quarta-feira, 19 de abril de 2017

O problema da honestidade

Ser honesto não é fácil. E não falo da honestidade de pagar imposto, cumprir a lei, etc. Falo daquela honestidade que temos que ter quando falamos com alguém. E passo a explicar. Uma vez dei um presente à minha sobrinha. Ela, sendo criança e genuína como só as crianças sabem ser, disse-me que se gostasse brincava muito e se não gostasse brincava uma vez, isto antes de abrir.
 
Nós adultos passamos uma boa parte do tempo a dizer que gostamos, quando não gostamos. Tentamos ser delicados. Mas a verdade é que lucrávamos mais se fossemos honestos. Quantas vezes uma amiga não pergunta o que achamos daquela saia? E quantas vezes não dizemos que gostamos quando achamos que é horrorosa? Eu tento sempre dizer a verdade. De forma delicada. Mas admito que não é fácil. Sinto-me melhor a dizer: olha eu não gosto desse modelo e dessa cor. Mas se tu gostas e tendo em conta que tu és tu que vais vestir, se queres leva. Mas admito que é mais fácil dizer: que gira!! compra. A minha sorte é que não vou muitas vezes às compras acompanhada...
 

2 comentários:

Eva Maria Valério de Sousa disse...

Eu tenho esse problema, tendo a ser demasiado honesta, mas entendo que no fundo é uma das coisas que me causa problemas de socialização.

Madrigal disse...

Eva, mais vale ser honesta do que ser falsa. Eu prefiro a honestidade de quem não disfarça que não gosta de mim do que a falsidade de quem finge que gosta.