sábado, 31 de dezembro de 2011

No fim do ano começam a ser tradição vídeos que compilam os filmes que estrearam durante o ano. Aqui fica um desses vídeos e também a minha maneira de desejar a todos um bom 2012.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

depois de ter visto no youtube um Behind the Scenes da série Downton Abbey só tenho a dizer que a maquilhagem faz muita diferença. Eu já sabia isso, mas é sempre bom confirmar. Ah, já me esquecia é aqui que se vê quem é realmente bonito e quem beneficia dos milagres da cosmética.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Os Gallagher, a família mais disfuncional da televisão é que conhecem o verdadeiro espírito natalício, por isso é com eles que desejo a todos os que por aqui passam, um Feliz Natal:

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

o mundo anda perdido, quando um homem é escolhido para modelo de soutiens, sim soutiens aquelas coisas que só as mulheres usam. podem ler aqui: Jornal de Noticias

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

anúnico de emprego estranho

este anúncio de emprego é no mínimo estranho. Primeiro pedem alguém com licenciatura na área das Ciências Sociais e Humanas, para um trabalho claramente administrativo, que de resto qualquer um com o 12ºano e experiência administrativa conseguia fazer. Depois falam em estágio com possibilidade de renovação, os estágios não se renovam, têm uma duração e quando terminam, a pessoa ou fica ou vai embora. Mas a que me dá vontade de rir é pedirem um finalista, mas que já tenha experiência, quer dizer eles valorizam se a pessoa tiver a dita experiência, ainda que seja numa área que nem sequer é a sua.

domingo, 11 de dezembro de 2011

All I Want for Christmas is You

Podem acusar a série Glee de muitas coisas, mas dizer que fazem más covers de músicas conhecidas não é uma delas. Por isso aqui fica a versão deles de All I Want for Christmas. Eu tenho acompanhado o Glee Project na Foxlife e parece-me pelo vídeo que um dos que eu gosto mais, vai acabar por ganhar, ao menos se assim for desta vez não fico decepcionada, nestas coisas raramente escolhem o meu preferido.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Coldplay no Dragão

recebi a informação via e-mail que os Coldplay vão actuar no Dragão no dia 18 de Maio de 2012. Mas os preços, meus amigos, são de fugir, muitos caros. Apesar de não ser fã deles fico contente que um grupo como eles venha cá. Sem querer ser mazinha todos nós sabemos como o Porto raramente tem alguma coisa assim. Venham mais, mas com melhores preços.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O que falta é dinheiro

Na última quarta-feira, fui ao Parque Nascente e reparei que quase todas as lojas tinham promoções. Antigamente as promoções só apareciam após o Natal para tentar vender o que não tinha sido vendido no Natal, os saldos chegavam em Janeiro. Agora, as coisas mudaram e como o pessoal começa a ser mais moderado, eles tentam outras formas de vender. Por isso, se soubermos escolher, conseguiremos fazer boas compras este Natal e poupar algum. Parece que a crise também tem um lado bom.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Teorias Interessantes

Há dias vi um documentário sobre a Isabel I, a Rainha Virgem, o documentário focava-se nos motivos que a levaram a ficar solteira. Entre os vários motivos apresentados, o mais interessante era que ela tinha morrido ainda criança e os criados com medo da ira do pai dela ( Henrique VIII) a tinham substituído por um rapaz parecido com ela e que até era aparentado com a família, daí ela ou melhor ele não tinha casado senão a verdade era descoberta.
Hoje estreia o filme Anónimo, que se foca na teoria que as peças e poemas escritos por William Shakespeare não foram escritos por ele, mas sim por outra pessoa, neste caso o 17º Conde De Oxford, Edward de Vere, segundo sei existem outros pretendentes à obra de Shakespeare.
Quanto menos informação existe sobre alguém mais teorias podem surgir. No caso de Isabel tendo em conta o contexto histórico, não é difícil imaginar tal ideia, pois era mais plausível era que um homem pudesse dominar e não uma simples mulher.
No caso de Shakespeare dada a sua pouca escolaridade, como podia ele escrever coisas tão boas? Ambos são vitimas de preconceitos, na minha opinião até porque muita gente tem uma grande educação e não escreve por aí além, outros homens que dominaram não foram tão bons como ela, se repararem há dezenas senão mesmo centenas de filmes sobre ela e livros. De outros Reis a literatura parece não falar e o cinema também não. Até prova em contrário são teorias que valem sempre a pena explorar.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

se hoje já foram ao google devem ter visto que o mesmo presta homenagem ao Mark Twain. O autor do desenho escolheu uma das cenas mais memoráveis de Tom Sawyer, aquela em que ele põe os amigos todos a pintar a vedação. Já não me recordo como é que ele os consegue convencer, mas o Tom era um rapazinho muito esperto.
É curioso que os americanos tendo em Tom Sawyer uma obra tão rica parecem esquecidos dela. As adaptações que existem são todas muito antigas. Certamente deve ser mais rentável fazer remakes de filmes que nem são assim tão antigos ou de séries de televisão. Uma adaptação de um rapaz traquina, mas com bom coração não deve de render dinheiro.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A Dívida

Em 1966, três espiões tentam capturar para levar a tribunal um criminoso nazi, este vive em Berlim Leste. Este caso dá origem a um livro escrito pela filha de um deles, cerca de trinta anos mais tarde em 1997. É precisamente neste ponto que começa a estória.  
Para um filme com espiões esperava muito mais suspense e esperava algo mais. O filme é em diversos pontos previsível e mais do mesmo. Já cansam os espiões seguirem sempre os mesmos moldes, ou são bonzinhos ou são mauzinhos, vá lá que nenhum era um espião duplo...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O anúncio da Ferrero Rocher deve ser dos mais antigos que passam na televisão na altura do Natal. Há uns anos para cá comecei a achar que o algo que a senhora quer não é os ditos Ferrero Rocher. Eu não tenho uma mente perversa, apenas penso sempre que a senhora, coitadinha, anda há tantos anos a dizer que quer algo e nunca mais parece encontrar aquilo que realmente quer :-)


domingo, 27 de novembro de 2011

Novidades no blogue As Bijuterias da Mizé

Na semana que passou estive ocupada a fazer novos colares, entre outros para vender, daí ter tido pouco tempo e alguma falta de vontade, confesso, para escrever por aqui.

Se estiverem a pensar oferecer a alguém uma peça de bijuteria, então passem por lá e vejam as novidades, muitas delas a menos de 10 euros. Se virem as peças mais antigas também encontram muitas a esse preço. Se precisarem de ajuda contactem-me para o email: bijoumize@gmail.com

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Entrevista com o Vampiro

Este fim de semana deu-me para rever este filme, já a algum tempo que não o via. As primeiras vezes que o vi passei metade do filme ora a suspirar pelo Brad Pitt ora a suspirar pelo Tom Cruise, na altura ainda tinha uma panca por ele por causa do Cocktail que entretanto já passou. Curioso que nunca me tinha apercebido, como ontem, o quanto o filme se focava nos aspetos da natureza humana, embora aqui fosse apresentada como natureza vampirica, tais como: quem os tinha criado, a existência de Deus, o amor impossível, ódio, vingança e tantas outras coisas.
Tantos anos volvidos o filme continua a ser excelente, mesmo que não se goste de vampiros. Curioso é ver que na altura o Tom Cruise era uma grande estrela de cinema e o Brad Pitt uma estrela em ascensão. Tantos anos volvidos, Tom Cruise, já não faz grandes filmes e a sua carreira tem descido muito nos últimos anos, parte culpa da religião da Cientologia, parte pelos saltos no sofá da Oprah. Brad Pitt subiu ao estrelato e tem conseguido manter-se por lá, embora com alguns filmes menos brilhantes. Contudo, acho que agora dificilmemte alguém pensaria no Tom Cruise, para fazer algum papel relevante num filme menos comercial, e o Brad Pitt seria a escolha natural.



domingo, 20 de novembro de 2011

se não gostarem da Popota e não houver crianças na sala, ouçam isto. É muito engraçado. Mas depois nunca mais vão ver a Popota da mesma maneira!

sábado, 19 de novembro de 2011

suspeito que devo ter o ar mais perdido e de quem não sabe o que quer, já que quando entro em muitas lojas, me perguntam se preciso de ajuda.


( ok, eu sei que fazem isso a todos, mas eu gosto de me sentir especial :) )

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

GNR Asas Electricas

Vi ontem na televisão que os GNR comemoram 30 anos de carreira. Nos dias que correm com grupos a durarem 20 dias é um marco, por isso fica aqui a minha preferida deles, podia pôr outras, mas esta tem um sabor especial:

sábado, 12 de novembro de 2011


Quando o mulherio, aquele que é super fã da série "O Sexo e a Cidade" vir o como o Mr. Big está a ficar velhote vão ficar desapontadas. Eu cá nunca gostei muito do Mr. Big, demasiado pulha para o meu gosto. Claro que eu gosto de um bad boy na ficção como é normal, mas ele ultrapassou todos os limites.
A foto pertence a uma série sobre o Titanic que está a ser filmada em Dublin e centra-se na construção do navio, o que é refrescante porque para o ver afundar já temos o filme do James Cameron.

