para fazer antes de morrer:


1) Visitar Londres, não para fazer turismo mas para ver o Toby Stephens num qualquer palco do teatro. Com direito a fotografia e autografo ( parte muito importante)
2) aprender a tocar piano
3) aprender danças de salão ou qualquer tipo de dança
4) assistir a um musical na Broadway ou mesmo Londres
5) começar a fazer hoje aquilo que estou sempre a deixar para amanhã
6) quiçá escrever um livro
7) quiçá ir para a universidade




7 Coisas que mais digo:

1)  palavrões ( quando estou enervada)
2) Oh Meu Deus!
3) Basicamente
4) pronunciar erradamente certas palavras por achar piada ao engano ( por exemplo: vareia, em vez de varia)
5) Decisons, Decisons!!
6) merci
7) rapaz ou rapariga ( não juntos é claro!)




7 Coisas que (julgo) faço bem:

1) a minha cama todos os dias :)
2) bolos
3) dizer poemas em voz alta
4) ver ou não futuro em relações amorosas alheias
5) descobrir filmes e séries e consequentemente actores/actrizes que são excelentes mas que ninguém conhece porque nunca se venderam a Hollywood e aos seus filmes da treta, alguns acho que nunca se venderão e outros espero bem que não o façam.
6) organizar o meu dia ( quando saio consigo cumprir, mas quando fico em casa é mais difícil) quem diz dia, diz também uma qualquer coisa que precise de organização
7) bijuterias :))))




7 Defeitos:

1) insegura
2) teimosa ( não casmurra)
3) pouco paciente
4) anti-social
5) perfeccionista
6) ás vezes levo coisas a sério quando são ditas a brincar
7) ser pouco persistente em certas coisas ( consequência de ser insegura)




7 Qualidades:

1) memória fotográfica para actores ( ás vezes irrito-me comigo própria porque enquanto não descubro onde é que vi aquela cara não consigo deixar de pensar nisso enquanto vejo o filme/série
2) Sexto sentido ( não como no filme, mas no sentido que percebo quando algo não está bem, se gostam ou não de mim, às vezes acho que adivinho as pessoas :) etc)
3) romântica q.b.
4) boa memória, mas não necessariamente muito boa para caras, mais para momentos
5) perspicaz
6) sincera
7) espontânea

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Queridos William e Kate,

em vez de irem passar a vossa lua de mel no Algarve, eu venho sugerir um destino muito melhor. A cidade que tenho em mente é o Porto. Nunca ouviram falar?! Pois, é segunda maior cidade deste país que se chama Portugal e muitos julgam que é uma província da Espanha, mas isso agora não interessa nada, como diria a Teresa Guilherme.
O Porto tem um património arquitectónico único, oferece praia, embora não sejam lá grande coisa, mas o importante é ver o mar, além do mais tem rio, onde podem fazer um pequeno cruzeiro e ver as pontes ou subir o rio até à Régua e descer de comboio ou vice-versa. Espaços verdes maravilhosos como o Palácio de Cristal, o Parque da Cidade e tantos outros jardins espalhados pela cidade. Não esquecendo esse grande ex-libris da cidade que é a francesinha e tantos outras coisas boas como: as pontes, andar de eléctrico, tomar café no Majestic, subir à torre do Clérigos e claro visitar a Livraria Lello.
Por tudo isto, aconselho-vos,  a esquecer o Algarve e a visitar antes a Invicta.

Beijinhos
Madrigal


P.S: escrito a próposito do convite enviado pela região do Turismo do Algarve à Embaixada Inglesa a oferecerem a lua-de-mel no Algarve ao William e a Kate

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Um novo projecto

Desde que me entendo por gente que adoro séries e filmes de época, como consequência acabo por descobrir aqueles livros que se auto intitulam de clássicos da literatura. Um dia descobri a Jane Austen e há uns tempos descobri o blogue Jane Austen Portugal. Tudo isto para vos dizer que decidi dar largas à minha paixão e oferecer-me como colaboradora neste blogue. A minha oferta foi aceite e a partir de hoje e sempre que possível irei escrever por lá. Os meus posts são assinados com o meu nome: Vera.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Takes us to Bruges

A Maria quer ir estudar para Bruges mas para isso precisa de dinheiro, para realizar o seu sonho; depois de ter leiloado os seus livros, tem aceitado ofertas de pessoas que se têm aliado à causa, e tem assim conseguido angariar dinheiro e ficar mais perto de Bruges.
A minha admiração por pessoas como ela, que arregaçam as mangas e vão à luta, é enorme. Por isso decidi doar um dos colares que eu fiz.
Desde ontem e até ao dia 17 de Dezembro, podem licitá-lo aqui: leilão o preço base é de 10 gatos.
Caso não estejam interessados em colares vejam o blogue pode ser que tenha alguma coisa que vos interesse e já agora porque não doarem algo que já não vos faz falta?
Visitem!!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Ontem quando ouvi as noticias que davam conta que a policia tinha entrado no complexo do alemão pus-me a pensar se a intervenção era semelhante a que acontece no filme Carandiru, é que se é, é absolutamente desumano. Eu sei que eles são criminosos, traficantes, mas no filme os homens morrem sem terem hipótese de se defenderem...

domingo, 28 de novembro de 2010

O Windows Media Player é estúpido. Porquê? Pelo seguinte: às vezes ponho todos os ficheiros a tocar em modo aleatório e o programa vai sempre buscar quase todos os que tinha ouvido nos dias anteriores. Se eu os ouvi há pouco tempo não os quero ouvir certo? Certo, mas o raio do programa não pensa assim!!

sábado, 27 de novembro de 2010

Ao ler esta notícia, comecei a pensar até quando pensam continuar a tapar o sol com a peneira e a não deixar as crianças crescer e perceber que em tempos, os negros eram discriminados ( mais do que são hoje) eram tidos quase como animais, etc. Negam constantemente uma aprendizagem e crescimento saudável dos miúdos e depois queixam-se que eles são ignorantes, mimados, mal-educados entre outros predicados.
Nunca li os livros, nem sequer sabia que eram livros, mas lembro-me do "Sítio do Picapau Amarelo" Eu até acho que um dos melhores personagens era mesmo o Sassi Sá Pereira. MEDO!!! 

