quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

New Year Resolutions

Resolution #1: uggg - will obviously lose 20 lbs.
#2: always put last night's panties in the laundry basket. Equally important: will find nice sensible boyfriend and stop forming romantic attachments to any of the following: alcoholics, workoholics, sexaholics, commitment-phobics, peeping toms, megalomaniacs, emotional fuckwits, or perverts. Will especially stop fantasizing about a particular person who embodies all these things.


do filme O Diário de Bridget Jones


Não, as minhas resoluções de Ano Novo não são iguais às da Bridget Jones. Eu raramente faço resoluções de Ano Novo, mas sempre achei piada às dela, principalmente porque não as cumpre. Desejo a todos um bom ano.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O Cinema em 2009

Haveria certamente espaço para falar dos filmes que gostei em 2009, muitos não são de 2009, os actores que conheci e desejo conhecer melhor, os actores que continuam a causar-me naúseas... Mas acho que o melhor é deixar aqui uma cena de um filme.
Os americanos, nos seus filmes e séries cansam-me ( enquanto espectadora) com os esquemas malucos, cenários ídilicos, momento certo, em que o rapaz deve perguntar à rapariga se ela quer juntar os trapos dela aos dele. Não sendo eu uma pessoa muito romântica essas cenas cansam-me sempre. E nem é só por isso, não acho que deva haver um pedido formal, todas as relações chegam um ponto em que passam ao nível seguinte ou então vai cada um para seu lado.
No filme, A Jovem Vitória, existe uma cena que eu gostei muito, precisamente porque não há o alarido e parvoíce dos filmes americanos sobre o pedido de casamento. Na minha opinião, a cena ilustra bem aquilo que acontecerá na maioria dos casos e também que numa relação a cumplicidade por vezes é tanta que o outro exterioriza os nossos pensamentos. Por isso, aqui fica a cena em que Victoria e Albert decidem casar.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Eu sei que a miopia me impede de ver bem - sem o recurso aos óculos, claro. Se eu fosse daquelas pessoas que passa a vida a tirar os óculos, por ver melhor ao perto sem eles, pensava que não os tinha quando há minutos liguei a televisão na Sic. O que eu vi? A Helena Sacadura Cabral e a Margarida Rebelo Pinto a falarem sobre um tema que nem percebi bem o que era. Mas estavam as duas armadas em psicólogas e isso fez-me verificar se alguma tinha tirado um curso. É que última vez que vi uma era licenciada em Economia e a outra em Línguas e Literaturas Modernas. Eu até gosto de ver estas conversa na televisão, mas por PROFISSIONAIS, porque estes senhores falam mediante a formação que têm e a própria experiência em consultório. Estas duas senhoras arranjaram um bom tacho e eu não percebo como é possível alguém vê-las e dar credibilidade ao que dizem. Todos nós somos psicólogos de algibeira, não é?. Eu sou. Ninguém me arranja um emprego na Tv a dar bitaites? Pois, acho que não, não escrevi uma porrada de maus livros e também não sou filha de gente importante. Realmente a televisão já teve melhores dia e durante o horário diurno isto anda mesmo muito mau.
Já agora nenhum canal quer trazer de volta o Júlio Machado Vaz e o programa "Estes Dificeis Amores" isso sim era serviço público.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Música no Coração

Desde a estreia em 1965, que Música no Coração se tornou um filme querido por toda a família desde os mais pequenos até aos adultos. Precisamente, por ser um filme para toda a família que costuma passar na televisão na quadra Natalícia, tornou-se uma tradição. Só que a tradição já não é o que era e por isso mesmo às vezes o filme não passa.
Desde pequena que me habituei a ver o filme, nesta altura, e creio que desde a primeira vez que fiquei encantada com ele. O passar dos anos não diminui o encanto. Em criança, eram as partidas dos miúdos que mais me faziam vibrar. Com a chegada da adolescência e dessa coisa que chamavam amor, a minha atenção centrou-se no romance entre a Maria e o Capitão Von Trapp. Agora, na idade adulta, aprecio o filme pelas interpretações, os números musicais e aqueles pormenores que a infância e adolescência não permitem apreciar.

sábado, 26 de dezembro de 2009

A Tap Portugal e o Aeroporto de Lisboa decidiram dar as boas festas ao passageiros de uma forma que não é original ( há diversos vídeos destes no youtube) mas não deixa de saber bem ver este vídeo, já que no dia 23 de Dezembro não estava lá. :) E já agora uma pequena provocação: ainda bem que não incluíram o I got a feeling dos Black Eye Peas, agora que eles apoiam a nossa selecção no Mundial, vamos puder enjoar desta música no próximo Verão.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Meia Mentira

hoje, ao responder a um questionário sobre os meus tempos livres, inclui ir ao cinema. Isto é coisa que já não faço há muito. Mas na altura não me pareceu bem explicar que os filmes que quero ver demoram anos a cá chegar e muitas vezes nem chegam. Afinal aquilo era um questionário e não o meu blog onde posso queixar-me destas coisas. :)

domingo, 20 de dezembro de 2009

Glee

Glee é nova série que a Foxlife tem exibido aos domingos às 21h25m. Passada num liceu americano, a série tem todos os personagens típicos que já nos habituamos a ver: a menina bonita da claque, o desportista, o cromo, a marrona, etc. Mas o que torna esta série diferente é precisamente o Clube Glee, onde os alunos dão largas ao seu talento na música. Sem dúvida, uma série divertida, com um humor inteligente e quem gosta de musicais irá gostar. Uma boa forma de descontrair ao domingo em anticipação de mais uma semana de trabalho ou estudo.
Eu estou viciada nesta música e confesso que não gosto nada do original...

sábado, 19 de dezembro de 2009

Alice in Wonderland - Tim Burton

Desde que comecei a interessar-me verdadeiramente por cinema que comecei a suspeitar que aqui em Portugal, as pessoas que trabalham nas distribuidoras percebem tanto de cinema como eu de futebol. Quero dizer, sei que existe o Futebol Clube do Porto, Benfica, Sporting, Boavista, Braga, mas mais do que isso não conheço. Treinadores ouço falar do José Mourinho, do Jesualdo, do outro que acho que se chama Jesus. Jogadores, para além do Cristiano Ronaldo, ouço falar do Hulk, do Figo, do Quaresma e não sei mais. Eu não percebo nada do assunto e eles não percebem nada de cinema. Porque se percebessem não punham um filme do Tim Burton a ser dobrado!!! E classificado para maiores de 6!!! Lá por a estória ORIGINAL do Lewis Carroll ser escrita para crianças, não quer dizer que o filme também seja. Se conhecessem o realizador já sabiam disso, porque os seus filmes não são para as crianças. O "Charlie e a Fábrica de Chocolates" até pode ser mas este não. As crianças assim que virem o Johnny Depp desatam aos gritos. E para quem ainda não viu, veja aqui o novo trailer.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Sugestões de Natal

E numa altura em que as lojas virtuais estão cheias de ideias e sugestões, que no fundo não passam dos produtos que toda a gente conhece e irá concerteza comprar eis que alguém surge com uma boa ideia. Recebi a Newsletter da Wook, com sugestões de livros de poesia e o melhor é que a escolha é variada e adaptada às várias bolsas. É por estas e por outras que cada vez mais gosto deles e lhes dou preferência na altura de comprar.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Richard Zimler
eu por acaso não conheço ninguém e claro que concordo com Richard Zimler. Ando há algum tempo com vontade de o ler, qualquer dia a ver se compro um livro dele.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

E Tudo o Vento Levou - Victor Fleming

Já se passaram 70 anos desde a data em que este filme se estreou, como dá conta esta notícia do DN. Será interessante daqui a 70 anos ver quais os filmes que temos visto nos últimos anos que ainda irão apelar ao público. Outra parte da notícia da conta da estreia apenas em Lisboa. Portugal é fantástico passam-se os anos e as coisas continuam iguais...

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Billy Mack - Christmas is all around

É uma estória conhecida no mundo da música: conhece-se o sucesso, conhece-se o sabor da fama e ganha-se muito dinheiro e é quando o auge é atingido que se dá o colapso e o cantor fica nas ruas da amargura. Em O Amor Acontece esta é a estória do Billy Mack. Desejoso por voltar ao topo novamente, decide fazer uma cover da música Love is all around mudando o nome para Christmas is all around.
Na minha opinião, esta é a melhor personagem do filme, e como estamos quase no Natal aqui fica o Christmas is all around. De notar que o videoclip não aparece no filme, neste só se ouve parte da música...

domingo, 13 de dezembro de 2009

Tonight is the night

Hoje, é transmitido nos Estados Unidos, o último episódio da 4º série do Dexter. Depois de duas boas temporadas, a terceira foi certamente mais morna e com poucas surpresas. Mas a 4º série recompensou a terceira e excedeu as duas primeiras. Mais ou menos a meio desta temporada a tensão aumentou de tal modo que muitas vezes sustive a respiração com medo que este acto mêcanico me fizesse perder alguma coisa.
Muitas coisas são ditas sobre esta season finale, mas a mais interessante é o que diz a Jennifer Carpenter: os argumentistas superaram o que foi imaginado pelos fãs ao longo desta temporada. Ela diz ainda que depois do episódio precisaremos de falar com o nosso terapeuta...

sábado, 12 de dezembro de 2009

Estou bastante desgostosa, a Natalie Portman aceitou protagonizar o filme "Pride and Prejudice and Zombies" quero acreditar que está doente, porque só assim aceito que alguém que já deu tantas provas de ser boa actriz aceite participar nesta palhaçada de filme.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Imaginação