Foto tirada daqui

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Tema de Amor de John Neschling

E durante os dias que vi Os Maias, esta música não me saía da cabeça e agora finda a visualização parece também não querer ir embora tão cedo...


quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Os Maias, a série de televisão

Os Maias dispensam qualquer apresentação, livro lido por muitos a contragosto por alturas do secundário, é uma das obras primas da literatura portuguesa. Eu também o li no secundário, mas não o estudei, hoje gostava de o ter feito porque me parece bem mais interessante do que os amores de perdição de Simão Botelho e Teresa de Albuquerque. Mas o grupo de professores de português da minha escola preferiu o Camilo ao Eça e para sempre fiquei com essa mancha no meu currículo, li o livro nas férias de verão, por recomendação da professora de Português, dizia ela que depois não tínhamos tempo entre testes e trabalhos, ela estava convencida que os colegas iam escolher Os Maias.
Aborreci-me até chegar ao romance de Carlos e Maria Eduarda, parece que o meu instinto já sabia que era aqui que estava a parte mais importante do livro. Hoje, passados tantos anos e sem nenhuma releitura, com alguma pena minha e apenas leituras aqui e ali sobre o livro, reconheço a minha incapacidade para entender a obra, o meu irmão disse-me o que acontecia, mas creio que não mencionou a fatalidade de Carlos e Maria serem irmãos... Talvez porque não quisesse estragar o impacto que tal revelação tem.
Contudo, não é sobre o livro que vos quero falar, mas sim sobre uma série de televisão da TV Globo que adapta este livro. Já tinha esta série aqui no meu PC, tirada sabe Deus de onde, há muito tempo mas nunca me tinha dado para vê-la, erro grande vejo agora.
A série é extraordinariamente bem feita, a todos os níveis, nenhum pormenor é esquecido ou adulterado como tantas vezes parece ser adágio das adaptações. A uma fidelidade quase canina à obra e às palavras do grande Eça, havendo mesmo um narrador que as diz de forma sublime junta-se um leque de atores que dá vida de forma bem realística a todos os personagens. Os cenários são também reais, ou seja a nível de exteriores a série foi filmada nos lugares onde acontece, o Douro, Coimbra, Sintra e claro Lisboa; os interiores parecem ser muito fiéis aquilo que está no livro. Mas o conjunto não estaria completo sem a música que parece antecipar em alguns momentos a tragédia que se avizinha. Até a inclusão do Pastor dos Madredeus me parece inteligente já que a letra tem uma certa alusão a destino e fatalidade e claro tem um som bastante português.
Não é certamante série para todos os olhos e perdoem-me por soar snob, mas decerto que quem nunca tenha lido o livro perderá muitos pormenores e quem está habituado a livros mais cor de rosa, ficará devastado com a tragédia e até revoltado com tal destino traçado por Eça.
Lamento que em Portugal nunca tenham feito nada assim, e não será certamente falta de meios ou dinheiro. Simplesmente há falta de vontade.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Valha-me Nossa Senhora da Dança do Varão 2

Eu sigo a Leya via facebook, e vi o anúncio para este livro e decidi ir investigar. A D. Antónia é uma grande figura e pareceu-me justo uma biografia sobre ela. Fiquei horrorizada quando vi o preço do livro. 35,10€, por um livro que tem apenas 216 páginas parece-me muito dinheiro e uma forma vil de fazer dinheiro à custa da mulher que marcou os vinhos do Douro. Um livro sobre a Marquesa de Alorna que tem 1000 páginas custa menos e curiosamente são ambos da mesma editora, sim porque lá por se chamarem D. Quixote ou outra coisa qualquer é tudo Leya. Depois queixam-se que não vendem com preços assim, quem é que compra???

domingo, 6 de novembro de 2011

Um terror de sonho

O mundo dos sonhos é fantástico e proporciona-nos alegria, um enorme alivio ou uma grande desilusão. Quando acordamos e vemos que sonhamos com algo de bom ficamos desiludidos, se sonhamos algo mau sentimos alegria e alivio por ser só um sonho.
Eu não vejo a série The Walking Dead, não gosto, a ideia de zombies não me agrada. Então porque raios sonhei eu esta noite que era perseguida por eles? Que diabo se passa na minha mente, estarei a precisar de descanso? Enfim, devo estar a precisar de um cérebro novo e daí a associação a zombies que comem miolos...

sábado, 5 de novembro de 2011

Of all the gin joints, in all the towns, in all the world, she walks into mine.

do filme Casablanca.

 

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Acabei de ver o anúncio da Popota para este Natal e acho que ela está bem mais magra do que o ano passado. Será que foi para o Peso Pesado? E o que terá acontecido à Leopoldina que até agora ainda não deu as caras??? Milhares de crianças no país e no mundo querem saber :)

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Shame - Trailer

Ainda não tem data de estreia cá no burgo mas pelo trailer parece ser muito apetecível este Shame, mas mesmo que não fosse qualquer filme com o Michael Fassbender é apetecível. Incrível, como no espaço de um ano, mais coisa menos coisa, o rapaz conquistou-me com as suas qualidades de ator. Sim, porque se fosse só bonito bem que ficava à porta.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Em noite de Halloween...

Não somos americanos, por isso não entendo a necessidade de festejar o Halloween, qualquer dia também temos o Dia Acção de Graças, já deve ter faltado mais. Mas, se vocês quiserem ver um filme jeitoso e de certa forma alusivo à quadra, nada como ver este do pai dos filhos bastardos* da Helena Bonham Carter aka Tim Burton, A Noiva Cadaver.

* Numa entrevista, ela chamou-o assim :-)

domingo, 30 de outubro de 2011

Titanic, uma perspetiva 13 anos depois da primeira visualização

Parece incrível que já se tenham passado 13 anos desde a primeira vez que vi o filme Titanic, e mais incrível me parece que alguns acontecimentos das duas idas ao cinema para o ver ainda estejam bem frescos na minha memória. À saída do cinema das duas vezes não hesitaria em dizer que tinha adorado o filme, o curioso é que hoje vendo o trailer e acrescentando tudo o que já vivi e todos os filmes que já vi, talvez visse o filme como um blockbuster sobre um acontecimento trágico da história marítima, mas como sempre foi o meu sonho ir num cruzeiro de certeza que iria ver o filme.
Neste fim de semana vi este filme,já não me lembrava de o ver, mas um documentário sobre o famoso navio que vi, embora apenas os minutos finais, despertou-me para rever o filme. Ver o Titanic requer tempo e também um certo estado de espírito, afinal são 3 horas e não pode ser de animo leve que se vê um filme sobre um navio que afunda, ainda mais quando sabemos que aconteceu e tantas vidas se perderam.
O filme continua a agradar-me, embora hoje ache que ele não é tão bom como achava antigamente, o problema é que vamos vendo outra coisas e vamos nos tornando mais exigentes.
Eu não preciso do melhor argumento, nem dos melhores atores, apenas de ter empatia com as personagens ou estória, se isso não acontecer por muito bom que seja o filme, nunca entrará para a minha coleção de favoritos.
Titanic ficou na história do cinema por diversos motivos, mas julgo que o mais importante foi mostrar, sem ser maçudo ou parecer um documentário, o naufrágio do famoso navio. Segundo, o James Cameron, realizador do filme, tudo o que é demonstrado corresponde à verdade ou está tão próximo dela quanto possível.
Para o ano, passarão 100 anos que o Titanic se afundou, há uma mini-série inglesa, co-produzida por vários canais de televisão de diferentes países, entre eles a SIC, que está prevista para estrear nessa altura. Não sei se a série será tão boa como o filme, mas sendo escrita por Julian Felowes só se pode esperar boas coisas.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Com a chuva regressam as botas aos pés e também as galochas. Houve tempos em as galochas eram mal vistas e pensava-se logo naqueles lavradores das aldeias perdidas do país. Pronto era saloio usá-las. Hoje é moda, mas sinceramente é coisa que eu não pretendo usar. Em dias de chuva, botas e kispo servem perfeitamente.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Casa dos Segredos - Algumas considerações

Pronto, eu admito que vejo, mas é só para me rir daquelas alminhas que fazem tantas figuras tristes. Mas há também toda uma análise sociológica que se pode fazer.
Pensando, por exemplo na Cátia, e no seu pobre conhecimento de Geografia. Eu não sei se a minha professora de Geografia do 7ºano vê o programa, mas se vê a senhora já se terá benzido e caso já tenha morrido ( acho improvável na altura, na fui sua aluna, ela tinha cerca de trinta a quarenta anos) estaria a dar voltas no túmulo.
Há quem diga que é estratégia, há quem diga que é burrice pura, mas seja o que for, está a resultar. Não há quem não a conheça cá fora e nas últimas nomeações não teve nenhuma, não sei se chegou a ter noutras nomeações não vi. O que sei é a estratégia ou naturalidade resulta. A minha pergunta é: será que ela não foi nomeada por alegrar a casa com as suas calinadas ou será que os concorrentes masculinos, por terem a percepção que ela é burra julgam que não é competição para eles e se chegar à final não vence? E assim preferem livra-se das mais inteligentes e perigosas?

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Duplos Sentidos

Estava eu a ver o Jornal Dica da Semana do Lidl, quando me deparo com uma promoção de Maminha da América do Sul. Isto dito em vários contextos diferentes e de forma descontextualizada dá umas boas piadas. Por exemplo, um marido diz à esposa: sabes eu hoje comi maminha da América do Sul e era muito boa!! O Lidl que não se ponha a pau e ainda é acusado de andar a promover desavenças entre casais. Já agora eu não conhecia tal carne, mas pelo aspecto é carne de vaca.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Vários níveis de talento

Na minha modesta opinião, os atores dividem-se em três grandes grupos. Há aqueles que são abençoados com o um grande talento e a cada novo papel que interpretam conseguem-nos fazer esquecer o último papel onde os vimos. Há um segundo grupo, onde até há talento, mas digamos que se umas vezes as performances até podem ser boas, dificilmente deixamos de ver no ator, o último personagem que interpretaram. Há aqueles que não têm qualquer talento, mas continuam a andar em frente à câmara na esperança que o talento apareça, talvez caído do céu.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011



Os amantes de livros também costumam ser apreciadores das capas e são elas muitas vezes que nos fazem pegar num livro. Se há capas más também há aquelas que são muito boas. Seguindo a tradição de usar imagens das adaptações cinematográficas do livro, a Relógio D'Agua editou recentemente Um Quarto com Vista que podem ver na imagem.
O momento retratado na imagem é um dos melhores do filme e também o ponto alto do mesmo, foram muito inteligentes em usar um momento chave mas mostrá-lo sem dar a entender o que acontece a seguir. Um excelente trabalho de quem fez a capa. Já agora vejam o filme que tem o nome um pouco alterado para Quarto Com Vista sobre a Cidade, também ele é quase um livro em filme e tem como protagonista a belíssima Helena Bonham Carter que na altura era ainda muito jovem, ajudada pelas grandes Maggie Smith e Judi Dench.