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Adivinha


Vejam lá se adivinham quem é a menina da foto, tenho a certeza que a conhecem ou já ouviram falar dela. Mas talvez assim vestida não veja muito fácil. Não há prémio, mas o desafio também é divertido.:)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Emmys Internacionais

E enquanto o mundo inteiro fala do Emmy que a novela Meu Amor ganhou ou melhor do decote que a Rita Pereira usou, eu prefiro assinalar a vitória de Helena Bonham Carter na categoria de melhor actriz pela mini-série Enid e ainda a vitória de Small Island, na categoria de melhor mini-série/telefilme. Ambas, embora apenas tenha visto alguns clips/trailers parecem-me muito melhores que o Meu Amor e tanto a Helena Bonham Carter como a Ruth Wilson, que protagoniza Small Island, estão num patamar em termos de representação ao qual Rita Pereira nunca chegará.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Bebel Gilberto - Samba da Benção

Há para aí tanta música brasileira foleira a ter tanto tempo de antena e ninguém fala desta menina! Conhecia-a no filme Closer e reencontrei-a no Eat, Love, Pray. Curiosamente a Julia Roberts entra em ambos os filmes.


segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Uma Tarde Diferente


Vi esta foto em forma de cartaz, com uns dizeres, em que se falava do Lago dos Cisnes no gelo com a música  Tchaikovsky. Muitos pensaram que para ver acrobacias no gelo podem sempre ligar a EuroSport quando há os campeonatos de patinagem artística, outros torceram o nariz à música do  Tchaikovsky.
Eu fiquei curiosa e fiz uma pesquisa sobre datas, preços de bilhetes. Ao ver este vídeo, fiquei com vontade de ir. Gosto de música clássica, embora seja muito ignorante em relação à mesma, conheço alguma coisa da música deste bailado, graças a parte da música ter sido usada no filme Scoop, embora eu não perceba a relação entre o filme e a estória do Lago dos Cisnes. Além disso graças aos japoneses, tinha visto um anime e por isso conhecia a estória da Princesa que é transformada num cisne por um malvado bruxo, grandes desenhados animados que usam também a música do  Tchaikovsky.
Falar do espectáculo é tempo perdido, não é porque não tenha gostado, mas simplesmente todos esses adjectivos de belo, muito bom, magnifico soarão sempre a pouco, a muito pouco.
A única coisa que acrescento a isto é o seguinte: se gostarem de dança e pouquinho de música clássica e viverem em Lisboa ou arredores não percam a oportunidade de ver, já que desde a próxima quarta-feira até domingo, eles vão actuar no Coliseu de Lisboa.


Crédito da foto: The Imperial Ice Stars

domingo, 21 de novembro de 2010

Eat, Love and Pray

Não era um filme que quisesse ver, o livro que lhe deu origem pertence à categoria de livros dos quais eu fujo como o diabo da cruz, falo dos livros de auto-ajuda.
Com alguma relutância aceitei ver o filme, e posso dizer que fiquei agradavelmente surpreendida. O filme fala sobre a procura de nós mesmos e daquilo que nos faz felizes. Longe de ser um candidato aos Oscares, é um filme que vale a pena ver, apesar de cair em alguns clichés, acaba por ser uma estória simples e bem contada. Já agora recomendo ouvidos bem abertos já que a OST é bastante boa.

sábado, 20 de novembro de 2010

A arte de reciclar

Em vez de perder tempo a dizer o quanto são feios os vestidos do Lanvim que a H&M vai começar a vender, deixo aqui o link para um post que escrevi aquando da parceria com Sonia Rykiel. Sabem, penso da mesma maneira e eu sou sempre a favor de reciclar, seja papel seja um post!!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Shakira - Hay Amores

É certo que não gosto da Shakira nem da sua música, mas esta tem um sabor especial e é a excepção à regra do não gostar da Shakira.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Resposta a um e-mail

Caro(a) Cliente,

Wook achou de "As Esquinas do Tempo"?
Já o começou a ler? Já o terminou?
A comunidade WOOK gostaria muito de poder contar com a sua apreciação deste livro. Deixe o seu comentário, no separador “comentários dos leitores”, na ficha do produto: http://www.wook.pt/ficha/id/211120.
A sua crítica será certamente valorizada por outros leitores e também por nós!
Atentamente,

A Equipa WOOK

Cara Wook,
ainda não li o livro, acredite que a curiosidade é muita.Pelo excerto que ouvi lido pela autora no vosso site acredito que este livro será uma boa leitura. Infelizmente, ando desde o mês de Setembro a ler " A explicação dos pássaros" que no inicio não havia meio de me atrair e ultimamente o tempo para o mesmo tem sido muito pouco, outros afazeres se têm imposto. Mas fiquem descansados que no dia em que ler, eu vou lá ao site e deixo a minha opinião, ou melhor um link aqui para o blogue onde estará um pequeno texto sobre o mesmo.

Cumps
Madrigal


(  Os meus parabéns à Wook por este tipo de emails, demonstram atenção ao cliente e quem o faz ganha o mesmo no final)

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Ontem, recebi a newsletter da Wook e instigada pela curiosidade fui ver isto. E pensei cá para os meus botões: os psis que não se cuidem não que qualquer dia vão todos para a sopa dos pobres, é que aparentemente qualquer que seja a nossa formação podemos escrever livros de psicologia de bolso.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Os telemóveis e eu

O meu primeiro telemóvel se ainda fosse vivo tinha dez anos, infelizmente um dia adoeceu e sem que ninguém desse por nada partiu deste mundo. Foi-me dado pelo meu irmão a custo zero. Na altura era comum os jornais "darem" telemóveis juntava-se uns quantos "selos" que saiam no jornal diariamente e no fim de não sei quantos enviava-se juntamente com uma quantia em dinheiro e voilá tinha-se um telemóvel. A ideia do meu irmão era dá-lo à sua namorada da altura, mas ela acabou por arranjar um e eu herdei o dito.
Comprei então um com o meu próprio dinheiro fruto do part-time que tinha na altura. Este não chegou a morrer ainda é vivo, mas com o tempo a bateria começou a resistir cada vez menos e cansada disso acabei por comprar um novo, o meu pai ainda o usou durante um ano ou próximo disso. Na altura os telemóveis cheios de salamaleques eram ainda novidade pelo que foi bastante caro e se fosse hoje talvez não o tivesse comprado, mas também é certo que talvez o comprasse porque gostei do modelo...
Até quando durará este é ainda uma incógnita, funciona bem e em semanas que não faço muitas chamadas ou envio sms, a bateria dura uma semana, também é certo que durante a noite o desligo.
Muita gente espanta-se comigo por ter o mesmo telemóvel há cerca de cinco anos, espanta-se que dure tanto e ainda mais quando digo que só comprarei outro quando este morrer. Mas é a verdade e a mim espanta-me que os outros queiram mais e mais telemóveis quando têm os seus ainda operacionais e cheios de funcionalidades, para quê desperdiçar dinheiro num novo, se daqui a dias haverá um ainda mais novo? E mais para quê aquele modelo especifico? Se faz chamadas e envia/recebe sms é quanto basta... pelo menos para mim.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Li isto e achei o número assustadoramente grande. Será que as pessoas não pensam ou será que chegamos a um momento em que o narcismo ultrapassa outros valores?