Nas últimas décadas, os cientistas têm feito descobertas fantásticas. Coisas que apenas eram imaginadas pelos nossos antepassados são agora possíveis, graças à evolução da tecnologia. Mas, penso que já era tempo de inventarem uns comprimidos, que se pudessem tomar antes ou depois de uma qualquer refeição, e que estimulassem as células cerebrais responsáveis pela imaginação. Se isto acontecesse, podiamos dá-la a quem quer que tenha tido a ideia para esta série. É que isto e nem é preciso ver é MUITO idêntico ao famoso Crepúsculo. Claro que também é parecido com a série que a RTP1 passa aos sábados de tarde, As Crónicas do Vampiro, mas ao menos essa é razoável, pode não ser muito original, mas o mau da fita tem carisma, senso de humor, além de tentar criar um mundo vampirico com alguma coisa de novo, coisa que não acontece em Crepúsculo, que é para mim intragável.
Já chega de tanto vampiro, façam séries para jovens, para adultos, para os velhinhos mas façam coisas com um bocadinho de originalidade.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Os morangos hablan espanhol

segundo esta notícia, os espanhóis estão a pensar comprar a novela Morangos com Açúcar. Ainda pensei que estavamos no dia 1 de Abril, mas não, estamos no dia 10 de Dezembro... Eu que meia volta vejo um pouco da TVE, acho que eles devem estar doentes. Qualquer programa espanhol é muito melhor que esta novela. Na volta não passa de Wishfull Thinking...

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Barbie & Christian Louboutin

Já muitos criadores de moda vestiram a Barbie, mas agora chegou a vez de Christian Louboutin, fazer dela uma verdadeira Cinderela e dar-lhe uns quantos pares de sapatos da sua colecção. Pena que quem quer que tenha decidido vesti-la pensou que ela ia para uma sessão de sado-masoquismo....
Podem ver aqui.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Budapeste - Chico Buarque

Encontrei este vídeo no youtube em que Chico Buarque lê um excerto do seu livro Budapeste.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Carta ao Pai Natal

Querido Pai Natal,
Há muitos anos que não te escrevo, com o passar do tempo percebi que eras uma invenção dos adultos. Hoje penso que talvez os adultos tenham dito que não existias para não terem de dar as prendas que eu queria e assim darem-me as que eles queriam. Por isso, escrevo-te esta carta para pedir isto. Eu tenho-me portado bem, como a sopa toda e não sou má para os outros meninos, quer dizer só quando eles são maus para mim.
Beijinhos
Vera

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Como tornar as cuecas da avó sexys




Todos sabemos que a moda é uma ditadura, no sentido em que impõe padrões e cortes que não ficam bem a toda a gente. Ainda por cima o que é in este ano torna-se out na próxima estação. A moda tem um poder que não conseguimos imaginar, e vai desde a roupa até aos sapatos, passando pelos acessórios.

Recentemente, a H&M começou a ter na sua colecção peças do Jimmy Choo, mas não contentes com isso decidiram fazer uma parceria com a estilista Sonia Rykiel, para criar uma linha de lingerie.

A foto que ilustra este post pertence a essa colecção. Parece-me a mim que as modelos sairam de uma anúncio dos anos 50, parecem a minha avó e não uma mulher moderna. Estão vestidas com as famosas cuecas da avó, muito conhecidas e abominadas pela maioria das mulheres. Quem viu o filme " O Diário da Bridget Jones" sabe que as mesmas não são aconselhavéis quando se planeia um serão a dois...

Mas, eu aposto que daqui a uns dias, muitos blogs ( escritos por mulheres) irão elogiar esta colecção e vão mesmo comprar estes artigos. O que só demonstra que a grande maioria das mulheres não consegue julgar por si próprias e se alguém acha sexy estas coisas, é porque é. Curiosamente, na Oysho, que vende roupa interior para adolescentes, encontram-se coisas mais sexys.

Por isso, se virem mulheres com as famosas cuecas da avó não se admirem.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

All I Want For Christmas - Mariah Carey

Muitos dos vídeos no youtube são feitos a partir de imagens de séries de TV e filmes. É uma forma de homenagear a série, os personagens e até mesmo o par amoroso. Há os que não sabem fazer os vídeos escolhendo mal a música e as próprias imagens. Mas há aqueles que criam coisas originais e bem feitas é o caso deste, feito em homenagem ao Mr. Rochester da série Jane Eyre. Prestem atenção às legendas que aí é que está a piada todo do vídeo.


domingo, 29 de novembro de 2009

O Estranho Caso de Benjamin Button - F. Scott Fitzgerald

Sinopse
Na génese deste conto publicado pela primeira vez em 1922 terá estado, segundo F. Scott Fitzgerald, uma observação de Mark Twain em que o escritor lamentava que a melhor parte da vida fosse ao início e a pior no fim. Assim nasceu Benjamin Button, mas, como o leitor poderá começar a adivinhar, para grande desgosto e estupefacção de todos os envolvidos, o «pequeno» Benjamin vem ao mundo com a aparência, o tamanho e as peculiaridades de um homem de 70 anos… O Estranho Caso de Benjamin Button inspirou uma adaptação ao grande ecrã.



Até aos 6 anos ninguém espera que façamos outra coisa que não seja brincar, que não façamos birras em público e pouco mais. Aos seis anos entramos na escola e até aos 23/24 anos grande parte da nossa vida é passada lá ou em casa a estudar.
Saímos da escola e outra prisão nos espera: o trabalho, até à idade da reforma grande parte do tempo é passado nesse local. Quando finalmente estamos reformados e pudemos dispor do tempo a nosso belo prazer, eis que a doença começa a atacar. Os nossos olhos já não vêem para pintar, os ouvidos não distinguem o dó do ré e assim aprender guitarra é díficil e a própria mente perde capacidades.
Assim, pensamos muitas vezes o quanto a vida é ingrata e quando temos o tempo já não temos a capacidade e quando tínhamos a capacidade faltava o tempo.
Neste livro ou melhor conto, essa ordem é alterada e um homem nasce velho, com o aspecto de velho e à medida que cresce vai ficando mais jovem. Gostei de ler esta estória mas senti que se fosse um livro, seria muito melhor porque isso permitiria o desenvolvimento maior do tema e personagens.
Talvez, por isso posso dizer que gostei mais do filme, porque achei que houve um desenvolvimento maior e além disso no filme o Benjamim, com a idade de 7 anos parece um velho mas pensa como uma criança e isso é mais interessante do que um homem velho a quem tratam como uma criança - dando-lhe brinquedos- e ele interessa-se por coisas de adultos...
De qualquer das formas, este conto é uma boa forma de passar uma hora do nosso tempo, já que não demora mais do que isso a ler.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A Darcy before I die

Chamamos-lhe Darcy, Rochester, Rhett Butler, Capitão Brandon, etc, mas no fundo isto não passam de nomes de código para o príncipe encantado. Embora eu não acredite em príncipes e muito menos que existam homens como os dos livros que prendem o imaginário feminino, este vídeo é um must see, quer a pessoa goste do Darcy ou prefira outro herói qualquer, resume bem essa procura inglória pelo príncipe encantado.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

The return of Allo Allo

Se são fãs desta série de certeza que vão gostar disto, uma mistura de documentário, com os melhores momentos, depoimentos dos actores e o regresso ao vivo de algumas personagens.
Cliquem aqui: Allo Allo e depois vão clicando nos vídeos ao lado.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Dolce & Gabbana

Se há pessoa que nunca se deixa seduzir pela publicidade essa pessoa sou eu. Muito raramente tenho vontade de comprar algo só porque vi o anúncio. Mas as excepções acontecem e neste momento tenho vontade de comprar o perfume da Dolce&Gabbana: Rose The One, só por causa do anúncio. Acho-o muito sedutor, muito sexy e claro a Scarlett é perfeita. Só não compro por dois motivos: deve custar para lá de um dinheirão e eu tenho rinite alérgica e por isso não distingo bem os cheiros e muitas vezes nem os sinto.
Esta vontade não é nada racional até porque o perfume pode ser horrível, mas eu estou completamente seduzida. :)

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Comentários

Foram feitos alguns comentários que não estão visivéis, aparentemente parece que o post não tem comentários. Não sei o que se passa, também na aérea de edição não aparecem.

Uma Flor De Verde Pinho

Eu podia chamar-te pátria minha
dar-te o mais lindo nome português
podia dar-te um nome de rainha
que este amor é de Pedro por Inês.


Mas não há forma não há verso não há leito
para este fogo amor para este rio.
Como dizer um coração fora do peito?
Meu amor transbordou. E eu sem navio.

Gostar de ti é um poema que não digo
que não há taça amor para este vinho
não há guitarra nem cantar de amigo
não há flor não há flor de verde pinho.


Não há barco nem trigo não há trevo
não há palavras para dizer esta canção.
Gostar de ti é um poema que não escrevo.
Que há um rio sem leito. E eu sem coração.