sábado, 22 de outubro de 2011

Meia-Noite em Paris

Há quem diga que Woody Allen já não faz filmes como antigamente e que desde Match Point nunca mais fez nenhum de jeito. Talvez durante anos o Senhor Allen tenha elevado as expectativas que quem se apaixonou pelo seu trabalho a tal ponto que os seus trabalhos mais recente sejam sempre visto como menores. Na minha modesta opinião, raros são aqueles que conseguem sempre fazer  bons filmes e que ficarão na nossa memória e isto vale também para escritores.
Se eu gostei deste novo filme? Sim, muito. Se eu acho que podia ser melhor? Não. Meia-Noite em Paris tem tudo aquilo que eu considero que um bom filme deve ter. Começa com planos muito bonitos da cidade, e aí é fácil adivinhar que Paris não foi escolhida por mero acaso. Houve tempos em que Paris era a cidade onde todos queriam ir e muita gente suspirava por ela. Hoje por causa da série o Sexo e a Cidade, todas suspiram por Nova Iorque.
Paris tem a sua magia, aliás qualquer cidade tem magia própria, desde que saibamos qual é.
Confesso que não dava nada pelo Owen Wilson, mas ele conseguiu neste filme fazer muito bem o papel de um argumentista que escreve filmes medíocres, mas que são sucessos de bilheteira ( o que acaba por ser uma referencia ao próprio Wilson :) ) que vai para Paris. Gil, assim, se chama o personagem de Wilson, anda a escrever um romance, e claro tem todas as dúvidas próprias de quem se aventura nesse campo. Gil tem uma noiva Inez, que depressa percebemos que não tem nada a haver com ele. Gil sente-se atraído pela magia de Paris, e mais ainda por aquilo que Paris era na década de 20. Um dia, ele entra num carro que o leva para esse mundo mágico.
Meia-Noite em Paris, é uma fantasia que nunca será real, mas quem é que nunca sonhou em entrar num carro que o levasse até a uma época qualquer onde pudesse privar, num tu cá tu lá, com personalidades, que marcaram o mundo literário, do cinema, do teatro, da pintura, música ou somente a sociedade??

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Valha-me Nossa Senhora da Dança do Varão*

Já tinha lido algures que a Margarida Rebelo Pinto, por quem nutro um ódiozinho de estimação, ia publicar um romance histórico. Na altura pensei que a mulher realmente é muito esperta, já que este tipo de romance está em alta, e já se sabe que o que ela quer é vender. Agora descobri que a senhora decidiu ir buscar a D. Inês de Castro. A sério, Guidita, não há mais figuras históricas sobre as quais possas escrever? Não achas que já há livros suficientes sobre ela? Depois, caríssima autora, duvido que consigas fazer melhor ou ser tão original como foi Rosa Lobato Faria e duvido que o teu livro seja tão bom como o da Maria Pilar Queralt del Hierro, mas pronto serei simpática e irei ler, mas só porque tenho paixão pelo mito inesiano, porque por ser teu não espero nada demais...





* quem vê o Café Central percebe esta referencia :)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

não dar asas

 Há uns dias falava com uma mãe recente. Ao perceber que o bebé tem muita genica disse-lhe que devia quando ele crescesse mais pô-lo numa actividade, até porque acho isso enriquecedor. Falou-se no ballet e quando eu disse que a menina talvez viesse a ser uma grande bailarina, torceu o nariz, mais ainda quando se apercebeu que uma grande carreira no ballet podia passar pela Rússia. Também não me parece querer que a filha estude fora. Não sei, não tenho filhos, mas parece-me que não devemos tentar limitá-los e sim dar-lhes asas...e olhem que eu sou bastante apegada ao meu lar, ao meu Porto, mas se um dia tiver filhos não os vou tentar prender...

domingo, 16 de outubro de 2011

eu sei que muita gente não gosta dele, mas eu adoro-o, nunca ninguém falou tanto ao meu coração*. 90% daquilo que ele diz é também aquilo que eu penso. Ele fascina-me, se o fosse entrevistar dizia apenas: fale!
Que delicia de entrevista que ele deu à Fátima Campos Ferreira, muito diferente da estupidez das entrevistas que saiam das mãos da Judite de Sousa, ainda bem que ela bazou... Falo claro do António Lobo Antunes :)

* a nível de escritores em entrevista

sábado, 15 de outubro de 2011

Como se faz um bebé?

Da próxima vez que os vossos filhos, sobrinhos ou primos pequenos vos perguntarem a origem dos bebés, basta deixá-los ver este vídeo e resolvem de forma simples e eficaz a pergunta a uma questão que é sempre embaraçosa de se responder :)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

a crise e a publicidade

é interessante ver como os slogans de publicidade têm vindo a mudar desde que a crise se instalou. Por exemplo, os bancos gastavam rios de dinheiro a dizer que vendiam o dinheiro mais barato, agora juram que têm as taxas de juro melhores para depósitos a prazo. As imobiliárias diziam muitas vezes que com elas iríamos encontrar a casa dos nossos sonhos, agora sugerem o investimento na compra para depois alugar.
Nos supermercados, a luta entre o Continente e Pingo Doce rende os anúncios mais parvos que se possa imaginar, o Mini-Preço faz a sua publicidade e não se mete com ninguém. O Lidl faz alguma publicidade, mas muito pouca para o que já fez. O Jumbo morreu em termos publicitários, há meses que não anunciam nada.
Ontem a Fnac enviou-me um vale de 8 euros para comprar online, tenho de comprar 40 euros, já é o segundo este ano, o primeiro foi apenas de 5 euros. E é possível que enviem mais. É a crise a apertar e eles a tentar aliciar cada vez mais o cliente.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

She & Him - The Christmas Waltz

Numa altura em que o Natal se começa a aproximar a passos largos, embora o tempo pareça de Verão. O duo She & Him lançam o seu The Christmas Waltz, a primeira amostra de A Very She&Him Christmas, que sairá a 25 de Outubro. Pode ouvir aqui: The Christmas Waltz

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

nunca entendi a necessidade de ser seguidor do blogue para entrar num passatempo promovido pelo mesmo. Quer dizer entendo que isso aumente o número de seguidores, mas após o fim do passatempo, muitos com certeza deixam de ser seguidores, a única certeza de leitores é o contador de visitas. Eu até posso seguir um blogue mas isso não significa que leia o mesmo. Na volta é um pouco uma moda, um diz que tem de ser seguidor e os outros seguem o exemplo.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Kelly Macdonald


Ela é simplesmente adorável e parte do seu charme vem do seu ainda mais adorável sotaque escocês que parece fazer sempre parte dos papéis que faz. Não é bem uma descoberta recente mais é uma atriz por quem sinto muita simpatia.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Sou uma grande parola!!

Pois é, pelos vistos eu é que não percebo nada de moda, porque afinal aquilo que eu disse aqui não é mal, é mesmo fashion:


Este modelito foi apresentado nesse grande evento que é a Moda Lisboa e é do Pedro Pedro, nunca ouvi falar, mas continuo a achar parolo este look, mas pronto a parola sou eu e com muito orgulho.

domingo, 9 de outubro de 2011

Mamma Mia

e para continuarmos com a certeza que ainda estamos no Verão, a TVI exibiu ontem o Mamma Mia, que é um filme de verão, em todos os aspetos. Nunca gostei deste filme e depois de ter visto este spoof nunca mais consegui ver o filme sem me lembrar disto, o spoof consegue ser mais hilariante do que o filme.




sábado, 8 de outubro de 2011

Real Desatino

Não esperava nada de especial deste filme, apenas tinha ideia pelo trailer visto há algum tempo que seria engraçado. Quando o filme começou achei que podia ter ali uma boa comédia, eu não digo brilhante, mas daquelas que vemos depois de um dia de trabalho para descontrair um bocado. Foi puro engano, aquilo que parecia uma espécie de paródia aos filmes passados em tempos medievais, cheios de bruxas e profecias, a fazer lembrar as paródias do Mel Brooks, é uma verdadeira perda de tempo, as piadas não teem piada nenhuma e o uso constante de piadas de cariz sexual também não, eu não sou púdica, mas o que é demais cansa. Assim se estiverem a pensar ver este filme esqueçam, vão por mim, é que nem num dia sem nada para fazer ele serve como distração.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

State of Play - A Série

State of Play, uma mini-série da BBC ( mais tarde foi feito um filme) que começa com a morte de Sonia Baker. Ela trabalha no gabinete de um membro do parlamento, com quem mantinha um caso. Com a morte de Sonia o caso vem a público e sendo ele um homem casado a imprensa prepara-se para ter um dia muito feliz. Mas as coisas em State of Play não são aquilo que parecem e ao fim do primeiro episódio a única certeza que existe é que Sonia morreu, mas não é claro que ela tenha saltado para a linha do comboio, o mais certo é que tenha sido empurrada, mas quem queria que Sonia morresse?
Ao contrário de outras séries com caracter policial esta não se foca na investigação da policia mas sim naquela que é feita por um jornalista que desde o inicio parece suspeitar que algo não está bem....
Ao longo dos seis episódios somos levados numa direção totalmente inesperada e no fim quando se descobre quem é o assassino somos surpreendidos, eu tive algumas suspeitas, mas acabei sempre por me convencer que estava errada :)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Gotan Project - La Gloria

E quem disse que a ver novelas não se descobre boa música? Quem quer que tenha dito nunca viu o Morde &Assopra, onde descobri esta, isto não dá para incorporar, mas vão ao youtube que vale bem a pena. Não é novidade, mas eu ando sempre atrasada no mundo da música....

http://www.youtube.com/watch?v=FFzk_MX1DCo

terça-feira, 4 de outubro de 2011

calor...

o mais irritante neste calor que não quer ir embora é continuar a ver aquele que é o maior erro fashion nas mulheres. Queridas, se querem usar roupa um pouco mais transparente usam soutiens da cor da pele ou na cor da peça de roupa. Nunca vistam soutiens brancos com blusas pretas e vice-versa, reluz e não fica bonito. Já agora quando usam alças fininhas usem cai-cai ou então escolham um soutien da cor da peça de roupa. Não é difícil não andar a chocar as pessoas que andam na rua :)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Amor Electro - Estrela da Tarde

eu ando agora a descobrir os Amor Electro e já elegi uma favorita, eu adoro o poema do Ary dos Santos, nada a fazer!