domingo, 14 de novembro de 2010

Ontem, num zapping vi novamente o filme O Amor não tira férias e mais uma vez achei o que acho sempre que o encontro nos zappings: a estória da personagem da Cameron Diaz não devia existir; digo isto porque a estória protagonizada pela Kate Winslet é dez vezes melhor. Nada disto está relacionado com o facto da Kate ser melhor do que a Cameron, na arte de representar, mas sim porque a estória da Cameron tem tantos clichés que acaba por enjoar e nem o Jude Law consegue salvar a honra do convento. Além disso, um dos melhores momentos é quando a Kate conhece o compositor de cinema, interpretado pelo Jack Black, ao som do tema do filme Cinema Paraíso, o que torna o momento mágico.

sábado, 13 de novembro de 2010

“A Byronic character burnt by experience, arrogant but also eloquent and introspective. He’s world-weary and jaded, sensual, selfdestructive, yet there’s a good sense of humor in there, and at the end of the day a good heart. He sees the freshness and beauty in Jane when everybody else looks past her.”


Michael Fassbender numa entrevista daqui.

Um take interessante e correcto sobre o Mr. Rochester, uma das melhores personagens masculinas criadas por Charlotte Brontë no seu livro Jane Eyre.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Nostalgia

Há dias numa insónia, vi um bocado de um episódio dos Ficheiros Secretos, recentemente a Fox começou a emitir esta série durante a madrugada. Tive um momento claro de nostalgia, lembrei-me dos tempos em que via isto na TVI. Os tempos eram outros, a TVI tinha um lote de séries muito bom. Além disso a forma como se via séries era diferente. Actualmente, quantos de nós ainda esperam para ver as suas séries preferidas na TV? Muito poucos. A maior parte das vezes começamos a ver uma série quando a mesma já está na sua segunda ou terceira temporada. O sabor das séries naqueles dias era diferente, era a espera pela sexta-feira, pelas 22 horas, era a espera pela nova temporada, particularmente difícil quando uma vez no último episódio, parecia que o Mulder tinha morrido ou dar pulos de alegria, ao ler numa revista que o tão esperado beijo entre o Mulder e a Scully ia finalmente acontecer. Naturalmente estava sozinha nesta minha paixão, como sempre estive em tantas outras ao longo da minha vida, se fosse agora havia uma série de blogues que falam de séries...
Talvez por ser da velha guarda ainda conservo o hábito de ver séries na TV, apenas tiro da net séries inglesas que sei que nunca cá vão passar e o meu querido Dexter, que preencheu o lugar deixado vago pelos Ficheiros Secretos, todas as outras que gosto de ver ou das quais sou mais fã, acompanho pela televisão mas não é a mesma coisa, simplesmente porque há tantas informações que se acaba sempre por saber alguma coisa antes mesmo de estar no ecrã, claro que eu podia evitar essas infos mas também gosto sempre de saber o que me espera. É o meu eterno dilema: gosto da surpresa, mas também gosto de saber com o que contar.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Independentes, mas não muito

Há para aí um grupo de pessoas, às quais eu gostava de perguntar: afinal porque saíste de casa dos teus pais? Não casaste, não tiveste uma discussão que levou à rotura da relação, não foste viver com o homem/mulher da tua vida. Sim porque tu apesar de teres saído de casa, passas a vida metido em casa dos teus pais. Todos os dias sais do trabalho e em vez de ires para casa, vais para a casita deles, jantas e depois ala para a tua casa, quer chova, quer faça sol, embora eu ache que em dias de chuva deva de custar mais. Afinal que raio de independência é essa? Não achas que saberá bem chegar a casa e não ter ninguém para te chatear o juízo? Queres a casa só para momentos mais românticos? No teu lugar, sempre que fosse necessário ia a um hotel, ficava mais barato.
E eu ainda desconfio, embora este grupo não admita que trazem o belo do saco da roupa para lavar e a mãe ainda vai à casa deles fazer as vezes da mulher a dias.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Marketing ou um mau programa?

Quem lê este blogue há algum tempo lembrar-se-á ou não deste post. Ultimamente voltei a adquirir o hábito de ouvir estas coisas. Ora eu não oiço quando dá, uso uma opção de ouvir o programa depois de já ter dado, numa espécie de (re)player. O que é certo é que levo sempre com o resto de um qualquer programa anterior. Não é que eu me importe, mas atendendo aos programas que existem para cortar os aúdios/videos, penso que quem o faz deixa sempre o fim do anterior para fazer publicidade. Jogada inteligente dos senhores da BBC.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Educar para a ignorância

Encontrei uma edição da revista Noticias Magazine do inicio do mês passado. Quem conhece sabe que a mesma tem nas suas páginas centrais umas quantas páginas dedicadas aos mais pequenos, com jogos, estórias, etc.
Esta trazia um conto do Oscar Wilde, assim como os jogos eram feitos em torno dele. Tinha ainda uma biografia, onde era dito entre outras coisas que Wilde esteve preso, mas omitiam os motivos dessa prisão. Para quem não sabe os motivos são bastantes simples Wilde foi acusado de crimes de natureza sexual ou seja homossexualidade, na altura era crime.
O que não entendi foi o motivo desta omissão se para poupar aos pais o embaraço de explicar o que é um homossexual, se para evitar que os pais não deixassem os filhos ler o conto que a revista trazia ou comprar os livros que Wilde escreveu para os mais pequenos.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Adenda ao post anterior