Letra da canção que Carlos do Carmo levou ao Festival da Eurovisão em 1976. A letra é de Manuel Alegre.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Leap Year

Já se sabe que este filme não deve ser nada de extraordinário, mas eu gosto da Amy Adams, além disso o rapaz que faz de irmão da Chloe no Match Point é bem giro. :). Mas eles não são os únicos atractivos, também há a belissíma Irlanda.

domingo, 22 de novembro de 2009

Budapeste - Chico Buarque

Sinopse
José Costa é um escritor anónimo pago para produzir artigos de jornal, discursos políticos, catas de amor, monografias e autobiografias romanceadas que outros assinam. Um dia, regressando de um congresso de escritores anónimos em Istambul, é obrigado a fazer uma escala forçada em Budapeste. Fascinado pela língua magiar, «segundo as más-línguas, a única língua que o Diabo respeita», José Costa retorna à capital húngara, passando a ser Zsoze Costa, e tornando-se amante de Kriska, a sua professora. A obsessão de dominar completamente o novo idioma leva-o a viver num tresloucado vaivém entre o Rio de Janeiro, onde vive com a sua mulher Vanda, e Budapeste, onde passa a viver com Kriska. Budapeste é a história de um escritor dividido entre duas cidades, duas mulheres, dois livros e duas línguas, uma intrigante e por vezes divertida especulação sobre identidade e autoria.




Nos últimos anos temos assistido a uma invasão do mundo literário por pessoas famosas. São muitas as caras conhecidas que publicam livros e têm sucesso. É um fenómeno que tenho olhado com muito cepticismo, não acredito que todos tenham aquele talento especial necessário para a escrita de um livro. Talvez por isso ainda não tenha lido nenhum destes livros. Ao saber que Chico Buarque tinha publicado um livro, pensei simplesmente: mais um.
Foi no blog Scotch Gin and Soda que percebi que Chico tinha escrito outro livro Leite Derramado. Esse mesmo post dava conta que Budapeste era agora também um filme. O trailer interessou-me e assim que a oportunidade surgiu vi o filme. Falei disso aqui. Fiquei com a sensação que para melhor entender o filme teria que ler o livro, esse já eu comprara na Feira do Livro, porque não consegui resistir ao preço convidativo e porque queria tirar a prova dos nove.
Budapeste, é o primeiro livro de um escritor brasileiro que leio, isto se ignorar a leitura MUITO na diagonal de um dos livros de Paulo Coelho. Já ouvi dizer que os livros escritos em Terras de Vera Cruz sofrem uma adaptação para o nosso português, isso não acontece e por isso mesmo existem algumas palavras que dificultaram a minha leitura. Mas ler um livro naquele português de sabor adocicado e melódico não causa estranheza e muito menos a forma como Chico Buarque escolheu para contar a sua estória. Aqui não existem diálogos, existe apenas uma voz que conta factos e se inicialmente estranhei, depois entranhei e até ouvia uma voz diferente da minha ( que é a que ouço nos livros que leio) tanto que necessitei de ir ao Youtube para melhor conhecer melhor a voz de Chico Buarque. A voz tornou-se tão clara na minha mente e um cenário ídilico desenhou-se na minha imaginação fértil: uma noite de frio, uma lareira acesa e o Chico a ler só para mim...
Assim embalada, viajei até Budapeste e ao contrário do que esperava não li um livro em que cidade assume um papel, mas sim um sobre uma língua que fascina um homem. Um homem que vive ausente da sua própria vida e para encontrá-la ou para fugir dela refugia-se nessa mesma língua. A língua é a nossa pátria, mais que o território nacional e é ela que nos une a outros povos e nos afasta de outros. Já alguma vez pensaram como se diz uma palavra noutra língua? Como soará o vosso nome dito noutra língua? Pensem, por exemplo em Vera ( sim, é o meu nome) já se aperceberam que os ingleses, americanos não dizem este nome como nós?
Sobre o filme, tenho a dizer que é uma adaptação fiel do livro. E apesar de filmado em Bupapeste não cairam na tentação de torná-lo um filme com a cidade em pano de fundo. Gostei de ver as palavras tomarem forma na voz dos vários personagens, mas também achei que perdeu um pouco da magia da escrita a uma só voz.
Sobre o filme e o livro eu diria: ABSOLUTAMENTE ADMIRÁVEL.

sábado, 21 de novembro de 2009

e no seguimento do post anterior, tenho a comunicar que quem canta é a Zoey Deschannel. Só a explorar outros temas de "She & Him" é que percebi. Definitivamente um grupo a descobrir.

500 Days of Summer - Bank Dance

Se o filme é bom, este short film, vídeo musical, whatever também o é. A música usada é: Why Do You Let Me Stay Here? by She & Him.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Bright Star

Nos últimos tempos temos assistido a vários filmes que são inspirados na vida de escritores. Em Janeiro de 2010, chegará às nossas salas um filme sobre John Keats, realizado por Jane Champion. A expectativa, por aqui é grande. Fica aqui o trailer:

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Mais um centro comercial

Já abriu o Centro Comercial Vivaci, conforme dá conta esta notícia. Pelos visto é o 32º do Grande Porto. São shoppings a mais e pessoas a menos... Serão mesmo necessários tantos? Os shoppings são todos iguais. Para mim não passam de um amontoado de lojas cheias de meninas e meninos sorridentes e prestativos, mas que se percebe na maioria das vezes estarem a fazer um frete, em nome do dinheiro. Como diz a minha mãe: no Inverno é um sítio quentinho para passear e por isso as pessoas vão para lá. A sobrevivência dos mesmos fica dependente de atrairem ou não clientes. Quando abriu o Shopping Cidade do Porto, estava sempre cheio. Agora, pelo menos à semana, as únicas pessoas, que por lá circulam, são as que trabalham naquela zona e vão lá almoçar e depois vêem montras para passar o tempo até à hora de entrar. O Central Shopping, creio que ou fechou ou está às moscas. Mas mesmo perante estes cenários continuam a abrir shoppings como se não houvesse amanhã. Eu até gosto do NorteShopping, têm uma decoração bonita e tem um bocado de alma, talvez por causa dessa mesma decoração. E a zona dos restaurantes do Via Catarina é lindíssima. Agora todos os outros shoppings parecem-me iguais...

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Comentário ao comentário

De preferência, opte pelos escritores mais sãos, os que possuem um caráter digno e uma escrita fascinante, não há nenhuma necessidade de se ler alguém que mente e denigre a imagem de seus companheiros, além de ter mostrar grande orgulho em te jogar para cima dos ombros personagens loucos, desajustados e situações caóticas, sem pé nem cabeça.


Depois de ler este comentário, feito aqui, tenho a certeza que vou adorar Lobo Antunes, adoro personagens desajustados, são esses que vale a pena ler. Os ajustados são aborrecidos até à médula! Eu separo o Lobo escritor do Lobo homem, faço sempre isso a todos os famosos de quem gosto, é o melhor para não sofremos desilusões. Ninguém é perfeito e Lobo Antunes não é excepção à regra...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Previsão para esta semana

Será a sua carreira, em particular o relacionamento com os seus colegas, que estará em foco durante este trânsito. Aliás, a sua carreira poderá ser beneficiada através de uma relação mais harmoniosa com as pessoas que trabalham consigo. Daí poderá surgir um envolvimento afectivo, talvez com alguém acima de si profissionalmente que lhe proporcionará boas oportunidades de evolução. Os negócios e os assuntos de ordem profissional estão em foco durante este período.

retirado
daqui.

É por estas e por outras que as mulheres têm fama de subir na horizontal. Ainda bem que não estou a trabalhar, senão estava em maus lençóis...:) E depois ainda me acontecia como a Bridget Jones, que depois de andar com o chefe e como a coisa deu para o torto teve de arranjar outro emprego. Mas se no fim disto tudo houvesse um Darcy, eu não me importava.

domingo, 15 de novembro de 2009

Gossip Girl, where are you?

Desde, há um mês para cá, que aos domingos, a SIC tem emitido esta série, a seguir ao Fama Show. A série, na sua essência juvenil, é um bom entreternimento para dias de chuva como hoje. Sabe-se lá porquê isso hoje não aconteceu, na volta a série começa a ser emitida noutro dia qualquer. É assim que se conquistam audiências e fidelizam o público. Já que não posso encontrar-me com o Nate, vou ver se encontro o Costa e a Kriska em Bupadeste pela voz do Chico Buarque.

sábado, 14 de novembro de 2009

O QUÊ???

Todos sabemos que as editoras têm departamentos de marketing, cabe aos mesmos promover os novos lançamentos. Geralmente as capas têm citações, só de elogios, publicados em jornais e revistas. Isto leva-nos muitas vezes a comprar livros que não têm qualidade nenhuma. Eu percebo, afinal a editora têm de ganhar o seu e nestas coisas vale tudo.
Agora o que não vale é dizer parvoíces e coisas sem cabimento. Como aqui, que é dito que Stephenie Meyer é a grande revelação do milénio! Do milénio?! Ah, foram ao bruxo que fez o feitiço ao Cristiano Ronaldo que lhes disse que até ao fim deste milénio não vai haver nada melhor.
Que digam que é a revelação da geração dela, do ano, da década, ainda tolero, mas do milénio é totalmente descabido. Milénio é um período de mil anos e em mil anos cabem muitos escritores. Pessoalmente acredito que daqui a uma década ninguém se lembra desta escritora. Na volta quem escreveu isto não sabe o que significa a palavra.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A Popota e a Leopoldina