domingo, 2 de outubro de 2011

É um facto que eu não percebo nada de politica, vai daí raramente comente o que acontece nesse campo.
Como vocês sabem, se morarem na zona do Porto, o metro desde o início do ano que alargou o seu percurso até Fanzeres, uma das muitas freguesias do concelho de Gondomar.
Se já se aventuraram a conhecer a nova linha sabem que passa nas freguesias de Rio Tinto e Baguim do Monte, onde aqui a vossa amiga vive.
Ora se já andaram alguma vez de metro também sabem que muitas zonas são ajardinadas e meia volta os senhores andam lá a cortar a relva, uma empresa paga pelo Metro do Porto.
Agora que todos os que já andaram de metro e os que nunca andaram estão todos situados na conversa, vou vos contar umas coisas, que se não fossem deprimentes eram no mínimo cómicas.
O Jornal de Noticias, versão online, tem um espaço onde os leitores podem dar a sua noticia, num destes dias vinha lá que na Rotunda perto de uma das estações de Metro andavam lá cavalos a pastar. Se vocês não sabem, os terrenos à volta do metro pertence à Metro do Porto logo a sua manutenção pertence a eles. Aliás, quem já andou de metro já viu com certeza uns mecos de cimento que marcam os limites dos terrenos da Metro do Porto.
É certo que a dita rotunda tem muita erva, na estação que serve, o paradoxo é ainda mais problemático, já que nas partes da dita estação cortaram a relva, mas na parte do parque de estacionamento a erva continua e bem alta. Na estação de Rio Tinto é tão grande que qualquer dia cobre os assentos, e mais à frente na linha, propriamente dita  a relva foi cortada e à volta na rotunda ( não é bem rotunda, mas fica assim) a relva está alta.
O que fez a junta de freguesia de Baguim? Colocou uma placa na dita rotunda que pertence à sua jurisdição a dizer que quem tem de cuidar da erva da rotunda é o Metro do Porto. Uma placa toda catita que deve ter custado dinheiro, mas a junta não parece muito preocupada em alcatroar a rua que dá acesso à estação que continua a estar parcialmente em terra. Qualquer dia alguém devia pôr lá uma placa a dizer que aquela obra pertence à junta. E já agora a junta de Rio Tinto também devia de pôr placas onde não seja de sua alçada cortar a erva. Já diziam os romanos: a César o que é de César e enquanto eles brincam à placas, eu e todas as pessoas continuamos a sujeitar-nos a esperar que os carros passem ou a encher os pés com terra e qualquer dia com lama. E claro os animais da zona agradecem já que algumas pessoas vão cortar alguma da relva para lhes dar comida e os cavalos fazem de lá pasto.  

sábado, 1 de outubro de 2011

Ontem vi nas noticias que uma publicidade a uma marca de Lingerie está a causa polémica, qual não foi o meu espanto quando percebi que era no Brasil! Eu não conheço nenhum brasileiro, nem nunca estive no Brasil mas a ideia que tenho é que eles são pessoas de mente aberta. Vi pois o anúncio e não o acho ofensivo para as mulheres e muito menos que reforce esteriotipos. Na publicidade há uma ideia que ajuda a passar a mensagem do produto. 90% das ideias veem dos esteriotipos, precisamente porque estes raramente correspondem à realidade e por isso mesmo acabam por ter piada. E mais sem um grande esforço consigo pensar em anúncios que usam esteriotipos e também podem ser ofensivos para alguém... Pessoalmente e enquanto mulher fico mais ofendida com comentários que acham que as mulheres são seres inferiores ou que acham que nós somos apenas pedaços de carne. Fica aqui um vídeo sobre o assunto que encontrei no Youtube:

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Um filme sobre Kurt Cobain??

Não sei se irá existir ou não, mas ao ler aquilo que o Jared Leto escreveu no seu blogue e principalmente o vídeo que ele fez, ele era simplesmente perfeito para interpretar o Kurt. Vejam aqui.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

The Hour


Quando se começou a falar sobre esta série muitos comparavam-na a Mad Men. Embora eu não veja essa série ( vi alguns episódios e achei-a aborrecida) sei que o mundo que retratam é o da publicidade, ora estas comparações são absurdas já que a única coisa que ambas teem em comum é terem como pano de fundo os anos 50.
The Hour é o nome de um programa informativo da BBC, em que durante 60 minutos se fala do que vai acontecendo no mundo, um pouco à semelhança de alguns programas que existem hoje. A série mostra os seus bastidores e como naquela altura os jornalistas não gozavam de muita liberdade de expressão, embora a Inglaterra não fosse uma ditadura, havia alguém do governo sempre com um olhar atento sobre o que eles iam falar, para além de uma lei que não permitia falar do que era discutido no parlamento enquanto não passassem 14 dias, um dos focos da série é a crise do Canal do Suez.
A série é protagonizada por três personagens. Um homem bonito mas que nunca será um grande jornalista, Hector; Bel, a produtora do programa que tem de lutar com um mundo que é ainda muito masculinizado e Freddie, o jornalista talentoso que quer mudar o mundo do jornalismo.
À mistura temos ainda uma misteriosa morte de um professor universitário que vai levar a descobertas mais ou menos surpreendentes, ou não estivéssemos nós no tempo em que os espiões existiam e até se falar algumas vezes do famoso 007, até porque Freddie chama Bel de MoneyPenny e ela chama-o de James.




quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Clube de Leitura

Já alguma vez quiseram ler a obra de Jane Austen e nunca tiveram coragem? Já alguma vez quiseram fazer parte de um grupo de leitura? Agora podem fazer parte do grupo de leitura do Jane Austen Portugal, basta verem este post: http://janeaustenpt.blogs.sapo.pt/260736.html

Este mês vamos ler Orgulho e Preconceito e eu já comecei ontem ( teve de ser sou sempre uma preguiçosa e já sei que a meio me vou ficar para trás) e confesso que aquele diálogo entre o casal Bennet continua a ser das melhores coisas que Jane escreveu. Sim porque a senhora escreveu imensa coisa boa.
Lanço-vos o desafio, caso não gostem, bem podem sempre deixar de vir cá!!! :-)

( sim começou no inicio de Setembro, mas como o meu PC avariou não pude fazer nenhum post sobre o assunto)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Tinker Tailor Soldier Spy

Há tanto homem jeitoso neste filme que até acho um pecado não ir ver quando estrear, não sou muito de filmes de espiões, mas com tanto homem lindo de morrer como pode uma mulher resistir??

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Jared Leto



e no seguimento do post, envelhecer é uma cena que não lhes assiste e do outro sobre o anúncio da Hugo Boss, só tenho a dizer que apesar dos seus quase quarenta anos, o Jared continua igual a quando o conheci na série My So Called Lyfe, onde interpretava o interesse amoroso de Claire Danes, protagonista da série em questão. Noutros atores, que começaram a fazer furor naquela altura como Brad Pitt e Leonardo DiCaprio percebe-se que envelheceram, bem é certo, mas estão mais velhos, eu ao Jared ainda daria cerca de vinte e poucos anos. Continua igual ao que era  naquela altura pena que já não faça muitos filmes e esteja mais virado para a música.

domingo, 25 de setembro de 2011

Hugo Boss

Quem quer que seja que escolhe os atores para darem a cara pelas campanhas da Hugo Boss, esse alguém é mulher, só pode! Depois de Jonathan Rys Meyers há uns anos atrás, chega agora a vez de Jared Leto. Tanto bom gosto só pode vir de uma mulher, há algumas más escolhas a julgar pelo que vi no youtube, mas essas escolhas foram feitas por homens! :)
Se tivesse um principe desencantado na minha vida a prenda dele no Natal era um frasquinho deste perfume. Aqui fica o vídeo:

sábado, 24 de setembro de 2011

Envelhecer, é uma cena que não lhes assiste

Parece estar na moda a frase que escolhi para o meu título, mas a verdade é que neste dias sem net vi mais televisão e a frase não podia ser mais adequada para o que quero escrever. Entre outras coisas andei a ver telenovelas e isso agradou à minha mãe que finalmente quando fala sobre o assunto vê em mim mais sinais de compreensão do que até aqui... Ora ao ver algumas atrizes brasileiras, aquelas dos tempos que eu ainda via novelas percebi que o envelhecer não quis nada com elas e parecem iguais ao que eram quando apareceram pela primeira vez há dez, vinte anos atrás. O mesmo para os homens. Acho que só não fazem de raparigas e rapazes novos porque o público ia-se revoltar. Será que alguma coisa no Brasil faz o tempo parar? Se alguém souber por favor diga!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

The High Strung - "The Luck You Got"

A música do génerico da série Shameless versão US, ainda no outro dia estreou na RTP2 e já está prestes a acabar, o tempo está a passar depressa demais...



quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Douro Film Harvest

aconteceu na primeira semana deste mês e homenageou o cinema brasileiro. Até aqui nada de novo, já que os festivais de cinema homenageam quase sempre alguma coisa ou alguém. Triste é pensar que se não fosse por este género de iniciativas os filmes em questão continuariam do outro lado do oceano ou do lago como dizem os americanos e ingleses, sem que ninguém os trouxesse para cá. Choca-me ver esta rejeição do cinema brasileiro no nosso país e ver que com excepção de filmes que o mundo inteiro conhece mais nada chega aqui às nossas salas. Mais chocada fiquei ao ver que um dos filmes a exibir era um documentário sobre o Aryton Senna, o homem que dominou a Fórmula 1. Não seria caso para o pôr em todos os cinemas do país? Afinal se até eu que DETESTO Fórmula 1 o conheço, todos os aficionados do género e fãs de Senna teriam interesse em ver o documentário. Mas parece-me que aqui preferem continuar a ver o lixinho americano, que os próprios se admiram como é possível ser tão bem exportado, do que os filmes de um país que os faz bastante bem.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Um Dia - O Filme