“Porto Subway Love” é um projecto delicado. Porque o amor pode entrar em qualquer carruagem do metro.

retirado da página do Facebook do “Porto Subway Love”


Não será o local ideal quando se usa a linha C que vai invariavelmente cheia de putos que vão para o Ismai. Estes fulanos invariavelmente discutem depilação como se fossem gajas, não gostam de ver fisgas (leia-se fio dental) alheias, ouvem música estranha e não sabem explicar como chegar à dita faculdade. Mas as meninas não são melhores já que planeiam vingar-se de outras através das praxes.
Como não troco olhares com eles, estas conversas servem-me sempre de diversão matinal.

domingo, 7 de novembro de 2010

Porto Subway Love

Agora se virmos alguém no metro e o quisermos voltar a encontrar já é possível. Graças a esta pequena criação.
Eu como uma boa céptica acho que haverá muita gente que vai confundir o olhar casual e inevitável dada a disposição dos bancos com a promessa de interesse. Longe vai o tempo em que as pessoas metiam conversa nos transportes públicos, agora vê-se alguém e tenta-se encontrá-lo através de um site. Evolução dos tempos.

sábado, 6 de novembro de 2010

Michael Bublé

Este blogue não fala do Michael Bublé, a autora não foi ao concerto e se não fosse pela blogosfera nem sequer sabia que tal músico existia; ouviu o senhor e não gostou muito e também acha que isto não vá lá com a audição das músicas uma vez por dia...


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

She and Him

Depois de uma fase Sweell Season, ando numa onda She and Him, mais uma vez rendida, mais uma vez apaixonada e mais uma vez sem entender o porquê destas coisas serem tão pouco conhecidas.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Educar para a futilidade 2

O Sapo Kids não está sozinho na sua cruzada, há outro chamado brincar em que jogos são na mesma onda.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Educar para a futilidade

Desde a maravilhosa descoberta que num futuro próximo vou ser tia que tenho andado atenta a todas as coisas feitas para a pequenada.
Há dias no sapo kids, descobri uma série de jogos, eis que me deparo com um separador dedicado às meninas e vou a ver e qual deles o mais fútil, o mais esteriotipado, o mais parvinho. Então num site que tenta ser educativo põe estas porcarias para as meninas? Mas estes gajos pensam o quê? Que elas nascem todas com vontade de serem barbies? Ou têm o cérebro tão comido por parvoíces que não sabem criar algo educativo que eventualmente apele às meninas ou acham que os outros jogos não apelam às meninas? Sinceramente, querem que as meninas cresçam burras? Por isso, o sapo kids leva nota negativa.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Todas as vezes que vejo a promo da Fox à série "The Forgotten’ tenho vontade de rir, simplesmente por chamarem a Christian Slater um actor de luxo. Pessoalmente não o acho mau, mas daí a ser de luxo vai uma grande distância. Esta gente que faz as promos é capaz de tudo para as vender ou na volta não conhecem actores verdadeiramente geniais. Aposto na primeira hipótese.


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Considerações Literárias Avulsas 2

Já vi diversas vezes a série  que adapta o livro " Tess of The D'Urbevilles" do Thomas Hardy e agora ao ouvir o " A Pair of Blues Eyes" do mesmo autor, há algo que continuo a não entender, o porquê de nas duas estórias, os homens que se apaixonam pela protagonista, terem um sentimento de possessão muito forte sobre ela; uma vontade de serem os únicos na vida delas, de querer saber tudo o que aconteceu com anteriores namorados que se torna uma obsessão, um obstáculo à continuação do romance.
Passou cerca de um século desde que Thomas Hardy viveu, mas ainda há muitos homens que querem saber tudo, e porquê? talvez medo de serem comparados, talvez porque o pensamento arcaico ainda predomine e queiram alguém de coração e alma puro, muito difícil de encontrar. Afinal nós somos o produto de tudo aquilo que nos vai acontecendo e isso torna-nos a pessoa por quem eles se apaixonam. Se fossemos diferentes eles passariam por nós e não notariam a nossa existência.
São coisas que não entendo, na volta porque como diz a personagem do Clive Owen no filme Closer: vocês mulheres não entendem o território, porque são o território...

sábado, 30 de outubro de 2010

das séries que ando a ver

Dexter, depois de uma temporada absolutamente excelente em todos os sentidos esta está a ser muito fraca e se não fosse gostar muito do Dexter e dos seus dilemas interiores, dizia-lhe adeus. Estamos no quinto episódio e parece que não há meio de haver ali alguma coisa que faça ter vontade do próximo episódio.


Downton Abbey, feita bem ao meu gosto por séries de época, mas após os primeiros dois episódios pensei em desistir, aquilo parecia que não ia a lado nenhum. Fiquei por causa do Dan Stevens e pela Maggie Smith e esta semana compensou, a estória ganhou finalmente asas, após quatro episódios de voltinhas tontas e desenvolvimento lento.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Enquanto leitor, se um livro é bom, ele começa a fazer percurso dentro de mim quando acabo de o ler. Essas vozes tornam-se cúmplices, amigos e companheiros de viagem porque continuam vivas connosco.


António Lobo Antunes, no DN.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Ver para crer

Acreditem ou não, é muito raro passar uma semana sem que alguém venha cá parar por ter feito uma pesquisa sobre se deve tratar alguém por tu ou você. Eu pergunto: é assim tão complicado??? Façam como eu quando tenho dúvidas, se vos tratarem por tu, tratem também, apenas usem o você se for alguém claramente mais velho, esteja num cargo superior e claro for um estranho na rua. Às vezes gostava que fossemos como os ingleses e ia tudo corrido a You.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Planeta Madrigal