Como já disse algumas vezes aqui, gosto de séries e filmes de época. O mercado português e o americano têm uma oferta diminuta destes produtos. Mas em terras de Sua Majestade, todos os anos fazem séries deste género. Regra geral são adaptações dos grandes clássicos da Literatura Inglesa.
Olhando todas as séries que já vi como um todo e não individualmente, eu diria que encontramos retratados dois tipos de mulheres: a que pensa apenas em beleza e em ser bonita, tendo uma aura fútil, e que vê nisso a forma de arranjar marido e aquelas que têm uma maneira de ser que difere da maioria das mulheres e que não se inibem de opinar sobre tudo, nas séries, eles dizem que essas têm espírito...
Toda a gente sabe que o Modelo e Continente, são primos ( eu sei que em Econonia existe um termo para isto). Nas suas campanhas de Natal têm duas heroínas, a Popota e a Leopoldina. Geralmente são as mulheres que decidem as compras, até já ouvi dizer que em stands de automóveis, nunca contratam mulheres demasiado bonitas, precisamente, por este motivo. Assim, os homens vão lá escolhem, mas quem decide é a esposa.
Não é preciso perceber muito para ver que a maioria dos anúncios publicitários é dirigido às mulheres precisamente porque na hora H são elas que compram.
Mas o que tem a ver a Popota e a Leopoldina com a forma como retratam as mulheres nas séries de época?
Simples, a campanha é dirigida às mulheres e por isso criaram dois tipos de mulheres: a Popota corresponde aquela que é bonita, pensa na beleza e tem um ar fútil. Reparem como a roupa que veste é sempre fashion e na campanha do ano passado usavam o Toni Carreira ( esse grande ídolo feminino) e filmes que eram na sua maioria, preferidos pelo público feminino.
Se olharem a Leopoldina, ela encaixa mais no perfil da mulher que tem interesses, basta olhar o quadro de mérito na parede.
Claro que dividir as mulheres em dois grupos é esteriotipá-las até porque muitas mulheres preocupam-se com aquilo que vestem, mas não são necessariamente fúteis. Afinal, pergunto eu: a sociedade em geral ainda pensa assim? Ou são os publicitários que pensam? Ou será que sou eu que tiro conclusões erradas?

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Um simplex que é complicadex

Já disse num post que estou desempregada. Antigamente, as empresas dirigiam-se ao Centro de Emprego da aérea onde estavam e pediam que lhes enviassem candidatos que correspondessem a um determinado perfil. O centro de emprego, marcava inclusive a data e hora a que as pessoas tinham de estar na empresa.
Desconheço se este método ainda funciona, mas penso que não. Todas as ofertas são colocadas, na página do IEFP, para nós candidatos isso é bom, porque pudemos concorrer a ofertas para todos o país e conhecer ofertas para concelhos vizinhos, coisa que antigamente não acontecia. O que é péssimo é a forma como as coisas são organizadas. O desempregado, ao ver uma oferta que corresponda ao seu perfil, no dito site, pode e deve concorrer. Recebe depois, uma carta onde constam o nome de uma pessoa de contacto e um número de telefone ou e-mail. Posteriormente, deve contactar essa pessoa e solicitar uma entrevista ou então ir à empresa. A resposta que já recebi, por duas vezes que usei este esquema para encontrar trabalho foi o mesmo, envie o curriculo e depois nós chamamos para entrevista. Com isto, eu tenho de andar a gastar tempo, a enviar curriculos e dinheiro em telefonemas. Não pensem que eu não quero trabalhar, não é nada disso. Na página que referi, constam também as pessoas que estão à procura de emprego e têm lá todos os nossos dados, exactamente como num curriculo. Sendo assim, era mais fácil que o Anunciante, digamos assim, pudesse ver os curriculos das pessoas que se interessaram pela oferta e com base nos seus critérios, escolher as pessoas para entrevista.
Do modo que as coisas estão, perdemos tempo e dinheiro, nós a telefonar ou ir aos sítios e a empresa que tem de atender o telefone e as pessoas que lá vão....

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Rua Sésamo - 40 anos

Para assinalar o aniversário destes velhos amigos, aqui fica um vídeo do Egas e Becas.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A queda do Muro de Berlim

Há 20 anos, o mundo assistia à queda do Muro de Berlim. Na altura, eu era uma criança de oito anos de idade e lembro-me de ver na televisão qualquer coisa. Eu não percebia o que se passava, mas lembro-me do jornalista dizer que estavam a dar dinheiro a quem chegava da Alemanha Oriental à Alemanha Ocidental. Falaram em vinte, não sei se eram marcos ou escudos, mas eu achei aquilo tudo muito fixe, só muitos anos mais tarde é que percebi aquilo tudo. Antigamente, ninguém explicava nada às crianças ( acho que nem na escola me explicaram aquilo), elas tinham que perceber por elas e para uma criança, que não têm a noção do dinheiro vinte marcos/contos era muito!

sábado, 7 de novembro de 2009

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Popota Natalícia

Ontem, em conversa com a minha mãe disse-lhe que se um dia tiver filhos, não os deixo ver televisão até terem pelo menos 5 ou 6 anos. A minha mãe contrapôs dizendo que a televisão dá jeito para as crianças estarem entretidas enquanto eu fazia as lides domésticas. Aqui, eu disse que o pai tomava conta delas e a minha mãe disse logo: e se ele tiver a trabalhar?
À noite vi o reclame da Popota e mais convencida fiquei que eu tenho razão, aquilo é não é para crianças! Por isso, a minha casa irá ser desarrumada, caso o pai tenha de trabalhar, antes isso que expor crianças a coisas que não prestam e não ensinam nada.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Dexter em dvd

A primeira temporada de Dexter já se encontra à venda pela módica quantia de 34,99€. O Dexter é uma série com 12 episódios, na capa não há qualquer indicação de extras... Então, pergunto eu: porque diabos custa a série quase tanto como outras que têm cerca de 22 episódios? Eu acho piada quando ouço os editores a dizerem que a pirataria dá cabo do negócio, os PREÇOS é que dão cabo das vendas. Sabem quanto custa a série na Play? 16,99€. Se tivesse a certeza que nunca ia ver isto com alguém que não soubesse inglês, era lá que comprava. Esta é uma daquelas séries em que as legendas são dispensáveis.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Onda Choc - Bikini às bolinhas amarelas

Os Onda Choc juntamente com os Ministars fizeram as delícias de quem cresceu durante os anos 80. Se tivesse de escolher uma música dessa época para colocar numa cápsula ( daquelas para serem abertas daqui a 100 anos) esta era a escolhida. Ainda hoje gosto de a ouvir e quando me pedem conselhos sobre cores, eu digo sempre: às bolinhas amarelas!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Originalidade precisa-se

Foi uma das tias da minha cunhada que fez o vestido de noiva. A senhora foi generosa e ofereceu-se para fazer também a minha roupa. Inicialmente aceitei, mas depois acabei por declinar a oferta. Tinha de viajar para Lisboa para fazer provas e comprar tecidos, e isso fazia com que o custo fosse igual ao comprar aqui ou mesmo mandar fazer.
Mas na fase em que ainda pensava no assunto, procurei diversos blogs, sites de onde pudesse tirar ideias para a roupa e guardei-os nos favoritos.
Hoje, ao ver o que cá está e já não é preciso ( eu tenho o hábito de pôr muitas coisas nos favoritos, apenas temporariamente, enquanto procuro o que quero) dei com este blog. As fotos são líndissimas, mas nem é isso que me chama mais a atenção, é mesmo a simplicidade e muitas vezes originalidade com que se vestem os noivos. Muitos vestidos não são cai-cai, os sapatos das noivas são da cor dos vestidos das damas de honor, os vestidos são curtos, poucos véus, os noivos não usam gravata e usam mesmo havaianas ou sapatilhas.
Quando vejo fotos de casamentos em blogs portugueses, a sensação que tenho é que são sempre as mesmas fotos e o problema não está nos fotografos. Está nas noivas que se vestem todas com vestidos cai-cai, saia tipo princesa com caudas longas e véus que ficam na entrada da igreja enquanto a noiva já está no altar. Os noivos também estão todos esganados pelas gravatas e cheios de calor com os casacos.... Chateia-me esta mania de porem tudo igual aos outros, será que não têm imaginação?

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Thomas Hardy - o deprimido ou o realista?

Ainda não tive oportunidade de ler o Thomas Hardy, mas graça à rádio e a televisão já ouvi/vi várias adaptações dos seus livros.
Geralmente, quando se fala em Thomas Hardy, os ingleses trocem o nariz apelidando-o, de deprimido, pessimista e justificando a vida que levou para as estórias que contou nos livros que escreveu.
Pessoalmente, não vejo nele um pessimista, vejo alguém que conseguiu retratar com bastante rigor as normas sociais da época em que viveu. Os livros dele têm finais pouco felizes ao contrário do Dickens ( que também só conheço de adaptações) que nos brinda sempre com o Happy Ending embora também critique a sua época.
Cada um tem os seus gostos, mas parece que esta rejeição ao Hardy nasce de uma ideia romantizada da vida e da literatura em que só sabe bem se o final for feliz.
Pessoalmente não gosto de finais felizes ou finais infelizes, gosto sim de finais justos e realistas. Isto aplica-se tanto a filmes como livros. Claro que alguns, como têm o sabor Conto de Fadas, nunca poderão ser realistas, mas quando falamos da realidade, o melhor final é aquele, do qual pudemos dizer: se isto fosse realidade era assim que acontecia...

domingo, 1 de novembro de 2009

Whatever Works

Estive agora a ver o site do sapo para as estreias de cinema e vi que ainda não há data para o filme Whatever Works do Woddy Allen. Por mera curiosidade fui ver a página do filme no imdb e reparei que o filme já estreou em diversos países. Olhando o cast do mesmo percebi porque ainda não estreou cá, não têm ninguém famoso no elenco...Tenho para mim que este é o critério de escolha dos filmes a estrear no nosso país.

sábado, 31 de outubro de 2009

Parabéns - Kim Rossi Stuart




O meu actor italiano preferido faz anos. Parabéns pelas 40 primaveras!