O livro tem uma estrutura diferente dos outros, David Nichols escolheu um dia e desde 1988 até ao presente narra do que acontece nesse dia, nas vidas de Emma e Dexter. É uma estrutura difícil de adaptar e um voice over ou algo que dê pistas e preencha os espaços em branco seria bem-vindo, qualquer pessoa que veja o filme e não tenha lido o livro irá sentir-se perdida. Eu própria que tinha lido o livro senti-me assim. O filme, por seguir a estrutura no livro torna-se algo desconexo e até em alguns momentos sem sentido. Era inevitável seguir a estrutrura do livro, eu sei, mas podia haver um mecanismo que ajudasse quem nunca leu o livro e até existe uma cena no livro, em que se veem fotografias antigas que seria perfeita para servir de guia para a estória, admira-me que David Nichols autor do livro e também responsável pelo guião e que tem vasta experiência nisto de escrever argumentos não se tenha apercebido que sem um fio condutor, o filme ia ficar confuso. No livro, a cada novo dia ele diz o que aconteceu nas vidas de Emma e Dexter no ano que passou, umas vezes de forma mais minuciosa, outras nem por isso.
O filme é apenas para quem leu o livro e para eles vale a pena porque os atores que dão vida aos diversos personagens entraram todos muito bem nos seus papéis, principalmente Rafe Spall, não é fácil ser um comediante que não tem piada, e que só consegue fazer Emma rir quando cai pelas escada abaixo. Também me pareceu haver uma ausência de música, claro que havia música, mas não me pareceu ter muita força e ela tem alguma no livro, claro que escolherem canções diferentes das que aparecem no livro, não ajuda. A Banda Sonora não é marcante como por exemplo, no Comer, Orar, Amar.
Se leram o livro é possível que gostem do filme, se nunca o fizeram, mais vale irem ver outra coisa qualquer a não ser que sejam fãs de Anne Hathawy ou de outro ator que faça parte do elenco.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Contado poucos irão acreditar

Já aqui falei do livro Um Dia de David Nichols e das minhas expetativas para ver o filme. O mesmo estreou no dia 1 de Setembro, fez duas semanas na passada quinta-feira. O meu computador avariou da quarta-feira de tarde. Obviamente que fiquei sem a possibilidade de ver onde estava o filme e a que horas eram as sessões. Quando levei o meu computador para arranjar passei no Dolce Vita e vi que estava lá e as horas das sessões e só não fui porque já não dava tempo de trincar qualquer coisa e depois ir ver o filme.
Vai daí no dia em que estive na net, também por lá, decidi ir ao cinema e qual não é o meu espanto quando vi que o filme já não se encontrava nos mesmos horários, apenas uma sessão às 23 horas e qualquer coisa e claro que ontem vi que o filme já saiu de lá.
Eu sei que um filme ao fim de umas semanas começa a ter horários mais manhosos e muitas vezes até desaparece de circulação, mas ao fim de uma semana parece-me muito mau. Não sei se a decisão parte do responsável pelas salas do Dolce Vita ou alguém da Zon que explora estas salas, mas seja lá quem for é uma má decisão. O filme é baseado num best-seller internacional, bastante aclamado, a Anne Hathaway é bastante conhecida e o filme, a julgar pela blogosfera gerou interesse em ser visto.
Ora nos tempos que correm e com tantos shoppings os mesmos têm de ter chamarizes para atrair clientela. Há quem vá a qualquer shopping e há aqueles que vão aos que mais gostam, os primeiros são atraídos pelas lojas e quiça filmes em exibição. Querem um bom exemplo? Porque é que o ParqueNascente anda sempre cheio de adolescentes? Porque tem a Primark ( loja que vende roupa barata) e os miúdos têm muitas vezes orçamentos limitados e a vontade de ter muita roupa fá-los lá ir para poderem comprar mais por menos. Quem conhece a freguesia de Rio Tinto sabe que as escolas não ficam do outro lado da rua do Parque Nascente e mais vejo muitos que vêm do Porto para lá....


( eu até ia dizer que estas politicas incentivam a pirataria, mas isso é chover no molhado e acrescento apenas que só irei ao cinema no Dolce Vita quando não houver o filme no Parque Nascente :) )

domingo, 18 de setembro de 2011

D. Pedro e D. Inês de Castro

A RTP Memória decidiu ressuscitar o mitico programa da juventude daqueles que agora estão na casa dos trinta ou perto disso, falo do Agora Escolha. Já não é todos os dias, mas sim semanas, mais concretamente á sexta-feira à noite, ocorrendo a votação durante a semana e não durante a exibição de uma série qualquer.
Esta semana foi escolhido o telefilme Pedro e Inês, versão compacta da série com o mesmo nome que a RTP exibiu por alturas dos 650 anos da morte de Inês de Castro. A série é excelente não ficando nada a dever aquelas que vejo da BBC, tudo primou pela excelencia, desde os cenários ao guarda-roupa e mesmo alguns pormenores como o que se comia naqueles tempos. De louvar são ainda os atores envolvidos embora pessoalmente não tenha gostado de Ana Moreira no papel de Inês de Castro, é um bocado insossa para o meu gosto. Mas todas as cenas com Pedro Laginha ( D. Pedro) e Nicolau Breyner ( D. Afonso) são um verdadeiro must see, e não posso esquecer ainda Ana Bustorff ( D. Beatriz)
Lamento que ainda ninguém tenha editado esta serie em DVD. Eu sou uma apaixonada por este bocadito da nossa história; considero o que acontece demonstrar bem aquilo que era a realidade daqueles tempos e papo tudo o que consiga sobre o assunto por muito que saiba que vou voltar a ler e a ver o mesmo.
Há uns dias alguém dizia que D. Pedro também andou envolvido com um escudeiro, penso que que terá sido no pós Inês de Castro, esse escudeiro teve a má sina de se envolver com uma mulher casada e pagou por isso. Eu já sabia disso, aliás Fernão Lopes insua que D. Pedro gostava muito do escudeiro...
O curioso na história de Inês e Pedro é que após a morte de D. Fernando ( o filho legitimo de D. Pedro) gera-se uma disputa pelo trono português. Um dos filhos de Pedro e Inês também está nesta disputa mas acaba por ser posto de lado por causa de ser ilegitimo. Na minha opinião acaba por ser fruto da má vontade a nível politico que sempre existiu por Inês. Já que como se sabe quem sobre ao trono é D. João. Mestre de Avis, também ele um ilegitimo de D. Pedro, mas de outra mãe, mulher de quem pouco ou nada se sabe. D. João matou inclusive um homem para defender a pátria, o Conde Andeiro.
O que sobre Pedro e Inês se escreve pode muitas vezes ser a mistura do mito com a realidade histórica, mas ninguém pode duvidar que Pedro amou profundamente Inês, basta ver tudo o que acontece no pós Inês de Castro. Teria ela correspondido ou era apenas uma forma de alimentar algo que sabia trazer-lhe riqueza, não sei, mas naquela altura as mulheres eram levadas de lá para cá sem se dar muita importância ao que elas queriam. Na imagem cor de rosa, da coisa, Inês e Pedro vivem juntos o amor, na realidade talvez isso não tenha acontecido. Por mim continuo à espera da série em dvd e quiça de novos livros sobre o assunto ou ler alguns que tenho e ainda não li...

sábado, 17 de setembro de 2011

Voltei!

E depois de um interregno de duas semanas estou de volta! Infelizmente não posso dizer que tenha sentido muito a falta da blogosfera. Senti sim a falta da internet, uma pessoa habitua-se a esta rotina e depois custa desabituar. E sobre a blogosfera, só senti falta de ler alguns blogues, das suas tricas, dricas e parvoíces não. E mesmo desses acho que só senti a verdadeira falta do Jane Austen Portugal, pelo conteúdo sempre excelente e porque me vi assim impossibilitada de participar no grupo de leitura. Agora só no próximo mês. Penso que talvez seja altura de pensar seriamente se quero continuar ou não por aqui, o facto de não sentir muito a falta pode ser sintomático que o fim está perto, mas até lá ainda há uns quantos posts que vou escrever, ideias que surgiram durante este tempo de férias.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

ainda não morri!

Informo que eu ainda não morri e que me encontro de boa saúde :) Apenas tenho o meu PC avariado e por isso  não houve atualizações nem publicações de comentários. Isto já dura desde da tarde de 4º feira da semana passada. Os posts publicados posteriormente estavam agendados. Possivelmente ainda tenho mais duas semanas de espera até que o PC fique arranjado, só na terça é que o levei ao médico, antes disso tinha sido9 impossivel ir. E já se sabe internet fora de casa é um roubo! Por isso só poderei voltar quando o meu bebé voltar para casa. Nessa altura lerei os comentários que me deixaram e se for caso disso respondo. Agora não posso mesmo só vim deixar esta mensagem e ver coisas mais importantes no email.

sábado, 3 de setembro de 2011

não há nada melhor na vida que as pessoas que têm dois pesos e duas medidas. Aquelas que dizem, por exemplo, que detestam pessoas fúteis e depois percebe-se que elas também o são. Eu acho piada, porque é sempre delicioso ver como as pessoas não se apercebem das incoerências dos seus discursos :)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

e se aquilo que falei ontem me diverte, já quando uma pessoa diz uma mentira, não acho tanta piada. Quando dizem: eu até tinha pensado em ir almoçar uma francesinha, mas depois acabei por ir comer uma sopa ali ao café do Sr. António. Na realidade, nunca pensaram ir comer a francesinha, a ideia foi sempre comer a sopa.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Quando o meu blogue era um bebé e não uma criança com dois anos e alguns meses de vida, eu deixei muitos comentários em blogues alheios. Não era a pedinchar que visitassem o meu blogue como tantas vezes vejo, mas sim um comentário sobre o que foi escrito. Comentei todo o tipo de blogues, embora nunca tenha deixado comentários apenas por deixar. É legitimo querer visitas e comentários, pelo menos quando estamos a iniciar. Como disse deixei comentários em diversos blogues, uns mais famosos, outros nem por isso... Já não sei quantos foram mas o que me surpreendeu foi ver que quase ninguém se dava ao trabalho de vir cá ao meu muito jovem estaminé. Eu até percebo que num blogue famoso, o autor não tenha tempo para ver quem é novo, mas num blogue pequeno onde ao fim de um tempo são quase sempre os mesmos, quando surge alguém novo é difícil não ser notado. Posso dizer-vos que se num dia deixasse cinco comentários em cinco blogues diferentes tinha apenas uma ou duas visitas de retorno...
Com o tempo deixei-me disso e passei a comentar cada vez menos. O mundo da blogosfera é estranho e tenho cá para mim que a maioria não quer conhecer outros blogues e assim interagir com outros, o que interessa é as visitas ao seu próprio blogue e os comentários que recebe....