Às vezes acho que vivo noutro planeta, um que se chama Madrigal e não Terra. É que não me identifico com muitas coisas que em geral a sociedade espera que me identifique porque quando nasci, nasci mulher.Uma dessas coisas é o pedido de casamento, que acho nos dias que correm é um verdadeiro absurdo. Isto não é dor de cotovelo porque nunca ninguém teve um gesto rasgado e me pediu, mas é porque acho ridículo que nos dias de hoje as mulheres ainda esperem que o gajo com quem andam diga: queres casar comigo? E claro o faça de forma original para depois ter o que contar às amigas e as comadres de serviço, leia-se gajas que gostam de espalhar este tipo de noticias no local de trabalho.
A minha ideia é bastante simples, duas pessoas iniciam uma relação ao fim de um ano ( para muitas pessoas é menos tempo até) acho que têm uma visão bastante clara de onde aquilo as pode levar. Já deu para ver o que o outro é e se é com ele que queremos uma relação até que a morte nos separe. Claro que muitas vezes não se avança para um casamento porque ainda estão a estudar ou a situação económica não permite, querem juntar algum dinheiro para o casamento, etc. Mas há mesmo necessidade de levar a um sítio xpto e pôr o joelhito no chão e fazer o pedido? eu acho que não e como em tantas outras coisas as pessoas vivem constrangidas pela sociedade e por aquilo que acham que devem fazer. Eu sou contra as regras e tento contorná-las. Há cem anos fazia sentido o pedido porque não existia o namoro, as regras eram diferentes e o pedido era muitas vezes uma forma de declarar sentimentos que estavam escondidos. As mulheres muitas vezes recusavam porque não estavam apaixonadas, muitas vezes eram obrigadas a aceitar por imposição familiar. Hoje o pedido de casamento parece-me arcaico e fora de moda. Por isso acho piada que as mulheres se façam de muito modernas, mas continuam no fundo agarradas ao modo de vida das suas avós, neste aspecto claro.


Pequena nota: nada contra com que sonha com este tipo de coisas, apenas quero deixar claro que há quem pense diferente.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Nina Simone - Don't Let Me Be Misunderstood

todos os episódios do Luther terminaram com uma música, sempre apropriadas ao que tinha acontecido no episódio. Uma das músicas foi esta. A letra diz muito....

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Estratégia de Marketing?!

Sou consumidora de leite achocolatado. Já experimentei as marcas brancas e as azuis também, mas apesar de tudo continuo fiel à marca Agros. Agora que os ditos pacotes de leite que tão bem me sabem vão aumentar e muito por causa do IVA, tenho pensado que vou ter de bebê-los menos vezes. Ontem ao beber mais um, comprado ontem ( isto é importante) notei que sabia mesmo bem, mesmo a chocolate, deixando vontade de mais um. Não pude deixar de pensar se isso não é a máquina do marteking a funcionar, a querer deixar-me ainda mais viciada, para que não abdique deste leite mesmo quando ele ficar muito mais caro. Será que a Agros anda a deitar mais chocolate no leite?!  

domingo, 24 de outubro de 2010

Ainda o Outono


algures ainda há o sabor do Outono.

( Fotografia tirada pela minha amiga M, algures na Irlanda do Norte)

sábado, 23 de outubro de 2010

Construímos uma pessoa a partir de uma ideia ou construímos a ideia a partir da pessoa? Muitas vezes, já se leva uma ideia da pessoa e queremos, instintivamente, que ela corresponda.



António Lobo Antunes, numa entrevista tirado daqui.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Gosford Park

Acho que este é daqueles filmes que só vendo umas quantas vezes é que o saberei apreciar melhor. Não desgostei, o elenco é excelente, mas quando há muitas personagens a minha mente dispersa. Além disso, os ingleses fazem um tipo de humor tão subtil que é preciso várias visualizações para entender. Quando vi A Paixão de Shakeaspeare no cinema também não achei nada do outro mundo, hoje é um filme que não resisto a ver sempre que apanho na TV.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Não sei se será da escolha, mas após ter ouvido o Just Say Yes e o Chasing Cars dos Snow Patrol, não vejo nada de especial na música deles, soam muito a típica música usada nas bandas sonoras das comédias românticas... Alguém sabe me dizer se foi má escolha ou eles são de facto um grupo que cantam mais do mesmo?

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Dos estados de espírito

Cada vez mais tenho a certeza que uma parte do meu apreço por determinados filmes passa também pela banda sonora dos mesmos. Hoje, ao ouvir a banda sonora desse filme absolutamente incrível que é o " O Despertar da Mente" percebi que há qualquer coisa de contraditório em ter uma música que dá uma pica do caraças como o Mr. Blue Sky dos Electrica Light Orchestra e um tema muito depressivo como o Everybody's Gotta Learn Sometimes do Beck. Seria contraditório, sim, mas não num filme como este. Quando estamos apaixonados só queremos ouvir a primeira e quando o amor vai embora a segunda é a nossa melhor companhia, por isso faz todo o sentido.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Palavras Sábias

Há dias a minha mãe disse-me: se disserem que as tuas bijuterias não são bonitas não ligues. Há por aí muita gente frustrada que usa a internet para descarregar as suas frustrações.
Isto foi dito por alguém que mal sabe o que é a internet e nem sequer sabe ligar um computador. O que ela conhece sou eu que lhe conto e todos os posts que andam para aí sobre comentários anónimos maldosos, críticas a outros bloggers e ao conteúdo dos blogues nunca chegaram ao conhecimento dela. O que acontece é que ela é uma mulher inteligente e já percebeu que aqui como lá fora há gente que sente prazer em criticar. É certo que até à data nunca fui afectada, mas o dia pode chegar. O problema é que estas coisas chateiam as pessoas que fazem os blogues, que muitas vezes o fazem para desabafar algo que está mal, ou então porque acharam piada aquele livro e querem que outros possam descobrir o prazer da leitura do mesmo. Em todos os blogues há apenas um objectivo: partilha. Cada qual faz o que quer e quem não gosta deixa na beira do prato ou melhor falando, clica na maravilhosa cruz, no canto superior direito. Mas infelizmente as pessoas adoram criticar, adoram atirar pedras, gostam desse prazer idiota de se sentirem superiores, como isso lhes desse algum poder, alguma forma de controlo. Esquecem-se que a maior parte do que aqui se diz, é apenas uma parte e não o todo. Esquecem-se que ferem as pessoas sem necessidade disso e afinal fazem se calhar sem saber o porquê. Não gostam? Vão embora, se querem falar, comentem de forma educada, o mundo é muito vasto para perdermos tempo com mediocridades, mas que elas ferem, ferem, por muito que se tente seguir a máxima: só me interessam duas opiniões: a minha e a das pessoas que eu amo.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

o mais assustador deste vídeo não é facto de ainda continuar actual, apesar de já ser do inicio dos anos 80. É que eu temo que daqui a 30 anos, ainda vai ser assim...