O Amante

A RTP2 exibe hoje às 00h22m, o filme O Amante, trata-se da adaptação do livro com o mesmo nome de Marguerite Duras. Já vi este filme diversas vezes e li o livro, é certo que muita gente não gosta, talvez porque retrata a paixão e o amor de uma forma bastante crua e quem gosta de estórias lamechas, poderá não gostar. Para mim o melhor é quase no fim quando é dito: e então ele disse que continuava a amá-la como antes e que nada iria mudar isso. Haverá maior prova de amor?
Leiam aqui uma sipnose do filme no site da RTP2. Este é um daqueles casos que é melhor ver primeiro o filme, porque isso facilita a leitura do livro, que já aviso não ser fácil.
Para finalizar vejam o trailer:

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Dirty Dancing

Para encerrar esta semana de dança nada melhor que rever o fim do Dirty Dancing e ver o Patrick Swayze, afinal ele é que foi o impulsionador desta minha paixão pela dança...
Para ver cliquem aqui.

Momento Bridget Jones

Pois é acontece a todas as mulheres terem momentos à la Bridget Jones. O meu foi este, exactamente igual a quando o Cleaver lhe diz que não se escreve assim uma palavra qualquer. A minha memória falha neste momento, já li o livro há uns bons anos. Eu até agradeço a correcção e as ditas palavras já foram devidamente corrigidas, com a agravante de as escrever 100 vezes, como na escola primária. Posto isto só me resta dizer como a Amanda Price: never mind the Bingley, bring up the Darcy.

P.S: Não fiquei ofendida com o reparo, e para prová-lo fiz este post. Se escrevi desta forma, é porque eu tenho um sentido de humor diferente, é negro como a noite...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Pulp Fiction

eu confesso: nunca vi o Pulp fiction e nenhum dos filmes do Tarantino. Mas esta cena já foi tantas vezes recriada e mencionada noutros filmes e séries que se tornou mais famosa que o próprio filme e de certa forma mítica. Por isso, não podia deixar de a incluir nesta selecção.


quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Orgulho e Preconceito

Nos tempos de Jane Austen, a dança tinha outro valor. Poucos eram os momentos que um cavalheiro podia interagir livremente com uma dama, a dança oferecia assim um momento único para trocar algumas palavras longe de ouvidos indiscretos. Nesta cena, Darcy e Lizzy dançam, mas como ela não gosta dele, a conversa é algo azeda, embora como diz o Sir Lucas é um prazer vê-los...

90 Livros Para Pessoas Com Pressa

Recebi a newsletter da Wook, a anunciar este livro. Sinceramente não percebo a piada de ler resumos de livros. Quem os ler, numa conversa com alguém que leu o livro, de certeza que essa pessoa percebe. Não se pode comparar um resumo à leitura efectiva do livro. Com tantos livros bons para traduzir, como este, porque é que perdem tempo com estas patetices?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Clooney casa-se na costa portuguesa

Isso dos paparazzi não me convence, para mim é para na hora H se tiver dúvidas atira-se ao mar. Espero que ninguém fique chocado, mas não acho muita piada ao Cloney, é giro, até sabe representar, mas o meu coração ele não consegue conquistar.

Dirty Dancing 2 Havana Nights

Verdade seja dita, o Dirty Dancing 2 não é um filme brilhante e nem consegue ter um argumento que seja original e diferente do primeiro filme. No entanto a Romola Garai e o Diego Luna tem carisma e talento suficiente para conseguir fazer do filme um bom momento de diversão. Nesta cena Diego e Romola, dançam para tentar ganhar um concurso. Não dá para colocar o vídeo, por isso vejam aqui.

Assistente comercial / caixa - p/entidade bancária

Requisitos:
- Licenciatura em Gestão ou Economia;
- Experiência anterior na área da Banca (factor eliminatório);
- Idade até aos 26 anos;
- Boa apresentação;
- Excelente capacidade de comunicação;
- Perfil comercial;
- Disponibilidade imediata;
- Situação de primeiro emprego
felizmente ou infelizmente não posso concorrer a este anúncio ( não preencho alguns dos requisitos) mas pergunto-me se será possível encontrar alguém em situação de primeiro emprego, que já tenha tido experiência na banca. Há anúncios que é cada tiro cada melro.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Jonh McLaughlin - So Close

Se há filme que me encantou foi o Enchanted. Nesta cena em que Robert e Giselle dançam ilustra bem aquilo que o Patrick Swayze disse.

Lobo Antunes

O escritor diz que nunca empresta um livro de que goste, "porque o meu exemplar foi escrito só para mim e tenho a fantasia de que os outros exemplares dizem coisas diferentes". "Leio o Monte dos Vendavais, de que gosto muito, e ela [Emily Brontë] fez o livro para mim, sabia que eu ia nascer. Um bom livro é um livro que foi escrito para mim e que me revela a mim mesmo."

In Diário Digital.



Esta menção valeu ao António ser citado pelo BronteBlog e ser mesmo apelidado de Brontëite (admirador do trabalho das irmãs Brontë)
Eu já gostava dele mas agora que percebo que gosta das irmãs Brontë ( ainda tenho de descobrir o que pensa das outras) a minha admiração cresceu. Um dos meus livros favoritos é a Jane Eyre escrito pela Charlotte, o Monte dos Vendavais ainda não li.

domingo, 25 de outubro de 2009

Let's Dance

O Patrick Swayze disse que para ele a dança era a forma mais intensa de se ligar a outra pessoa. Tão antiga quanto a música deve de ser a dança e como é algo de que gosto muito, decide que durante a próxima semana irei colocar aqui alguns momentos dançantes de alguns filmes.

Chico Buarque - Futuros Amantes

Já conhecia esta canção, fazia parte da banda sonora de uma novela que passou na televisão em meados dos anos 90. Na novela era cantada por uma mulher, possivelmente Maria Bethânia ou outra grande voz brasileira. Há dias encontrei este vídeo no youtube, enquanto pesquisava sobre o musical " A Ópera do Malandro" da autoria do Chico Buarque. Desconhecia que esta canção era dele, gostei de ouvi-la na voz dele e também de saber a origem da mesma...

sábado, 24 de outubro de 2009

August Rush - O Som do Coração

Este filme pode ser visto como uma versão moderna do livro Oliver Twist. No entanto, existem diferenças que distinguem os dois e não falo na forma de falar, de vestir ou até porque os tempos hoje são diferentes. August Rush têm uma magia que a estória do Oliver não tem, isto julgando pela adaptação a filme que vi uma vez.
Evan Taylor tem onze anos e viveu toda a sua vida num orfanato. Como todos os orfãos acalenta o sonho de um dia encontrar os pais. Só que Evan acredita que esse encontro se dará através da música, se ele aprender a tocar, os pais irão ouvi-lo e virão ao seu encontro. Como acredita na música da mesma forma que muitos de nós acreditam em contos de fadas, Evan abandona o orfanato e seguindo a música de ouve chega à grande cidade de Nova Iorque.
A estória não começa aqui, começa onze anos antes, quando Lyla, uma conceituada violoncelista, conhece Louis, o vocalista de uma banda rock. Numa festa Lyla decide seguir a música indo parar ao telhado onde está Louis.
Neste filme, a música tem um papel importante, a música, o som musical, não vem só dos instrumentos, pode vir de qualquer objecto que emita um som. Sem dúvida um filme que vale a pena ver numa tarde chuvosa e fria que aquece o nosso coração com o sabor a conto de fadas que tem, sem no entanto ser lamechas. Além disso é uma rara oportunidade de ver o Jonathan Rhys Meyers a cantar.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Vender gato por lebre

Desde que fiz uma colecção da Planeta Agostini que recebo de vez em quando a newsletter com as novidades. Desta vez uma casinha de campo chamou-me atenção para ir ver o site deles. Andei a pesquisar as colecções e vi uma gira de bonecas de porcelana, vestidas de determinada época. Decidiram dar nomes às mesmas e qual não é a minha supresa ao ver que são todas de livros. Seria uma excelente colecção, embora não seja coisa que me fascine, mas existe um problema. As bonecas estão vestidas erradamente, quem já viu dezenas de séries de época como eu, sabe mais ou menos com é a roupa de cada altura. Não posso confirmar para todas as bonecas, mas é certo que algumas não estam vestidas como as personagens dos livros que representam.
Podem espreitar aqui.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

The Pretenders - Don't Get Me Wrong

Há músicas assim, sem nada de especial que se tornam especiais e nunca me canso de as ouvir.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Portugal é só Lisboa

Todos nós sabemos que Portugal é só Lisboa, é a nível do dinheiro do Estado, é a nível cultural, é nível de eventos, enfim, Lisboa é o PAÍS e o resto é paisagem. Mas, agora aconteceu a melhor de todas estas coisas. A Jimmy Choo ( conhecida marca de sapatos) vai passar a estar à venda na H&M, mas só na loja do Chiado. Pessoalmente, não é coisa que me afecte porque não gosto dos sapatos, são de salto alto e acho-os feios. Irrita-me este centralismo do país. Eu sei, porque estive a ver o site deles que os sapatos só vão estar à venda em lojas selecionadas, mas em Espanha, por exemplo, há em várias lojas espalhadas pelo país e não unicamente nas lojas de Madrid.
Eu não gosto da roupa da H&M, houve tempos em que comprei lá algumas coisas e até tinha roupa gira. Agora, para mim pelo menos, não há nada que me agrade. Se às vezes lá vou é mesmo por descarga de consciência quando procuro alguma coisa e já corri todas as opções possíveis. Se fosse cliente nunca mais lá punha os pés. Estas coisas de ser tudo para a capital dá-me nos nervos.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

o bom da música do Rodrigo Leão é se reconhece logo ao primeiro acorde, ainda que seja uma canção que se conhece menos. O som dele é ÚNICO.