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

aqui há dias num dos programas da manhã falavam sobre o photoshop, que às vezes exageravam, que às vezes servia apenas para retocar uma fotografia que não tinha ficado tão bem, falaram da importância da iluminação e de como muitas vezes para pouparem uns trocos adicionavam cenários, tipo uma moça que tira a foto em cima do carro que parece que está em cima de um edifício, mas na realidade não está porque esse cenário é feito com o photoshop. Enfim tudo coisas que já se sabem. Mas o que me chocou foi um senhor que disse que muitas vezes aquelas fotos de gajas sem trajes menores ou de outro tipo eram tiradas com roupa e depois o photoshop tirava-lhes a roupita!! Por isso, caros leitores sempre que virem as moças sem trajes desconfiem!! Na volta aquilo não é mesmo delas. Mas nem tudo pode ser mau, é que o mesmo senhor dizia que às vezes elas tiravam MESMO tudo, só que depois achavam melhor não andarem a mostrar a todos aquilo que só o namorado devia ver e vai daí eles com o maravilhoso photoshop vestiam-nas :)

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Os Imperial Ice Stars, que são uma companhia de ballett sobre o gelo, numa coreografia diferente do habitual :)

domingo, 28 de agosto de 2011

Como ficar deprimido em poucos dias

  • Vejam o telejornal todos os dias do principio ao fim, vão ver imensas noticias de famílias que vivem graças à caridade alheia ou de instituições, famílias que já viveram bem e agora passam dificuldades, lojas que fecham, lojas em risco de fechar, casos de pobreza extrema, subidas de impostos, enfim tudo noticias que vos farão pensar no futuro.
  • Nas paragens dos autocarros conversem com as velhinhas que contam estórias de doenças
  • Perguntem aos amigos sobre casos de separações escabrosas daquelas nada amigáveis, com homens e mulheres a mostrar a pior face.
  • Pensem naquilo de que pior vos pode acontecer
Ao fim de uma semana já devem se estar a sentir bastante em baixo se ainda acharem que não é caso para pedirem baixa repitam todos os passos anteriores. E já agora quando forem ao médico peça para vos receitarem génericos o Estado agradece.

sábado, 27 de agosto de 2011


O coração dos portistas só tem uma cor é azul e branco. O meu coração a nível de jogadores de futebol será sempre do menino da foto.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A Conspiradora

Quando um filme ou série retrata um acontecimento histórico ou figura que marcou a história o meu interesse é alimentado por ter vontade de saber mais sobre essa mesma figura ou pelo acontecimento histórico. Confesso que não conhecia Mary Surrat, uma das pessoas acusadas de conspirar para assassinar o Presidente Lincoln, sabia que o Presidente tinha sido morto a tiro e o seu assassino capturado pouco depois, captura que resulta na sua morte, desconhecia que algumas pessoas entre elas Mary Surratt haviam sido presas e julgadas por colaborarem com o assassino numa conspiração para eliminar o Presidente.
Foi apenas o meu interesse pelo trabalho de dois dos atores ( James McAvoy e Evan Rachel Wood) envolvidos que me fez ver este filme. Alguns filmes deste tipo combinam figuras históricas com outras fictícias e assim exploram o acontecimento que pretendem retratar. A Conspiradora, limita-se a filmar o julgamento de Mary Surrat, não sendo, por isso, muito diferente de um qualquer documentário do Canal de História. Fiel aos factos, às pessoas envolvidas, nunca é verdadeiramente uma fição. Penso que mesmo quando um filme retrata algo que aconteceu mesmo deve ter algo de fição para lhe dar o sabor de filme. A única coisa notável que tem este filme é a interpretação de Robin Wright que dá vida a Mary Surrat, sendo de esperar uma nomeação para o Óscar em reconhecimento de um excelente trabalho. Os outros também não estão mal, mas é como digo isto funciona como documentário e não como filme.  

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

De justa só tem mesmo o nome

Eu não vejo o Master Chef versão portuguesa e até ver a Justa Nobre mencionada algures na blogosfera como membro do Juri do dito programa nunca tinha ouvido falar dela. Achei curioso que a Noticias Magazine da última semana trouxesse uma entrevista com ela, mas depois de uma vista de olhos entendi o porquê, a senhora ia lançar um livro e o jornalista que fez o trabalho é amigo dela e já diz o povo e com razão quem tem amigos não morre na cadeia.
Hoje tropecei no livro podem ver aqui, custa a módica quantia de 31,50€ para 240 páginas. Achei um exagero e fui cuscar, os livros do Jamie Oliver, que eu adoro, e eram todos muito mais baratos, além disso o mais caro este, tem mais páginas.
Cá para mim o livro da Justa traz aquela inovação que a minha mãe sempre diz que os programas de culinária deviam ter que é carregar num botão e aparecer o prato feito, só assim se justifica tal disparidade de preços.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Sobre Shameless US ou como os ingleses sabem inovar

Dificilmente se encontra nos dias de hoje uma série que valha mesmo a pena ver.  Uma coisa é uma série que se vê bem numa tarde de chuva outra é aquela que o fim de cada episódio nos deixa com aquela ansiedade de ver o próximo capitulo.
Inovar parece ser cada vez menos a palavra de ordem e se bem que apareçam muitas séries a cada nova season, poucas serão aquelas que trazem algo de novo e sobrevivendo à guerra das audiências se tornam séries de culto ou que valem a pena ver.
Vê-las é muitas vezes estar a rever algo reciclado de uma outra série...
Tenho acompanhado Shamaless na RTP2 e esta é uma verdadeira lufada de ar fresco. Shameless veio do Reino Unido para a América e isso nota-se. Normalmente estas séries não sobrevivem do lado de lá do Atlântico, sendo quase sempre uma aposta perdida, mas Shameless contrariou esta tendência.
Ao vermos a série percebemos que a mesma nunca podia vir da mente de um americano. A série retrata a família Gallagher que não vive numa bonita moradia nos subúrbios de uma cidade, com móveis bonitos, jardins cuidados, pai com um bom emprego e mãe também ou mãe que fica em casa a tomar conta dos filhos. Os Gallagher são obviamente pobres, vivem numa casa humilde, os móveis não são bonitos, as roupas deles também não são de marca, a mãe pôs-se andar e o pai divide o tempo entre o bar local e o bar local.
Os filhos são seis, a mais velha assumiu o comando, trabalha e toma conta dos irmãos o melhor que pode, os dois irmãos rapazes adolescentes também ajudam como podem, um dá explicações, o outro trabalha em part-time. Há ainda 3 crianças, ao todo são seis irmãos.
Se a série fosse 100% americana já o pai, Frank tinha ido para uma clínica de reabilitação, não tinha conseguido curar-se mas os filhos estavam dispostos a perdoar-lhe e claro que eles também tentariam o amor paterno e sentir-se-iam desapontados por ver que o pai não tinha emenda. Mas como isto veio dos ingleses Frank não quer saber dos filhos ou muito menos deixar o álcool, os filhos não querem saber dele e tentam sobreviver o melhor que podem recorrendo a esquemas, por vezes hilariantes.
Por tudo isto e mais algumas coisas vale a pena ver esta série, é como eu penso sempre a fição inglesa é cem vezes melhor do que a americana, pena que a grande maioria das pessoas ainda não descobriu isso.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Depois da Livraria Lello e o Café Majestic terem sido considerados entre os mais belo do mundo, chega a vez da velhinha estação de S. Bento obter igual classificação e que bem merecida que é! A pergunta que se faz agora é qual será a próximo ex-libris da cidade a receber este tipo de distinção.
Podem ver a noticia aqui.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

HYSTERIA trailer

Aqui está aquilo que parece ser uma boa comédia, rir sabe sempre bem :) Mas é melhor que os homens fiquem em casa e não vão ver este filme :)

sábado, 20 de agosto de 2011

Coriolanus - Trailer

Apesar de não ser admiradora de Ralph Fiennes e de ter visto poucos dos filmes que fez tenho curiosidade de ver a sua estreia como realizador. Pelas imagens parece-me que o texto original de Shakespeare é mantido, mas o cenário é atual, é uma combinação que muitas vezes não resulta, mas pelas imagens parece-me que desta vez vai resultar.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Luther 2º Temporada

Os ingleses apostam muito em mini-séries, algo que me agrada. Em vez de perder dias a ver as temporadas todas posso numa tarde ver uma boa mini-série. Geralmente estas tem apenas uma temporada, mas existem excepções, uma delas é Luther que depois de uma primeira temporada de seis episódios, temos agora uma segunda com apenas quatro.
É verdade que adorei a primeira temporada, mas não posso dizer o mesmo desta, gostei, mas achei que aquilo podia ser melhor. Primeiro criam uma personagem como Alice Morgan, dão-lhe as melhores falas, excelentes oportunidades para a atriz que a interpreta, Ruth Wilson, brilhar e desta vez dão-lhe meia dúzia de cenas? Francamente, ela é o melhor da série, fria, sem remorsos, fazendo aquilo que outros não tem coragem de fazer e é assim que tratam a minha querida Alice??
Depois, a estória da vida pessoal de Luther, não é lá muito convincente, salva-se o Edris Elba que é excelente enquanto Luther.
Mas nem tudo pode ser mau e o assassino do terceiro e quarto episódio. era muito bom, bem mais interessante do que o famoso Trinity Killer do Dexter, o mais interessante que já vi em filmes ou séries, os motivos e a forma como mata são originais.
Para mim a série bem que podia ficar-se apenas pela primeira temporada,esta não fazia muita falta.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A Morte de Carlos Gardel - Trailer

Ainda me falta um bocado para chegar à Morte de Carlos Gardel, mas quero ver este filme, tendo em conta a forma como o Lobo Antunes escreve parece-me que é filme só para pessoas que sabem àquilo que vão e dificilmente, como acontece na esmagadora maioria dos filmes, demonstrará toda a grandeza da obra.


quarta-feira, 17 de agosto de 2011

o fato de a sua carteira ser fraca não significa que se passe o mesmo com toda a gente. há quem se possa dar ao luxo de comprar roupas todos os meses. deixe-se desses ressabiamentos.

Anónimo Dixit no post anterior.
 