 

domingo, 17 de outubro de 2010

às vezes tenho vontade de enviar um e-mail ao meu banco, apenas e simplesmente porque acho rídiculo que ao fazer um pagamento, através do homebanking, a minha conta não fique seleccionada automaticamente. Isso de ter que escolher as contas devia ser apenas para quem tem várias!! O gajo que fez o site devia ter posto ali um IF. Acho eu que assim resolvia o problema, mas nestas coisas da programação ainda sou MUITO novata.

sábado, 16 de outubro de 2010

O cúmulo da preguiça é alguém que vai ser pai, dizer que se for uma menina irá chamar-se Mariana, Diana, Juliana ou qualquer coisa com Ana. Porquê? A mãe da criança é Ana e assim quando ele chamar Anita ( trata assim a futura mãe da criança) vêm logo as duas...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

O escritor sublinhou que "cada texto que se lê, amplia os horizontes de reflexão" e, por outro lado, "as palavras têm um efeito de transformação que começa no íntimo de cada pessoa e estende-se aos que a rodeiam, num movimento em cadeia".


 Fernando Pinto do Amaral, retirado desta notícia.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O Paciente Inglês

Às vezes quando vejo filmes como este pergunto-me o motivo de não os ter visto mais cedo. São filmes que já têm uns anos e eu nunca os tinha visto, deixei-os sempre passar quando deram na televisão. Esta pergunta é ainda mais importante porque percebo ao ver o filme aquilo que andei a perder estes anos todos.
O Paciente Inglês é um daqueles filmes que fica na nossa memória, pela estória de amor que conta, pelas lindíssimas paisagens do deserto ( sim o deserto também consegue ser belo) e pela forma como aquelas personagens se conhecem e se relacionam entre si, detesto aqueles filmes em que se conhecem e no minuto seguinte já surge um beijo, logo seguido de um belo tango horizontal... O filme desenrola-se lentamente e temos a rara oportunidade de saborear aquilo tudo como se fosse um manjar dos deuses feito apenas para o nosso deleite.
Agora que o vi, espero ansiosamente pela oportunidade de ler o livro. Como nota final acrescento apenas que o Colin Firth envelheceu muito melhor do que o Ralph Fiennes.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Diferenças

Há uns dias na Fnac de Santa Catarina, naquele placar xpto que anuncia os espectáculos reparei numa coisa interessante, um bilhete para o filme " Filme do Desassossego" custava a módica quantia de 15 euros para o Teatro Circo de Braga e um bilhete para um concerto de jazz acho que para o centro cultural de Vila Flor custava apenas 2,00€. É uma diferença abismal! Pessoalmente não conheço bem o jazz, mas acho demasiado barato e que de certa forma desprestigia este género. Quanto ao filme, se quisessem fazer as coisas normalmente o bilhete era barato, pelo que sei o realizador quer estar presente e explicar o filme. Eu só tenho a dizer o seguinte: eu valorizo as opiniões que os realizadores dão sobre os filmes que fazem, mas um comentário no dvd fazia o mesmo efeito. É assim em Portugal há que sugar até ao tutano.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Da Televisão

Por vezes é complicado explicar às pessoas que não vejo televisão. Apenas ligo o dito aparelho quando sei que vai dar algum filme que tenho interesse em ver ou série que ando a seguir ( neste momento apenas o Nip/Tuck) e por isso não sei bem que programas são aqueles que toda a gente fala e já toda a gente viu. Às vezes já vi posts sobre eles em blogues, por isso tenho uma vaga ideia acerca dos mesmos. Se há pessoas que entendem outras olham-me com ar de quem diz: TU NÃO VÊS TELEVISÃO!? É sempre difícil explicar que os tempos livres que tenho quando estou em casa, são sempre passados a ler, a ver filmes ou séries que tenho em dvd ou provenientes de outros meios, na net a ler blogues ou a pesquisar coisas que na altura que as vi não tive tempo para aprofundar o assunto e mais recentemente a fazer as bijutarias. A televisão está sempre no fim de todas estas coisas, é sempre o último recurso, quando sinto que não tenho pachorra para ler, quando já li os blogues que sigo mais assíduamente, e claro quando sinto que a criatividade decidiu também ela tirar um pouco de tempo para si. Por isso, não, eu não sei quem são esses gajos dos programas e muito sinceramente alguns deles tenho a certeza que nunca irei querer saber quem são.

domingo, 10 de outubro de 2010

John Lennon

No dia que John Lennon completaria 70 anos, se fosse vivo, a rádio BBC 7, transmitiu uma entrevista, feita em 1970 por Jann Wenner jornalista da Rolling Stone. Nesta raridade, ouvimos Lennon a discorrer sobre tudo um pouco. Se quiserem ouvir cliquem aqui. Atenção que não começa logo, e contém linguagem um pouco forte, alguns comentários do jornalista que a fez e da Yoko Ono.
Vale a pena ouvir.

sábado, 9 de outubro de 2010

The Kings Speech Trailer

Se os protagonistas deste filme prometiam muito, o trailer não desilude a promessa. Se o Colin Firth não ganha o Óscar desta vez, eu começo a ter a certeza que aquilo é tudo feito para ganharem sempre os mesmos.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Prémio Nobel da Literatura

Este ano ganha o Mario Var­gas Llosa. Ainda não li nada dele, de certeza que agora não vão faltar oportunidades. Só não sei por onde começar...

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Considerações Literárias Avulsas

Existe um livro do qual gosto muito tendo mesmo o estatuto de preferido, não digo o nome nem o autor porque para aquilo que tenciono escrever não vale a pena.
No livro a protagonista apaixona-se pelo seu patrão ( não pensem que é um romance cor de rosa), ele lá dá uma pistas que possivelmente corresponde ao seu amor. Só que ele dá-lhe também a entender que vai casar com a jeitosa lá do sítio. Ela depressa vê que aquilo é apenas porque a jeitosa tem dinheiro, posição social e beleza, tudo coisas que ela não tem. Mais tarde o senhor lá se declara à nossa heroína.
Agora, a pergunta que se me põe sempre é: se ela é capaz de ver que ele não gosta da outra, porque raios não vê que ele gosta dela? Será algum complexo de inferioridade, por não se achar boa o suficiente? Ou é a autora que acaba por querer dar uma grande cartada ao se descobrir a verdadeira natureza dos sentimentos do patrão?
Claro que isto é apenas ficção, mas acontece também na vida real, às vezes não sei bem porquê as pessoas têm dificuldade em acreditar que alguém gosta delas.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