( constatação feita por ter o media player em modo aleatório)

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Maitê

eu até já tinha decidido não perder o meu tempo a falar do assunto, mas tanto li e ouvi que não consigo deixar de o fazer.
Os portugueses têm o direito de estar indignados, mas eu acho que estão a ferver em pouca água. Eu acho que o vídeo envergonha mais a actriz em causa de que a nós. Demonstra que não sabe história de Portugal e toda aquela conversa que adora o nosso país é só para inglês ver. Será que é isso que mais fere as pessoas? Descobrirem aquilo que a actriz diz é na realidade uma mentira?
Eu, sinto-me decepcionada, mas não é com ela e sim com os portugueses que querem perder tempo com petições e respostas. Se querem causas para lutar, existem muitas asssociações de solidariedade, protecção do ambiente, etc ondem podem dedicar o vosso tempo. Se isto não chegar façam petições para a tradução de bons livros , baixar o preço dos livros, dos dvd's, cd's, pelo lançamento de bons filmes nas salas e outras coisas que merecem atenção.

domingo, 18 de outubro de 2009

Anúncio Original

este anúncio está muito original, mas se eu fosse homem sentia-me ofendido porque dá a ideia que os homens não sabem mentir e acreditam em tudo até no Pai Natal.:)

sábado, 17 de outubro de 2009

Quem Quer Ser Bilionário? Vikas Swarup

Se houve concurso que prendeu a minha atenção foi o "Quem Quer Ser Milionário?". Muitas vezes fiquei surpreendida por os concorrentes não saberem responder a perguntas, que na minha opinião eram simples, simples até demais. O inverso também acontecia, como é que eles sabiam coisas que eram complicadas? A isto podemos chamar sorte, destino. De certa forma, a história contada por Vikas Swarup reforça esta ideia.
Este livro tem como base o famoso concurso, mas na sua versão indiana, em quase tudo semelhante à que conhecemos da TV. Ram Mohamed Thomas, um simples empregado de mesa, sem qualquer instrução vence o concurso. Como não é possível que alguém sem instrução vença um concurso de cultura geral, acaba por ser preso. Aparece então Smita, uma advogada disposta a ajudá-lo a provar a sua inocência. Inicialmente desconfiado das suas boas intenções, Ram acaba por lhe contar a história da sua vida e é nela que reside a chave para o mistério de ter vencido o concurso.
O livro não têm muitas semelhanças com o filme que este ano fez furor nos Óscares. São histórias diferentes embora tenham a mesma base e alguns personagens comuns. O filme é aquilo a que se chama uma adaptação muito livre. Uma das críticas feitas ao filme é que o mesmo seguia a linha temporal da vida do personagem nas perguntas, essa ordem não acontece no livro, em cada capítulo temos um novo episódio da vida de Ram, que nunca é sequencial ao anterior. O livro torna-se uma especie de puzzle.
O livro contém todo o tipo de malfeitores e por isso é muito mais negro que o filme. A história do filme foi adoçada. De qualquer das formas, vale a pena ler o livro e ver o filme. São ambos bons e ultrapassam a mera ideia de bom entertenimento.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Anos 80: À Queima-Roupa

O canal Foxlife não é canal do qual eu goste, além de ter poucas séries que me interessam, apostam demasiadas vezes em séries que terminar abruptamente a meio da segunda ou mesmo primeira temporada. Claro que se são séries que começam agora ninguém adivinha que serão canceladas, mas muitas séries já são de 2006,2007 por isso sabe-se que terminam sem terem um fim, o que é muito frustante.
Todas as vezes que vi a promoção - diga-se é muito fraquinha - à série Anos 80: À Queima-Roupa, tive a estranha sensação que já tinha visto em algum lado a mulher que aparecia. Decidi ver e assim descobrir o nome dela para pesquisar no IMDB. Lá consegui ver quem era a senhora e fiquei colada ao ecrã com esta nova série.
Ashes to Ashes, no original é uma verdadeira lufada de ar fresco, a série em questão é inglesa. Pessoalmente canso-me de ver na Tv tantas séries americanas e poucas inglesas, sei que em terras de sua Majestade, as séries costumam ter qualidade e não ficam a dever às americanas, contudo poucas são as que chegam cá.
A história é uma mistura de policial com ficção cientifica e uma pitada de comédia romântica. Estamos em 2008, Alex Drake, inspectora da policia, leva a filha à escola, quando é chamada. Um homem tem uma mulher refém e quer falar com ela. Após alguma tensão e negociação, o homem acaba por libertar a refém e fugir. Mais tarde ao entrar no carro, Alex é novamente abordada pelo o homem, que a faz refém, levando-a para um sítito isolado. O homem acaba por lhe dar um tiro. Quando acorda Alex não está no hospital, está vestida de uma forma estranha e está em 1981. Levada para a esquadra, Alex descobre que é a inspectora que Gene Hunt e os seus colegas têm estado à espera. A vida não é fácil para Alex, tem de descobrir como voltar para casa, tem de lidar com a falta de meios daqueles dias, a maquilhagem e roupa horrorosa e como tudo isto não bastasse ainda tem de lidar com o machismos dos seus colegas e o não muito fácil de lidar Gene Hunt.
Esta série, como disse é uma lufada de ar fresco, principalmente numa altura em que nas séries de polícias e ladrões, conseguem descobrir o criminoso, porque este espirrou no local do crime. Aqui não há ADN, telemóveis, computadores com bases de dados de criminosos, etc, etc. É tudo feito à moda antiga, temperado com música daquela época e que bem sabe ver uma série assim! Amanhã serão transmitidos os 3 primeiros episódios, a partir das 21h25m. Aqui ficam dois trailers:






quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Não gostar de António Lobo Antunes

Há uns anos vi uma entrevista com o António Lobo Antunes e fiquei absolutamente fascinada por ele, tanto que fui comprando os seus livros e até fui a uma sessão de autografos no já distante ano de 2004. Antes da sessão propriamente dita, o Lobo Antunes falou e respondeu a algumas perguntas, fiquei ainda mais fascinada e de sorriso nos lábios, quando ele ao autografar os livros não o fazia de uma forma mecânica e sim demorada, olhando os livros, com certeza devia de querer apreciar as capas já que eram edições e livros diferentes.
Contudo até à data ainda não li nada, vou adiando de dia para dia, de mês para mês, de ano para ano... No fundo porque tenho receio de me desiludir, é um bocado como estar apaixonada por um amigo e temer perder essa amizade por o amor não ser correspondido.
Em blogs, foruns encontro muitas acusações a Lobo Antunes, que é arrogante, convencido, vaidoso e todas aquelas coisas simpáticas que se dizem de alguém de quem não se gosta.
Além disso existem ainda acusações que ditam que os livros dele não prestam, alguns ainda reconhecem o mérito de um ou outro livro, mas se Lobo Antunes se tivesse dedicado à psiquiatria é que tinha feito um bem à sociedade.
Reconheço que nós, seres humanos, na nossa diversidade gostamos de coisas diferentes e se eu deliro a ouvir o grupo X, isso não significa que o meu vizinho também goste. Mas no caso do Lobo Antunes tanta má língua, tantas acusações faz-me pensar noutra coisa: a famosa dor de cotovelo que tanta gente parece sofrer.
Possivelmente, e aqui baseio-me em opiniões que já li, a escrita de Lobo Antunes, não será muito fácil e logo exigirá um esforço maior, não será concerteza o indicado para a ler no comboio, no percurso casa - escola ou trabalho. Daí uma primeira tentativa resultará em frustação e ao inevitável abandono do livro. Isto até podia ser verdade para um outro autor, mas lembrem-se que estamos a falar de Lobo Antunes cuja a fama de ser arrogante o procede e é português. Todos sabemos que encontramos mais facilmente pessoas que leram a obra toda de um qualquer escritor estrangeiro a terem lido sequer um livro de um escritor português. Assim, está em causa um certa arrogância por parte do leitor e um certo embarasso em admitir uma verdade simples: não consigo entender este gajo, bem podia ter ido plantar batatas a escrever livros. É por isso que acho que no fundo existe aqui uma dor de cotovelo, eu não consigo gostar então o problema não está em mim mas nele e a isso acrescenta-se o velho adágio, é português, não presta, etc, etc.
Acredito que não há melhor qualidade do que admitir que não somos capazes, mas infelizmente os portugueses não são assim. Em vez de admitirem as suas limitações gostam é de atirar pedras...