Depois de ler isto por lado dei pulos de alegria por finalmente ter um comentário ANÓNIMO maldoso! Fiquei tão feliz que até abri uma garrafa de champanhe Moet & Chandon sim que eu não tenho dinheiro para roupa mas para champanhe sim!! São servidos??? :)
 
Querido anónimo desta vez fiz comédia do teu infeliz comentário para a próxima não serei tão simpática e apago-o.

Contado ninguem acredita

Na semana passada ao passar em frente à Zara da Rua de Santa Catarina e vi uma rapariga posar para uma fotografia, com a porta da Zara como pano de fundo. Aquilo confundiu-me e pensei: mas que diabo é aquilo se ainda tirasse ali em frente ao Majestic ( para quem não conhece é quase a seguir à Zara) ou então se a Zara fosse uma loja com uma arquitetura interessante eu ainda percebia.
Mas qual o objectivo daquilo? Puder dizer que se foi à Zara?? 
Ainda eu não tinha digerido isto, quando ontem estive na Zara, a da Rua de Santa Catarina, e não é que vejo uma rapariga a fazer pose para uma fotografia?? Nunca na minha vida vi alguém a tirar fotos dentro de uma loja e até acho que nem é permitido, dentro de centros comerciais é proibido.
Pergunto-me qual o objetivo disto? Facebook? Blogues? Passar o tempo? Sinceramente ao ponto que a futilidade chegou, começo a assustar-me...

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Ser má língua é escrever um post como este

A Vanity Fair anunciou a sua lista dos mais bem vestidos do ano. Na lista estava Tilda Swinton, que podem ver na foto. Ora todos os anos nos Óscares, nos globos de ouro e afins, as fashionistas da blogosfera portuguesa classificam os modelitos da Tilda como horríveis. Ora das duas uma: ou elas não percebem nada de moda ou então não gostam da Tilda, já que ela é moça para fazer filmes decentes e claro, nunca aparece muito maquilhada, tem um estilo muito discreto e claro não é exatamente linda de morrer. Pensando bem acho que o problema é mesmo os dois aspetos que apontei e não apenas um.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

In My Father's Den

O cinema está cheio de estórias de pessoas que abandonam a sua terra natal ( geralmente pequena e no interior do país,  vulgo fim do mundo) para partir para a grande cidade. Muitos anos depois voltam seja para recomeçar ali uma nova vida, seja porque um dos progenitores morre. Na volta existem sempre acusações por causa da partida, o reencontro com a namorada do passado e uma relação difícil com os familiares, irmãos ou o pai/mãe que não morreu.
Os quinze minutos iniciais deste filme levaram-me a pensar que ele era isso mesmo, mas depois disso percebi que era diferente e a narrativa distanciava-se desse típico enredo. O filme demonstra que é possível inovar numa estória já muito contada, mas não é só isso, é um excelente filme, que se torna cada vez mais denso à medida que avança....

domingo, 14 de agosto de 2011

A Solidão dos Números Primos

Não sou grande conhecedora de cinema europeu, mas do que conheço aquele que vem de Itália é o meu preferido. Acho que os italianos contam estórias simples de uma forma bastante genuína, sem qualquer tipo de floreado ou máscara.
Este filme é baseado num livro que ainda não li e tenho pena porque gostei muito do filme. Mattia e Alice são dois jovens que parecem não encaixar no mundo que os rodeia, algo típico dos adolescentes, mas eles não encaixam por causa dos acontecimentos vividos na infância. Digo que tenho pena de não ter lido o livro porque a forma como o filme está feito deve ser igual à do livro, ou seja a narrativa alterna entre a idade adulta, a infância e claro a adolescencia. Este tipo de narrativa funciona em livro, mas num filme torna-o mais confuso.
Um dos aspetos curiosos do filme é Alice ver durante a infância anime, os desenhos animados japoneses que marcaram a infância de quem cresceu nos anos oitenta e até suspeito que ela estava a ver a mítica Candy Candy. à parte disso, todos os atores são excelentes, principalmente os que dão vida ao adolescente e adulto Mattia já que o rapaz poucas vezes abre a boca e trabalha com o olhar e a expressão facial. Um livro a ler e um filme a rever.

sábado, 13 de agosto de 2011

OneRepublic - Good Life

A música do trailer do filme Um Dia, que chega aos nossos cinemas a 1 de Setembro.




sexta-feira, 12 de agosto de 2011

W.B. Yeats, poeta irlandês nunca chegou a casar com Maud Gone, por quem se apaixonou desde a primeira vez que a viu. Yeats pediu-a em casamento várias vezes, mas ela recusou, por motivos que este post não quer nem irá aprofundar. Um dia ainda vos conto a minha teoria sobre eles os dois.
Yeats, acabaria por casar apenas para se arrepender no dia seguinte, a sua esposa, Georgie, disse-lhe que tinha experimentado escrita automática. Yeats acreditava em fadas, duendes, pai natal, a fada dos dentes, enfim acreditava em coisas místicas. Durante o casamento que durou para o resto da vida de Yeats, esta escrita continuou e ambos passaram horas a falar sobre o assunto. Mais tarde Georgie revelou que era tudo mentira. Esta senhora é digna de admiração porque soube cativar o marido e tornar o seu casamento feliz dentro dos possiveis, de resto ela sabia no que se metia quando casou. Sempre achei a estratégia dela brilhante e muito inteligente. Será que alguma vez Yeats desconfiou ou simplesmente foi sempre ingénuo nesse ponto? De qualquer das formas ninguém pode tirar o mérito da mulher.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

se há tendência que parece nunca sair de moda, é o animal print. E depois de muito tempo com os leopardos a fazer a tendência chega a vez do phyton print. Nunca gostei desta tendência, porque sempre achei que não era a jane para vestir roupa que lembram os animais.
Agora fiquei absolutamente despedaçada já que odeio, num ódio pouco contido as cobras e digo-vos se alguém ficar ao pé de mim com esse tipo de roupa ainda tenho um faniquito. Como se não bastasse a tendência ser assustadora, estará em tudo desde sapatos a casacos, não esquecendo os acessórios.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Ou é dos meus olhinhos ou o Michael está mais giro agora do que quando era casado com a Jennifer? :)


Crédito da Foto: Lisette M. Azar/SHOWTIME

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Novidades no blogue As Bijuterias da Mizé

Hoje e nos próximos dias há novidades no meu blogue: As Bijuterias da Mizé. Não pus tudo hoje para não ficar muito confuso, é que fiz bastantes coisas nos últimos dias :) Não se esqueçam de clicar na imagem para ver melhor e lembrem-se que os preços apresentados já incluem os portes de envio.

domingo, 7 de agosto de 2011

Os Reality Shows e Eu

Há uns tempos, alguém me falava com entusiasmo de um programa sobre mulheres que tardiamente descobriam estarem grávidas. Pessoalmente, achei que aquilo era atirar areia para os olhos do espectador, pois, embora nunca tenha estado grávida, suspeito que é quase impossível não se perceber disso ou mesmo impossível, o corpo dá muitos sinais. Verdadeiro ou não, o que é certo é que o programa do qual essa pessoa me falou era um reality show ou algo próximo disso.
Nunca entendi o entusiasmo que as pessoas parecem ter por estes programas, quer nos muitos posts da blogosfera sobre o American Next Top Model ou o Peso Pesado, versão americana ou portuguesa, quer em conversas sobre os mesmos ao vivo e a cores. Sempre me senti excluída porque são programas que não despertam a minha atenção.
Claro que quando estreou o 1º Big Brother vi, mas ao fim de uma semana estava entediada e fui vendo as galas de expulsão, mas apenas porque me pareciam menos entediantes, já que quando os concorrentes iam para o confessionário falar com a Teresa Guilherme não davam uma para a caixa e isso tornava a situação hilariante. Cheguei a ver parte do segundo Big Brother, mas desisti a meio, espreitando ocasionalmente as Galas. Ao terceiro já tinha desistido completamente do formato. Se hoje me perguntarem os nomes dos concorrentes, eu lembro-me dos do primeiro e do segundo um ou dois.
Quando começo a ver um programa e percebo que é reality show, mudo logo de canal.
Confesso, como disse antes que não entendo a magia destes programas, qual é o prazer que isto dá a quem vê. Regra geral os concorrentes mostram tudo a troco de fama ou uma oportunidade no mundo da televisão. Ainda no outro dia estava a ver uma rapariga que esteve na casa dos Segredos a falar na televisão e diz ela a determinada altura: Sou uma figura pública. E nisto diz a minha cunhada muito depressa: Mas onde é que ela é figura pública?
Pois, são famosos porquê? Porque durante um tempo alguém achou-lhes piada e ao fim desse tempo voltaram à sua vidinha, vão ver o que é feito dos antigos concorrentes destes programas e tirem as vossas conclusões.

sábado, 6 de agosto de 2011

ontem num dos programas da manhã falavam sobre a inveja feminina e num bocado que vi - estava com alguma paciência para ouvir parvoíces - falavam que as mulheres invejam as outras e muitas vezes há mau ambiente nos locais de trabalho onde há muitas mulheres. Diziam que nós invejamos as roupas, o verniz, a maquilhagem que a outra usa, etc. Curioso é que nenhum dos homens disse: sabe, elas invejam a inteligencia ou a cultura da colega.
Estava agora a pensar no assunto e reparei nisso mesmo, nunca ninguém homem ou mulher invejou alguém pelo seu intelecto. Geralmente quem exibe inteligência ou cultura é votado ao desprezo, é algo que nunca é cobiçado, por um motivo simples, não salta à vista logo ninguém vê no imediato e na sociedade superficial em que vivemos o que conta é a aparência...

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Em Portugal ninguém quer saber de ler clássicos, mas pelos vistos em França, o filme Mistérios de Lisboa, trouxe novos leitores para Camilo Castelo Branco. Para ler aqui: Público

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

As nossas referências

Todas as gerações têm as suas referencias, seja o filme que toda a gente viu, a música que toda a gente dançou ao som dela ou a série que toda a gente via religiosamente. 
Há dias alguém dizia num blogue que já tinha pensado comprar dvd's e cd's que marcaram a geração dela para oferecer ao filho, mas depois desistiu da ideia por achar que o filho iria ter as suas próprias referencias.
Pessoalmente não acho errado dar aos filhos as nossas referencias, útopico é acharmos que eles gostarão tanto quanto nós. Sabemos bem que determinadas coisas nos marcaram porque éramos putos e também na altura a oferta não era tão diversificada como hoje. Mas mesmo assim acredito que um filho poderá sempre gostar de algo que nós gostamos. Prova disso está nos concertos onde vão pais e filhos.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Análise de uma sipnose

a negrito os meus comentários.