domingo, 3 de outubro de 2010

Comer, Orar e Mudar de opinião

A história cola com a vida real. Elizabeth apaixonou-se por José, um brasileiro 17 anos mais velho do que ela e que se tornou a sua cara-metade. No livro ela dá-lhe o nome de Felipe. Casou-se – dando azo a críticas das fãs que lhe diziam ter traído o seu ideal de liberdade. A seguir respondeu às críticas com uma espécie de sequela do seu anterior livro, Committed: A Skeptic Makes Peace with Marriage («Comprometida: Uma Céptica Faz as Pazes com o Casamento», ainda sem tradução em português). Nesta obra explica que foi forçada a casar com José por imposição do Departamento de Segurança Interna do governo norte-americano, que não lhes permitia viver juntos a menos que legalizassem a situação dele no país. Depois disso, tornou-se uma especialista em difundir as vantagens do casamento com tanta convicção como dantes apregoava as da liberdade.

retirado daqui


claro que a senhora tinha que mudar de opinião, se não como é que ia continuar a vender livros???

sábado, 2 de outubro de 2010

Coupling

Uma das melhores sitcoms que já vi foi o Coupling ( Ligações). Divertido desde o primeiro momento até ao último. Um dos personagens, o Steve tinha grandes teorias sobre tudo, uma das melhores é esta, quando ele questiona o porquê da existência de almofadas de sofá.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

The Social Network Official Trailer

e depois de ver o trailer do filme sobre a criação do facebook, só consigo pensar o seguinte: cromos que querem ser fixes há em todos os filmes americanos para adolescentes , não me parece que o filme traga nada de novo. Quando passar na televisão, eu vejo.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Um novo blogue

Após alguns meses de trabalho, a pensar em vários pormenores e a tentar que isto fosse para a frente, eis chegado o momento de dizer tal como no filme Cocktail: "The bar is open". Não, não abri um bar, mas abri um blogue para divulgar e vender as bijuterias que tenho feito. Não há salgadinhos, nem champanhe para festejar, contudo quem quiser dar um salto aqui, será muito bem vindo!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Mini-Séries VS Séries

Nos últimos tempos tenho visto muitas mini-séries e de certa forma começo a preferir estas às séries. São mais pequenas, as estórias mais condensadas e o nível de qualidade não diminui à medida que os episódios avançam. Além disso para vê-las gasta-se uma tarde, para ver uma série que conta com cerca de 22 episódios, muito tempo se perde. Muitas vezes não compensa. Ao fim de meia dúzia de episódios a série perde o interesse, claro que não são todas assim, mas a grande maioria é. Depois para fazer maratonas e vê-las anos mais tarde perde-se muito mais tempo. Por tudo isto acho que as televisões deviam de apostar mais neste formato.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Consultório do Blogue

Pois é este blogue passa agora a ter um consultório para dar respostas às perguntas das pessoas que chegam cá através de pesquisas.


Avós Sexys:
Aqui não há disso, não sou avó e nem sequer mãe, para o ser tinha de ter tido um filho com quinze anos e o rapaz ou rapariga ter seguido as pegadas da progenitora, ainda assim e fazendo bem as contas, talvez só para o ano.

como tratar um cliente da mesma idade tu ou você.
bem se é cliente, definitivamente por você.

como tratar os alunos por tu ou você
com esta é que me tramaram!! Há os que perante um grupo de formação nunca saem do você e até insistem para senhores e senhoras e donas, mesmo ao fim de meses de formação e os que chegam ao fim de cinco minutos já estão no tu. Cada cabeça sua sentença. Desculpe não puder ajudar.

quais os livros tarduzidos de elizabeth gaskell?
Nem tarduzidos nem traduzidos, cá em Portugal ninguém sabe quem a senhora é, mais vale ir aprender inglês.

A Noiva Indecisa trailer
Trailers é no guiché ao lado, aka, youtube

"despachado para índia" filme português
não é um filme português é americano.


e por hoje é tudo o consultório promete voltar, assim que surgirem novas dúvidas, há uma insistência em avós sexys que nem vos digo!!! Mas se há gente com gostos estranhos, há também muita gente a querer conhecer o filme Outsourced - Despachado para a Índia, o que revela bom gosto.

domingo, 26 de setembro de 2010

I believe people are very lucky to find each other. I believe that everyone is unique and everyone has something brilliant to bring into the mix. If you find somebody you connect with, you should enjoy it.


Carey Mulligan, numa entrevista aqui

sábado, 25 de setembro de 2010

Luther

Luther podia ser apenas mais uma série de televisão, uma daquelas já muito vistas sobre polícias que investigam crimes. Felizmente é daquelas capazes de nos prender ao ecrã, durante os seus seis episódios, principalmente no primeiro e nos dois últimos. Mas perguntam vocês  o que tem série para fazer isso? O nome dela é Alice Morgan e lamento dizer mas não faz parte da força policial. Alice aparece no primeiro episódio, os pais dela foram assassinados, ao ser interrogada por Luther este suspeita dela, já se sabe que a polícia não pode prender ninguém com base em suspeitas, precisa de provas e por isso Alice acaba por ser libertada. À medida que o tempo passa desenvolve uma relação improvável e ao mesmo tempo estranha com Luther, nunca se percebe o que aquilo vai dar. Talvez na segunda temporada, eu descubra isso, estarei ansiosa por ela e por ver Ibris Elba e Ruth Wilson a continuarem a brilhar nos seus papéis de Luther e Alice, respectivamente.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Na sua página a BBC não permite ver os diversos clipes com cenas das séries ou atrás das câmaras das mesmas, questões de direito de autor. No entanto, no youtube é possível ver todos os clipes ou alguns deles. A isto chama-se estratégia inteligente. Os senhores de lá sabem que as suas séries não chegam tanto aos resto do mundo como as americanas e todos os clipes e infos das mesmas podem ajudar à sua venda, quer para algum canal de televisão quer para o consumidor particular.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Couple