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Nostalgia

não gosto nada da animação 3d, o que eu gosto mesmo é de bonecos coloridos, que mexem e são malucos. :) A melhor versão do Conto de Natal do Charles Dickens foi feita pelos Marretas. Também gosto da animação 2d, mas 3d não. Por isso aqui fica o génerico inicial dos Marretas.



terça-feira, 13 de outubro de 2009

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Match Point

Ontem, a Sic anunciava este filme para as 23horas. Embora o horário entrasse em conflito com o horário da série Pedro e Inês, fiquei contente por ver um bom filme num horário decente. Como ontem a minha série só seria transmitida perto da meia-noite, pensei em ver o principio do filme. Não começou às onze e quando voltei a ligar às onze e meia ainda se discutia politica. Vi então o Pedro e Inês e perto da uma hora voltei a mudar e ainda se discutia politica. Não sei se o filme chegou a ser transmitido, mas se não foi, acredito que quem estava à espera de ver ficou desiludido....

domingo, 11 de outubro de 2009

a campanha da Vodafone

A Vodafone é a minha rede, mas sinceramente não consigo entender as suas politicas comerciais. Não gostei muito da sua nova campanha publicitária, mas gostos não se discutem. Li aqui que não tencionam traduzir o lema para o português porque é de díficil tradução, perde-se o sentido, etc. Eu sei que cada vez mais utilizamos expressões em inglês e parece que esta língua domina o mundo. Agora não atirem areia para os olhos dos clientes e público em geral dizendo estas barbaridades sobre a tradução dificil... Há de facto expressões inglesas complicadas de traduzir mas esta não é uma delas...

sábado, 10 de outubro de 2009

Mostra de obra de pessoas que não sabem desenhar

não preciso de ir ver isto para comprovar o óbvio, eu sou a prova viva que há pessoas que não sabem desenhar e não ao contrário do que muita gente pensa as aulas de educação visual não ensinam ninguém a desenhar, é um talento que nasce com a pessoa...

OST

Desde que vi o filme 500 Days of Summer que não consigo parar de ouvir as músicas que fazem parte da banda sonora, ouço quase todos os dias. Aqui fica a track list:


01. Mychael Danna & Rob Simonsen - A Story Of Boy Meets Girl 1:35
02. Regina Spektor - Us 4:49
03.The Smiths - There Is A Light That Never Goes Out 4:03
04. Black Lips - Bad Kids 2:08
05. The Smiths - Please, Please, Please, Let Me Get What I Want 1:52
06. Doves - There Goes The Fear 6:56
07. Hall & Oates - You Make My Dreams 3:05
08. The Temper Trap - Sweet Disposition 3:53
09. Carla Bruni - Quequ'un M'a Dit 2:44
10. Feist - Mushaboom 3:44
11. Regina Spektor - Hero 3:31
12. Simon & Garfunkel - Bookends 1:20
13. Wolfmother - Vagabond 3:47
14. Mumm-Ra - She's Got You High 3:25
15. Meaghan Smith - Here Comes Your Man 3:14
16. She & Him - Please, Please, Please, Let Me Get What I Want 2:12

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Mistérios

Para hoje proponho que façamos todos, eu e quem me lê um pequeno exercício mental. A RTP é financiada pelo Estado, o Estado obtém as suas receitas através dos impostos que pagamos, logo qualquer programa ou filme que tenha o apoio da RTP envolve o dinheiro de todos nós.
Se um filme diz nos seus créditos finais que é uma co-produção brasileira, húngara e portuguesa, podemos considerar que o mesmo é 15% português, junte-se a isso a participação de dois actores portugueses e ainda no ínicio a menção do apoio da RTP.
Então porque é que o filme Budapeste, adaptação do livro de Chico Buarque com o mesmo nome, ainda não estreou em Portugal e nem tem data anunciada na secção de cinema do Sapo, quando no Brasil estreou em Maio? É que nem no tempo das caravelas do Pedro Alvares Cabral as coisas demoravam tanto a chegar a Portugal.
Acredito que há aqui algum elemento estranho nesta situação e para casos estranhos nada melhor que chamar o Mulder e a Scully para investigar, por isso já entrei em contacto com eles.



P.S. Em relação ao filme reservo o meu comentário para depois de ler o livro. Penso que o filme é daqueles que lendo o livro se percebe melhor.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

E cada vez que ficarem com uma música na cabeça depois de a ouvirem num filme, consultem este site para saber qual é.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

500 Days of Summer

Desde que vi este trailer que fiquei com vontade de ver o filme. Há dias li num forum que a Castello Lopes decidiu lançar o filme directamente em DVD. Isto foi motivo de uma grande alegria, aqui está uma editora que pensa em pessoas que como eu estão desempregadas e por isso têm pouco dinheiro para ir ao cinema e têm de fazer escolhas. Ao lançar o filme em DVD, a Castelo Lopes poupa-me a módica quantia de 15 euros. Ao contrário de outros filmes que passam no cinema os que são lançados directamente em DVD, saem por cerca de 15 euros, só aí poupo 5 euros, mais 5 do bilhete de cinema, faz dez, se a isto juntar os cerca de 2 euros para transportes, sim porque não vivo junto a nenhum shoping mais 3 que gastaria no lanche ( bolo+ sumo) poupo 15 euros. Agora que a Castello Lopes me poupou dinheiro, só tenho de decidir onde gastá-lo. Estou TÃO feliz que até estou a pensar escrever duas cartas, uma a agradecer esta iniciativa à poupança e outra a quem decidi as condecorações do 10 de Junho, uma editora assim merece esta distinção, não acham??
Como fui privada de ver o filme, decidi gastar uns bytes e ver o filme, fazendo jus ao ditado: quem não tem cão caça com gato.
A tagline do filme é fantástica e de certa forma diz tudo: rapaz conhece rapariga, o rapaz apaixona-se, a rapariga não.
O filme é um bom retrato das relações amorosas que muitos de nós já vivemos: gostamos de alguém mas esse alguém não gosta assim tanto de nós. Numa mistura deliciosa de romance, comédia e com certeza drama somos levados a conhecer a relação de Tom e Summer, desde o dia 1 ao dia 500.
Ao contrário da maioria dos filmes sobre relações amorosas, este não conta a história pelo lado feminino, mas sim pelo masculino. Por isso demonstra aquilo que eu já sabia, mas muitas mulheres acham que não, afinal o sexo masculino também tem sentimentos e sofre tanto como nós nas questões amorosas.
De salientar ainda as boas interpretações e uma excelente banda sonora. Acredito que este filme possa vir a ser nomeado para um oscar.

domingo, 4 de outubro de 2009

Eros Ramazzotti Un' altra te

quase não tenho palavras para dizer o quanto gosto desta música, é daquelas que NUNCA me canso de ouvir. Uma música tão bela associada a um filme igualmente belo só pode originar um maravilhoso vídeo.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Anúncio JB

Nesta altura parece-me pertinente colocar aqui este anúncio, se bem que o casamento de domingo será MUITO tradicional. :)

Onde está o Wally?

é o caso desta notícia, só que me vez do Wally eu pergunto aonde está a notícia? Portugal é referido diversas vezes em filmes, séries, feitas nos Estados Unidos e noutros países, claro que não é todos os dias, mas aparece. Eu não gosto dele, mas não é por isso que isto me irrita é por todo este endeusamento que existe à volta dele e a qualquer coisa que esteja ligada a ele...

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

não há casório

Afinal o Lobo Antunes já não vai casar com a brasileira. Ao ler isto fiquei a pensar até que ponto haveria realmente amor da parte dela... Não conheço o Lobo Antunes, mas lembro-me de uma sessão de autografos em que ele antes de dizer algo íntimo perguntou se não havia para aí jornalistas... Por isso acredito que ele nunca iria dar entrevistas em que só faltou dizer as posições e quantas vezes fizeram amor... Possivelmente, ele não está contente com isto.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Aniversário dos Ficheiros Secretos

Embora com alguns dias de atraso, não podia deixar de assinalar o 16º aniversário da exibição do primeiro episódio dos Ficheiros Secretos nos Estados Unidos. Aqui fica o vídeo de promoção do primeiro episódio e uma promoção feita pela TVI em 1998, aquando do ínico da terceira temporada. Esta é talvez a melhor promoção feita, usaram o discurso do ínicio do próprio episódio, que é simplesmente fantástico.





domingo, 27 de setembro de 2009

O Padrinho do meu Padrinho

Num dia da semana passada encontramos o Padrinho do meu Padrinho. Acho sempre piada quando falamos nele precisamente por ser para o meu Padrinho aquilo que ele é para mim. Entre as conversas do costume em que se pergunta se está tudo bem e se responde o mesmo. Ele disse que hoje comemora 50 anos de casado, ia haver festa, uma cerimónia na igreja. Por isso para assinalar essa data, fica aqui esta música que traduz na perfeição um amor que dura há tantos anos.

sábado, 26 de setembro de 2009

Paul Mccartney - We All Stand Together

Em tempos, eu e umas colegas de trabalho íamos na hora de almoço até ao jardim Botânico. O jardim tem vários lagos habitados por sapos. Uma das minhas colegas chegou mesmo a pegar num deles e a perguntar se ele era um príncipe... Toda a gente sabe que não, a verdade é que é preciso beijar muitos sapos até achar um principe... Enfim, ela gostava muito desta canção e como a encontrei algures na blogosfera aqui fica.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Pagar ou não pagar eis a questão

Será que nos dias que correm faz sentido a mulher aceitar que o homem pague ou sentir-se ofendida quando ele não paga?
Este é um assunto algo controverso, nos dias que correm todas as mulheres trabalham e sendo assim disponhem de dinheiro para pagar o seu bilhete de cinema. Antigamente, não era tanto assim e talvez por isso criou-se o hábito de ser o homem a pagar. No entanto, muitas mulheres dizem que só saem com homens se eles pagarem e sentem-se ofendidas se eles decidiram não o fazer. O assunto está longe de ter um consenso. Pessoalmente, sou contra o homem pagar, pelo simples motivo que não acho justo que ele tenha de pagar tudo, cria-me a sensação que me estou a aproveitar dele. Outros pensarão diferente, até já ouvi histórias em que na hora que chega a conta elas vão à casa de banho. Para tudo pode haver sempre um consenso, por exemplo, o homem paga hoje e amanhã será ela a pagar...