Considerado originalmente um texto indecente foi banido de Inglaterra e Alemanha nos anos sessenta. A liberdade e maior abertura de mentalidades dos tempos modernos levou a que a Editorial Presença agora o publicasse em Portugal, revelando a identidade da autora, que anteriormente assinava sob pseudónimo.

introdução ao livro


 O livro descreve uma relação entre um homem, Gordon e uma mulher, Luísa. Mas esta é uma união do foro clínico, dado Gordon exercer a psiquiatria enquanto forma de análise a Luísa, o que rapidamente se transforma em comportamentos de posse e submissão. Nas sessões de psicoterapia, o médico traz à superfície o recalcamento de Luísa, abandonada pelo pai quando tinha apenas quatro anos, desenvolvendo desde então um fascínio por homens mais velhos. Gordon, com mais vinte anos do que ela, torna-se alvo do seu amor, iniciando o casal uma proximidade que extravasa a sala do consultório.

conta a estória do livro.


A dependência emocional entre ambos assume contornos excessivos, conduzindo à destruição interior e psicológica de cada um e, mais tarde, ao suicídio de Gordon. Uma leitura perturbadora pela intensidade com que descreve uma relação viciada e com laivos de loucura entre um psiquiatra e a sua paciente, mas que se trata na sua essência de um romance de amor.

Conta o fim e assim quem queria comprar se calhar já não compra. Queridos amigos que escrevem sipnoses, esta última parte era totalmente desnecessária.

Livro: Gordon, autora Edith Templeton. Retirado do site da Wook.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Ontem, na Noticias Magazine uma reportagem falava sobre desemprego. No entanto era numa perspectiva diferente. A jornalista colocou um anúncio num site de emprego, procurava trabalho como administrativa, dizia ter experiência, falar línguas e 27 anos. No fundo o normal de quem procura emprego. Passadas umas horas tinha várias ofertas de trabalho. Aqui eu gostava de dar razão a quem tantas vezes argumenta que só não arranja trabalho quem não quer e quem está nessa situação quer viver às custas do estado. Certo, só que as ofertas eram para ganhar a vida na horizontal. Parece mentira mas é verdade e este tipo de ofertas são constantes para quem apenas procura um trabalho honesto. Confesso-me chocada e eu nem sou daquelas que se choca facilmente.
Quem está desempregado está numa situação frágil e aparecem estes cabrões, pardon my french, a fazer este tipo de ofertas que com certeza fazem as pessoas sentirem-se ainda mais frustradas. E eu pergunto, com tantos anúncios que há para aí, há necessidade de assediar quem apenas quer um trabalho honesto??  

domingo, 31 de julho de 2011

Vi este trailer no Split Screen e só pensei, mas o filme é sobre o quê? Os trailers estrangeiros mostram o filme quase todo e os portugueses mostram tão pouco que nem se sabe percebe se o filme é sobre o amor do João e da Maria ou sobre a vida dupla da Isabel.

quinta-feira, 28 de julho de 2011




Olhando para esta foto não consigo entender o medo que  Johnny Depp tem de palhaços, eu teria mais medo de me vestir assim e ver-me ao espelho.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Na semana passada a Nova Gente por mais 1,99€ oferecia um livro. Geralmente estes livros não têm a melhor qualidade, a nível de papel, muitas vezes de tradução também, mas o seu baixo custo aliado a que muitos não se encontram à venda, fazem deles compras apetecíveis. Eu queria ler o livro que davam O Papá das Pernas Altas, porque estava bem impressionada pelos desenhos animados que vi na infância baseados no livro. Aproveitei os dias que estive fora para começar a ler ( não quis levar o calhamaço do Fado Alexandrino) e encontrei várias gralhas, eu desculpo gralhas, agora o que meu deu comichão foi numa referencia a poetas do romantismo falarem de Reats e não de Keats, ora se o R estivesse no teclado perto do K eu ainda perdoava, agora assim não! Que raio de tradutor de inglês pode ser tão ignorante que não se aperceba que fez tal erro? Se fosse um poeta obscuro, eu ainda desculpava agora o Keats, não. Tenho quase a certeza que deve tê-lo estudado em algum ponto do curso que tirou, se calhar não deve é ter ido a essa aula...

terça-feira, 26 de julho de 2011

Ao ler esta notícia, a primeira coisa em que pensei foi que este comportamento era uma invasão de privacidade.
E mesmo que não fosse, eu penso que há que separar as águas e lá por dizermos um monte de disparates em redes sociais, isso não significa que sejamos menos capazes de fazer o nosso trabalho. Eu tinha uma colega de trabalho que era bastante desagradável e era boa naquilo que fazia.
Contudo esta avaliação feita sobre o que se disse ou não na internet é um bocado tendenciosa. As pessoas no facebook estão a falar para amigos, conhecidos, pessoas que as conhecem logo sabem ler nas entrelinhas e não levar a sério o que é dito. Num blogue e como na maioria das vezes não se conhecem os leitores, os bloggers expressam-se de outra forma. Um desconhecido dificilmente entenderá que quem escreveu estava a ser sarcástico ou brincava com um assunto sério. Quantas vezes eu já escrevi posts que nunca viram a luz do dia precisamente porque as ideias não eram suficientemente claras para serem entendidas? Ou não comentei dizendo determinada coisa porque sabia que não me iam entender precisamente porque nunca havia comentado aquele blogue?
Se não houver discernimento por parte de quem faz este trabalho, que eu considero abusivo, haverá gente competente a perder oportunidades de trabalho. Há que separar o trigo do joio e perceber que aquilo que fazemos, dizemos nas nossas horas de lazer, pouco ou nada influencia a nossa conduta no local de trabalho, pelo menos na maioria das vezes.
.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

não é estranho que nas relações de facebook não exista cunhado(a) e sogra(o). Eu sei que são parentes por afinidade mas são parentes na mesma. No entanto existe uma relação à espera de bebé!! O que é bastante idiota, devia de ser um estado e não uma relação.

domingo, 24 de julho de 2011

Com apenas 4 meses de vida, a pasta de fotos da minha sobrinha já ocupa 1,41 Gb de espaço no meu disco. Penso que será uma boa ideia comprar para o Natal um daqueles discos de tamanho Terabyte.  

sábado, 23 de julho de 2011

a minha antiga chefe costumava dizer que algumas pessoas precisavam de uma colher de chá, eu nunca respondia, mas pensava sempre que algumas nem que se despejasse um bule inteiro pela cabeça abaixo ficavam melhores.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

cada vez mais parecem existir blogues com dicas de economia doméstica, pessoalmente acho-os muito úteis. Uma dessas dicas é elaborar semanalmente um menu, uma boa ideia para quem trabalha não ter que andar o dia inteiro a matutar nesse assunto.
Recentemente num desses blogues, havia um post com uma sugestão de menu, escrevia a blogger que muitas pessoas enviavam e-mails a dizer que era difícil elaborar o menu e tinham dificuldades. Para ajudar ela fez um. Eu até percebo que inicialmente seja mais complicado, mas parece-me que muita gente gosta é da papa toda feita e daí terem dificuldades.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Pessoalmente começo a ficar farta de tanta Feira Medieval! Na altura do Verão, os anúncios televisivos sobre feiras deste tipo em vários pontos do país começam a saturar. Eu não odeio a Idade Média, mas podiam fazer feiras de outras épocas! Nunca fui a nenhuma, mas sei que se paga para entrar, além disso lá dentro há coisas para comprar que também se pagam obviamente! E depois os preços de entrada nunca são assim valores mais ou menos simbólicos, não, há que fazer pagar alguma coisa mais significativa. Lembro-me de há uns anos só haver em Santa Maria da Feira e pouco mais, agora parece ter alastrado a todo o país. Quando há dias se falava que as pessoas preferiam ver sempre filmes quase iguais, eu pergunto se as pessoas não preferem também estar sempre na mesma época...

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Já algumas vez se perguntaram porque é que um filme com potencial para ser bom falha? Há muitos factores, mas depois de ler a trivia da pagina do IMDB, da nova adaptação do O Monte dos Vendavais, cheguei à conclusão que há sempre muito potencial para o desastre. Para começar um filme tão próximo de outro feito em 2009, não é bom, ainda que o mesmo tenha sido feito para televisão e este será distribuído para as salas de cinema. Mas esquecendo este pormenor, começa pela escolha inicial para a protagonista, uma boa escolha não fosse ela americana e uma heróina inglesa requer ( senão chovem criticas) uma atriz inglesa. Escolhem para Heathcliff o Michael Fassbender, seria mau para ele, primeiro porque penso que ele seja um pouco velho para o papel, pelo menos para a fase inicial, depois se ele tivesse feito na mesma o Mr. Rochester isso nunca seria bom, dois heróis bronteanos, não é bom para ninguém.
Por fim escolhem para o mítico herói. um ator sem qualquer experiência, e se uma open call session de casting é aquilo que eu penso. Ou seja entra qualquer um, quer tenha agente ou não ou até mesmo experiência, há aqui mais potencial para o desastre. Eu não duvido que alguém sem preparação numa escola de drama possa saber representar, mas também sei que o papel é exigente e tenho receio que alguém que nunca trabalhou não esteja à altura do papel. Mais uma vez perde-se a oportunidade de fazer jus ao grande clássico escrito por Emily Bronte. Em Setembro veremos os resultados.


terça-feira, 19 de julho de 2011

O que aprendi a ler a Nova Gente desta semana...

- O namorado da Cinha Jardim é super parecido com o Santana Lopes.

- O Hugh Grant já esteve no Algarve e o Príncipe William também

- A Kate Middleton seria a minha inspiração a nível de moda se eu fosse gaja para essas coisas. Combina os mesmos sapatos e carteira com vestidos diferentes e veste sempre coisas que dá vontade de comprar. Além disso gosta da série Downton Abbey e o William também, mas esta informação não vinha na Nova Gente.

- Pelos vistos o Alberto e a Charlene só casaram para ter um herdeiro. Eu bem digo esta é a nova princesa Diana.