Imagem tirada daqui, um site cheio de comics assim, embora alguns sejam incompreensiveis para quem não percebe nada de ciência...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Cartas para Julieta

filme que seja lamechas e cheio de clichés não é filme para mim, o trailer deste prometia isso tudo. Eu devia ter seguido os meus instintos e ignorá-lo. Mas não o fiz! Que querem que diga em minha defesa? Eu adoro a Itália, a língua, a comida, a música do Eros, um certo actor e quero muito conhecer o país. Por isso não resisti, mas também gostei da sipnose do filme: uma rapariga que viaja até Verona, onde trava conhecimento com um grupo de mulheres que respondem às cartas escritas à fictícia Julieta. A rapariga encontra uma carta com muitos anos à qual decide responder... Podia ser um filme bom ou pelo menos agradável, mas não. Tanto cliché junto enjoa! Fica apenas para mim, a vontade de ir ver a dita casa da Julieta.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Mildred Pierce

Ora aqui está uma mini-série que promete, só o elenco já promete muito! A Evan-Rachel Wood está irreconhecível.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Poetry may make us from time to time a little more aware of the deeper, unnamed feelings which form the substratum of our being, to which we rarely penetrate; for our lives are mostly a constant evasion of ourselves.


T.S. Eliot

domingo, 19 de setembro de 2010

The Prestige

Uma semana após ter visto este filme, ainda estou a tentar perceber qual é o terceiro passo. Sim, porque é nele que reside o segredo para entender os mistérios do filme. O Nolan é, sem dúvida, um daqueles génios que deu à costa lá nas terras de Hollywood, é que quase dois meses depois do Inception ainda tenho uma vontade louca de correr para o cinema e perder-me nos labirintos da mente. Eu sei que ambos os filmes mereciam mais palavras minhas, mas ambos deixaram-me sem palavras.

sábado, 18 de setembro de 2010

Vexed

A série responsável pelas minhas mais bem dispostas gargalhadas nas férias foi esta. Uma pena que a mesma dificilmente chegue aos nossos ecrãs.



e as nossas prateleiras dizem muito sobre nós. :)

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Elvis Prestley

Embora já o tenha a algum tempo, só agora nas férias é que me dediquei a descobrir este cd, que reúne os grandes êxitos do Rei do Rock. Até aqui conhecia bastante mal o Rei, mas agora acho que o conheço um pouquito melhor. Ao ouvir isto sinto-me ainda mais convicta que ia adorar ter vivido nos anos 50/60, andar com o cabelo num rabo de cavalo, usar saias cheias de roda, observar os rapazes nos seus jeans justos, cabelo à Elvis, sem faltar o blusão de cabedal, e claro ouvir Rock And Roll. Aqui fica uma das músicas que mais gostei de ouvir, já a conhecia na voz do Frank Sinatra, contudo desconhecia que o Elvis também a cantava.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

E-books

A leya vende com 30% de desconto, curiosamente um livro da Inês Pedrosa, consegue ser mais barato em versão livro de bolso. É por isso que eu adoro a Leya...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

The Lego Gasman Cometh

Já se sabe que quando se tenta reparar alguma coisa, há sempre coisas que se estragam e a seguir temos de reparar! :)


segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Coisas da Internet

Há quatros anos descobri um actor e consequentemente um fórum para fãs do mesmo. Durante alguns meses, a maior parte do tempo online era passado lá. Era um local onde havia diversos membros interessantes. O tempo foi passando e eu deixei de ser um membro muito activo, chegando mesmo ao ponto de visitar o fórum esporadicamente, embora o meu interesse pelo actor se mantenha. Uma amiga que fiz por lá e com quem mantenho um contacto bastante assíduo, disse-me uma vez que com o tempo o fórum tinha-se tornado um lugar onde os amigos respondiam aos amigos. Eu achei isto um bocado estúpido, embora perceba que faça algum sentido afinal entendo melhor alguém que conheça de que alguém que não conheça. E a verdade seja dita a minha inactividade tornou-me um membro desconhecido para a maior parte deles. Há dias sugeri a alguém que visse a quarta temporada do Dexter, isto porque se falou sobre o John Lithgow, que fez um grande papel na referida temporada. E ela não respondeu, nem disse se já tinha visto. Isto não me incomoda, mas vindo de alguém que eu vejo sempre tão ansioso por ver ou ler o que é sugerido, faz-me pensar se ela faz isso porque quer ter a boa opinião dos outros ou é por falta de personalidade mesmo!

sábado, 11 de setembro de 2010

depois de ontem ter colocado o poema Parting de Chalotte Brontë, aqui fica o mesmo lido por Giga Gray. É verdadeiramente sublime.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Parting

THERE'S no use in weeping,
Though we are condemned to part:
There's such a thing as keeping
A remembrance in one's heart:



There's such a thing as dwelling
On the thought ourselves have nurs'd,
And with scorn and courage telling
The world to do its worst.



We'll not let its follies grieve us,
We'll just take them as they come;
And then every day will leave us
A merry laugh for home.



When we've left each friend and brother,
When we're parted wide and far,
We will think of one another,
As even better than we are.



Every glorious sight above us,
Every pleasant sight beneath,
We'll connect with those that love us,
Whom we truly love till death !



In the evening, when we're sitting
By the fire perchance alone,
Then shall heart with warm heart meeting,
Give responsive tone for tone.



We can burst the bonds which chain us,
Which cold human hands have wrought,
And where none shall dare restrain us
We can meet again, in thought.



So there's no use in weeping,
Bear a cheerful spirit still;
Never doubt that Fate is keeping
Future good for present ill !



Charlotte Brontë

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

A Ópera do Malandro

Ao descobrir este musical do Chico Buarque, não puder deixar de ter muita pena de não o ter visto quando veio aqui ao Porto há uns anos atrás. Mas na altura eu conhecia muito mal o Chico Buarque e não gostava de musicais como gosto agora. Felizmente há no youtube vídeos da versão cinematografica do mesmo. Aqui ficam alguns deles:

A volta do Malandro - adoro a música e os passos de dança :)





Desafio do Malandro - um bate boca musicado...





Tango do Covil - a apresentação da noiva de Max  aos outros malandros

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Afinal o novo livro do José Luís Peixoto também é vendido autografado na fnac, com os ditos 10% de desconto e é oferecido outro livro do escritor, Cal. Só que ninguém disse nada, descobri hoje quando visitei a loja online. Se tivesse comprado quando recebi a newsletter da Wook, mais uma vez a Fnac perdia. Por isso acho que tenho alguma razão quando digo que eles vão acabar por perder a venda de livros....