A minha ausência

O meu modem decidiu pedir a reforma e daí a falta de posts nos últimos dias. Hoje consegui resolver o problema. Até ao dia 4 de Outubro, o dia C, o blog não irá ser actualizado tão regularmente como até aqui e os comentários poderão demorar mais a ser publicados. A partir dessa data ou melhor do dia 6, já que a 5 irei estar exausta, o blog retomará a actividade normal.

domingo, 20 de setembro de 2009

sábado, 19 de setembro de 2009

Firelight makes time stand still. When you put out the lamps and sit in the firelight's glow there aren't any rules any more. You can do what you want, say what you want, be what you want, and when the lamps are lit again, time starts again, and everything you said or did is forgotten. More than forgotten it never happened.
do filme Firelight

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O fascínio das marcas

Nunca entendi o fascínio que algumas pessoas têm por marcas, principalmente quando falamos de roupa, calçado, acessórios e maquilhagem. Reconheço que os produtos de marca têm mais qualidade, mas também já li alguns comentários que dizem que os vernizes comprados nos chineses são melhores do que aqueles de marcas conhecidas de cosmética.... Olhando a roupa, percebo que o corte é melhor bem como os tecidos usados, mas serão realmente mais bonitos que aqueles à venda em qualquer Zara do país? Pessoalmente acho que não. E não digo isto porque, obviamente não tenho dinheiro para artigos de luxo, mas porque não lhes encontro atractivos e não vejo neles nada de especial que justifique o preço exorbitante que custam. Há uns dias lia num blog que havia mulheres dispostas a pagar por uns sapatos aquilo que ganhavam num mês!! Não pretendo criticar ninguém, mas acho um bocado exagerado tudo isto, se a pessoa pode pagar, paga mas se não pode não paga. Penso que vivemos numa verdadeira Feira de Vaidades, em que ostentar artigos de marca é OBRIGATÓRIO e claro natural. Pergunto-me até que ponto ter uma carteira Channel, uns sapatos Manolo Blahnik, roupa Ralph Lauren fará alguém gostar de nós???
No fim de Setembro, a RTP2 emitirá o fim da segunda temporada do Dexter e pensava eu que iam avançar com a terceira. Mas estava errada, vão emitir a segunda temporada do Chuck. Nada contra o Chuck, mas isto não têm lógica nenhuma. Pelo simples facto, que a primeira temporada foi emitida na RTP1 à tarde, não sei bem se ao sábado se ao domingo. Então porque raio é que série vai ser emitida na RTP2? Não tinha mais lógica avançar com a terceira temporada do Dexter?? Eu já estou mesmo a ver o filme, primeiro o Chuck, depois possivelmente o 24 e depois possivelmente dão a quarta ou quinta temporada do Dexter, afirmando que o pessoal quer ver séries frescas, e a terceira fica na prateleira. Já fizeram isso a quatro temporadas do Serviço de Urgência, por iss não me admira que façam agora o mesmo. Enfim, quem quer ver séries ou vê nos canais de cabo ou então...

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Patrick Swayze (1952-2009)

O Dirty Dancing está para as mulheres com mais de 25 anos como o Twilight está para as de menos de 25. Não são grandes filmes mas sabe-se lá porquê, o mulherio ADORA-OS. Claro que aos 6 anos é-se demasiado jovem para o filme, graças a Deus pelas irmãs mais velhas das vizinhas que tinham visto o filme no cinema. Após a primeira visualização o filme atinge logo um lugar nos preferidos e ainda que aos 28 reconheçamos que aquilo tem ali dois ou três bons actores, boa música e dança e o resto não é nada por ali além, isso não tira prazer a cada visualização, nem impede de ver vezes sem conta.
Hoje o mundo despede-se de Patrick Swayze, com quem todas nós queriamos aprender a dançar. Nunca me converti numa fã, mas vi algum do seu trabalho. Não o acho um actor com muito talento e até acho que a escolha de papéis nem sempre foi a mais acertada. Contudo, não deixo de sentir tristeza pela sua morte. Vejam aqui o momento final do Dirty Dancing. Eu espero que o Patrick tenha tido the time of his life.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Sem palavras

Se a letra de uma canção pode dizer muito, uma que não tenha também pode... É o caso desta, a música é do filme O Amor Acontece ( Love Actually) e chama-se PM's Love Theme. Atenção que o vídeo contém alguns spoilers para quem nunca viu o filme. Curiosamente a música já foi usada nos trailers dos filmes Orgulho e Preconceito ( Pride and Prejudice) e A Jovem Vitória ( The Young Victoria)

domingo, 13 de setembro de 2009

ANTHERO - O PALÁCIO DA VENTURA

A RTP2 exibe este filme hoje depois do telejornal, sem dúvida um filme a ver para quem quer conhecer melhor este poeta.
Reparo agora que só falo de coisas que vão dar nos canais da RTP. Não, não tenho nenhum acordo para divulgar a programação deles, mas é sempre nestes canais que encontro alguns motivos para ligar a televisão.

Carlos Paião e Herman José-Prás sogras que encontrei na vida

A minha mãe está prestes a tornar-se sogra e por isso esta canção parece-me apropriada, embora ela não corresponda em nada ao que é dito.

sábado, 12 de setembro de 2009

Pedro e Inês

A RTP Memória vai exibir a série portuguesa Pedro e Inês. Como apaixonada por história, principalmente por esta história de amor não posso perder. Esta será a minha terceira tentativa para ver esta série. Como sabemos a RTP 1 muda continuamente os horários das suas séries e isso torna impossível acompanhar qualquer programa. A segunda vez que vi foi na RTP Africa, mas só apanhei os últimos episódios e mesmo assim ouve uma ou duas semanas que não deu. Desta vez quero acompanhar do principio ao fim, só que não posso. Escolheram os domingos às 23 horas e há um domingo que é dia C de Casamento e por isso não irei ver. A estreia está marcada para o próximo dia 20 de Setembro.

Crise?? qual crise???

Isto já está esgotado e segundo um comentário de um dos membros do fórum da Estante de Livros, está também esgotado nas fnacs e wortens de todo o país. É nestas alturas que eu pergunto: onde está a crise? É que a julgar por isto ela não existe. Eu sei que muita gente em Portugal até tem salários altos e pode dar-se a estes luxos mas serão assim tantos que esgotem o produto em todas as lojas?? Afinal quando dizem há muita gente com salários baixos não é verdade ou então o português recorreu ao crédito para comprar isto. Eu também quero comprar, mas tenho paciência e espero até as minhas finanças estarem melhores, o preço baixar ( de certeza que baixa) e eu NUNCA recorreria a um crédito por uma coisa destas.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Jorge de Sena

Esta notícia, relembrou-me que quero ler Os Sinais de Fogo, por isso já era tempo das Edições Asa fazerem uma reedição do livro. Mas se calhar Leya, que agora manda neles, não deve de ter interesse nisso. É simples alguém que publique o livro que tem grande interesse histórico: mostra o Portugal do tempo da Ditadura.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Dois em Um

Como vi os filmes A Vida é Bela e O Tigre e a Neve nestes últimos dias, em vez de duas opiniões separadas faço uma só.
O cinema italiano está cheio de estórias simples, não que eu seja uma expert no mesmo, mas quase todos os filmes que vi são assim. Os americanos não conseguem contar uma estória sem que todos os personagens estejam à beira de um ataque de nervos, mas os italianos com estórias simples, eu diria até banais conseguem criar uma magia que não se encontra noutros filmes.
O Tigre e a Neve e a Vida é Bela não são excepção a esta regra. Numa primeira análise, pudemos confundir a estória, até porque o casal protagonista ser o mesmo, mas isso está errado.
A Vida é Bela leva-nos para a Itália dos tempos da segunda guerra mundial, onde Guido conhece Dora e se apaixona por ela. Por ser filme, para ter piada e como por vezes é assim na vida real, depois de alguma resistência, ela acaba por ceder e casar com ele. O filme podia acabar aqui e deixarmos com uma sensação boa no coração, um sorriso nos lábios. Mas lembrem-se que o filme tem lugar na segunda guerra mundial, na Itália. Guido é judeu e acaba por ser levado para um campo de concentração juntamente com a mulher, o tio e o filho que entretanto nasceu . Num acto de amor e o coragem pelo filho, Guido inventa que estão ali para jogar um jogo e o prémio é um tanque, a coisa mais desejada pelo miúdo.
Este filme tem claramente duas partes: uma que nos enche de lágrimas e a outra de riso.
No inicio do Tigre e a Neve pensei estar a ver o final e que me iriam contar o que estava para trás.... Desta vez Roberto Benigni veste a pele de Attilio, um professor de poesia, pai de duas adolescentes, divorciado e com uma estória de amor mal resolvida com Vittoria, interpretada por Nicoletta Braschi. Ah! Estamos em 2003 e a guerra do Iraque decorre a todo o vapor.
Vittoria parte para Baghad e acaba por sofrer um acidente, ficando entre a vida e a morte. Numa cidade devastada pela guerra, é dificil obter medicamentos; ao saber do que aconteceu a Vittoria, Attilio parte para o Iraque, onde irá fazer tudo para salvar a mulher que ama.
Não podia deixar de mencionar a multo bella música do Tom Waits que acompanha todo o filme. Quanto mais penso na sua letra e e no filme e naquilo que ele me transmitiu mas me convenço que palavra Primavera significa Amor...