sábado, 19 de agosto de 2017

Madame de Maintenon ou o que tiver que ser nosso às nossas mãos vem ter

Toda a gente sabe que os reis tinham amantes. Muitas delas ficaram célebres e muitas foram mais amadas do que as rainhas.
 
Há uns anos vi uma série francesa chamada a Alameda do Rei. A série é sobre Madame de Maintenon, uma das amantes do rei Luís XIV. Maintenon tem uma história de vida bastante comum a muitas mulheres da sua época. Nasce, cresce, é educada num convento, casa, fica viúva. Ia ser apenas mais uma mulher cuja vida permanecia anónima.
 
Mas o destino, a vida, o que lhe quiserem chamar não quis assim. Um dia Madame de Maintenon conhece Madame de Montespan. As duas ficam amigas. Para quem não sabe Madame de Montespan era na altura a amante do rei, Luís XIV. Montespan decide contratar a amiga para ser preceptora dos filhos que tinha com o rei.
 
O rei eventualmente começou a olhar para a Madame de Maintenon, dizem que estava cansado da Montespan. E sabem como é, uma coisa leva a outra e eventualmente Madame de Maintenon torna-se amante do rei e quando ele fica viúvo casam.
 
O curioso desta história é ter sido a Madame Montespan a dar a conhecer a Madame de Maintenon, ao rei. Se elas não se tivessem conhecido talvez o rei nunca tivesse conhecido a Madame de Maintenon ou talvez tivesse conhecido. Sabem como se costuma dizer: o que tiver que ser nosso às nossas mãos vem ter...


 

2 comentários:

Eva Maria Valério de Sousa disse...

Deus escreve direito por linhas tortas... ou acerca das amigas da onça :D lolol

Madrigal disse...

Sim, escreve. Mas não vejas isto como um caso de amigas da onça. Os reis tinham amantes, eram mulheres do seu circulo. Acredito que muitas podiam ser amigas... NEste caso a Maintenon era "pobre" não podia aspirar a ser convidada para a corte. Daí a sua história ser interessante pois se não fosse o tal conhecimento com a Montespan não conhecia o Rei.